As relações sexuais durante a gravidez

· 15 de fevereiro de 2019
Em geral, as pessoas não sabem que podem ter relações sexuais saudáveis durante a gravidez. A seguir, vamos falar mais sobre isso.

As relações sexuais durante a gravidez não são proibidas, exceto nos casos em que a saúde da mãe e do feto sejam delicadas. No entanto, a verdade é que essa prática pode ser realizada de forma saudável e, com base nisso, obter benefícios.

É necessário ter em mente que, para além do tabu que gira em torno desse assunto, o sexo é uma necessidade física básica do ser humano. Ele não só satisfaz fisicamente, mas também promove um bem-estar emocional, a partir da aproximação íntima e do carinho.

Naturalmente, o fato de poder ter relações sexuais durante a gravidez não significa que não seja necessário ter certos cuidados. Nesse sentido, o sexo deve ser delicado, mas nem por isso menos satisfatório do que o normal.

De fato, há casais que se aproximam muito mais através desse tipo de sexo, já que o nível de compromisso, confiança e entrega é maior.

O sexo e a gravidez

O sexo e a gravidez

No primeiro trimestre

A excitação é muito mais intensa nessa fase, uma vez que os órgãos estão mais irrigados. Nesse sentido, o sexo encontra o seu melhor momento. Inclusive, é possível atingir o orgasmo com mais facilidade.

Portanto, as relações sexuais durante a gravidez nessa fase são muito agradáveis.

No segundo trimestre

Seguindo as contas, esse período vai desde a semana 16 até a 30. É um momento em que, se não ocorreram complicações, a mulher vai se sentir muito bem consigo mesma.

A atividade hormonal faz com que ela pareça mais ‘bonita’ e jovem, e o corpo, por ter curvas mais pronunciadas, vai parecer muito mais atraente.

Mas também surge uma nova situação. É durante essas semanas que você vai poder sentir os movimentos do seu bebê. Então, certamente você vai se perguntar: as relações sexuais são seguras durante a gravidez?

No último trimestre

A partir de agora, será mais difícil encontrar uma posição confortável para você sem que a barriga atrapalhe. Mas não deixe que isso seja um obstáculo intransponível.

Lembre-se de que nessa fase você precisa do carinho do seu parceiro. Portanto, carícias, massagens e fricção suave também desempenham um papel determinante para conseguir tanto excitação quanto um orgasmo prazeroso.

As relações sexuais durante a gravidez

O clímax ocorre no útero. Por um momento, toda a irrigação sanguínea vai para a zona erógena estimulada e menos sangue vai chegar ao bebê, mas não se preocupe. Isso não é prejudicial de forma alguma.

Na verdade, isso vai ser um exercício para o seu organismo, no qual a sua própria circulação sanguínea vai compensar o que estiver faltando. Além disso, não se esqueça de que o pequeno está protegido pelo líquido amniótico.

As penetrações nas relações sexuais durante a gravidez podem machucar o bebê? A resposta é NÃO. Há um tampão de muco que obstrui a entrada do colo do útero que impede o sêmen de chegar até lá.

O clímax ocorre no útero

Situações de risco

Você deve consultar o seu médico imediatamente caso surja alguma dessas situações, ou pelo menos, um sintoma delas:

  • Se após a penetração, ou sem ela, você perceber que está expelindo líquido. Pode ser que o orifício uterino tenha aberto antes do tempo.
    • Se o saco amniótico apresentar uma pequena lesão, pode acontecer uma infecção, e isso pode levar a um aborto ou a um parto prematuro.
  • Se a sua gravidez for múltipla.
  • Ao apresentar ameaça de aborto ou de parto.
  • Se houver sangramento.
  • Se começar a ter contrações antes do esperado.
  • Se tiver sido detectado um problema na placenta nos seus exames anteriores.
  • Se você ou o seu parceiro sofrer de uma infecção genital.

Benefícios

Assim como já indicamos anteriormente, as relações sexuais durante a gravidez incluem vários benefícios, não apenas em nível físico, mas também em nível emocional. Em poucas palavras, elas ajudam a melhorar a qualidade de vida do casal e, certamente, ajudam a aliviar a tensão e o estresse.

Para a mulher, o fato de conseguir intimidade com o parceiro vai fazer com que ela lide melhor com as mudanças que o seu corpo vai enfrentar.

Ela vai se sentir amada e desejada, algo que, sem dúvida, vai ajudar para que mantenha uma visão positiva sobre si mesma. No entanto, não devemos nos esquecer de que cada mulher é única.

  • Hyde, J. S., DeLamater, J. D., Plant, E. A., & Byrd, J. M. (1996). Sexuality during pregnancy and the year postpartum. Journal of Sex Research. https://doi.org/10.1080/00224499609551826
  • Jones, C., Chan, C., & Farine, D. (2011). Sex in pregnancy. CMAJ. https://doi.org/10.1503/cmaj.091580