Bebês prematuros de sete meses

· 31 de março de 2019
Esse conceito descreve os bebês que nasceram entre a semana 28 e 32 da gravidez. Em alguns casos, esse tipo de parto prematuro pode acarretar em alguns problemas na saúde da criança. Nós contamos tudo o que você precisa saber neste artigo.

Os bebês prematuros de sete meses são aqueles que nasceram entre as semanas 28 e 32 da gestação. Felizmente, nesse tipo de nascimento, os recém-nascidos têm uma boa chance de sobrevivência.


No entanto, esses bebês precisam de assistência respiratória, pois os seus pulmões ainda não estão desenvolvidos o suficiente. Além disso, eles ainda não desenvolveram alguns reflexos, como a sucção, que permite sugar o seio materno. Por isso, geralmente são alimentados por meio de uma sonda.

Bebês prematuros de sete meses

Os bebês têm o maior crescimento nas últimas oito semanas de gravidez. No caso de bebês prematuros de sete meses que nascem entre as semanas 28 e 32, isso significa que eles adquiriram apenas um terço de seu peso total.

Quando isso acontece, os bebês prematuros devem ser atendidos em uma unidade de terapia intensiva para receber cuidados especiais. Lá, serão realizados tratamentos e os devidos cuidados serão tomados para que todos os seus sistemas amadureçam de forma adequada.

Infelizmente, os pulmões são os órgãos mais afetados em bebês de sete meses. Isso acontece porque o nascimento prematuro faz com que eles não tenham suficiente surfactante, uma substância básica para realizar a troca de oxigênio entre os tecidos.

Da mesma forma, vários órgãos ainda não se desenvolveram o suficiente especialmente o cérebro, os pulmões e os rins. Além disso, o sistema digestivo e o sistema imunológico também têm um funcionamento muito precário.

Ao nascer, os bebês prematuros de sete meses devem ser cuidados em uma unidade de reanimação neonatal para receber atendimento imediato em uma incubadora, geralmente com assistência respiratória e alimentação artificial.

Se tudo correr bem, o bebê passa para a terapia intensiva e, uma vez que se estabiliza, vai para o berçário como os outros bebês. Quando o bebê já conseguir respirar e comer adequadamente sem a ajuda de assistência médica, é possível ir tranquilamente para casa.

Devido aos avanços médicos, a taxa de mortalidade de bebês prematuros de sete meses diminuiu.

Quais são as causas de nascimentos de bebês prematuros de sete meses?

Existem diferentes fatores que podem explicar os nascimentos prematuros de bebês de sete meses. Na maioria das vezes, os partos prematuros são causados por certas complicações na gravidez que não permitem que a mãe continue com a gravidez até o final.

As possíveis complicações na gravidez que resultam em nascimentos de bebês de sete meses são as seguintes:

  • Pré-eclâmpsia e placenta prévia.
  • Alguma má formação do útero, que não tem espaço suficiente para o bebê.
  • Rompimento prematuro da bolsa amniótica ou abertura excessiva do colo do útero.
  • Diabetes gestacional.
  • Abortos tardios.
  • Toxoplasmose

Há também outros fatores que podem causar partos prematuros, como o tabaco, o álcool ou outras drogas. As mães que não querem aumentar as chances de parto prematuro, devem excluir absolutamente todas essas substâncias do seu dia a dia.

“Quando você se torna mãe, nunca está sozinha em seus pensamentos. A mãe sempre pensa duas vezes, uma para si e outra para o filho.”
-Sophia Loren-

Sinais e sintomas de bebês prematuros de sete meses

O parto prematuro geralmente não é doloroso, mas existem vários sinais em relação aos quais é preciso ficar alerta:

  • Contrações no útero a cada 10 minutos ou mais frequentemente.
  • Dor na lombar.
  • Cólicas menstruais ou cólicas abdominais inferiores.
  • Aumento da pressão na pelve ou na vagina.
  • Aumento do corrimento vaginal.
  • Vazamento de líquidos da vagina.
  • Sangramento vaginal.
  • Sintomas semelhantes aos da gripe como náuseas, vômitos ou diarreia.
  • Menos movimentos ou chutes do bebê.

Quais são os riscos para o bebê?

Atualmente, os avanços na medicina neonatal reduziram a taxa de mortalidade de recém-nascidos prematuros, como é o caso dos bebês de sete meses. No entanto, embora as chances de sobrevivência sejam boas, os bebês ainda são muito frágeis. E, infelizmente, os riscos são muitos.

Riscos imediatos

Quando nascem, os bebês prematuros de sete meses são colocados em incubadoras para ajudar com os problemas respiratórios comuns, já que os seus pulmões não amadureceram completamente e precisam de auxílio para respirar.

Além disso, existem riscos relacionados ao sistema digestivo, ao canal arterial e às possibilidades de sofrer lesões neurológicas. Por causa de sua fragilidade, os bebês prematuros de sete meses também estão expostos a infecções.

Os bebês de sete meses são colocados em incubadoras para completar o desenvolvimento dos seus órgãos.

Riscos a longo prazo

Atualmente, é impossível determinar exatamente quais serão as consequências a longo prazo. Para detectar os riscos, é necessário realizar alguns exames, como a ressonância magnética com monitoramento ultrassonográfico do cérebro.

De fato, as consequências da prematuridade extrema podem ser graves: falta de capacidade motora, alterações sensoriais ou intelectuais sérias, diabetes e hipertensão, entre outras.

Por fim, lembre-se de que, se tiver dúvidas ou sentir que o trabalho de parto começou bem antes do período estimado, contate o seu médico imediatamente para evitar qualquer situação inesperada.

  • MIRALHA, A. L., Lopes, J. M. D. A., Rego, M. A. S., Greve, H. W. F., Viana, M. C. F. B., Pachi, P. R., … Nader, S. S. (2017). Prevenção da prematuridade – uma intervenção da gestão e da assistência. Sociedade Brasileira de Pediatria.
  • Bettiol, H., Barbieri, M. A., & Silva, A. A. M. da. (2010). Epidemiologia do nascimento pré-termo: tendências atuais. Rev Bras Ginecol Obstet.