Características do agressor escolar

13 Janeiro, 2020
É importante detectar possíveis agressores escolares para conseguir evitar situações de bullying. Por isso, neste artigo, vamos explicar quais são as características mais comuns dos agressores.

Os alunos que têm um comportamento agressivo e violento contra os outros geralmente têm um tipo específico de perfil físico e psicológico. A seguir, vamos explicar quais são as características mais comuns do agressor escolar.

É importante que os professores conheçam essas características, pois é sua responsabilidade identificar potenciais agressores por meio da observação e condução de registros de comportamento. Dessa forma, é possível antecipar, prevenir e reduzir os casos de bullying nas escolas.

Milhares de meninos e meninas vivem sob o jugo do bullying, de modo que isso não é coisa de criança, é um problema de todos. Trata-se de um assédio contínuo, verbal, físico, social e emocional”.

-Ana Isabel Saz-

Características do agressor escolar

Um agressor escolar tem a intenção de submeter a vítima constantemente, aproveitando a sua situação de superioridade física, social ou psicológica, com relação ao outro aluno. 

Os comportamentos de bullying podem ser exercidos tanto individualmente quanto em grupos. Ao mesmo tempo, esses atos se manifestam de diferentes maneiras: desde a violência física até comportamentos sutis, como ocorre com o assédio emocional e verbal.

Características do agressor escolar

Mas que tipo de criança comete essas agressões? Quais características elas geralmente têm? Os alunos agressores geralmente são caracterizados por:

  • Serem fisicamente mais fortes que os colegas.
  • Serem dominantes e impulsivos.
  • Não seguirem as regras e regulamentos estabelecidos.
  • Terem uma baixa tolerância à frustração
  • Terem comportamentos desafiantes diante da autoridade.
  • Apresentarem, aparentemente, uma autoestima elevada.
  • Mostrarem atitudes positivas em relação à violência.
  • Mostrarem pouca empatia por suas vítimas.
  • Não terem sentimentos de culpa.
  • Terem relações sociais e familiares problemáticas.

Embora essas sejam as características mais comuns de um agressor escolar, é necessário ter em mente que não há um único tipo de agressor, mas que, segundo Alexander Schwarz, eles podem ser classificados em três grupos:

  • Agressivos. São o tipo mais comum de agressores. Eles realizam as suas ações motivados pelo desejo de poder e pelo desejo de dominar os outros, reforçando, assim, a sua personalidade por meio do bullying contra um dos colegas de classe.
  • Passivos. São estudantes inseguros, por isso não são eles que iniciam o bullying, mas sim esperam o momento em que uma agressão começa para se tornarem participantes entusiasmados. De fato, geralmente mostram lealdade a um agressor agressivo.
  • Agressores-vítimas. São agressores que em algum momento foram vítimas ou ainda o são. Trata-se de estudantes pouco populares que intimidam ou já intimidaram outras pessoas mais fracas enquanto são ou eram perseguidos por outros alunos mais fortes do que eles.
Características do agressor escolar

Consequências de assumir o papel de agressor

Assumir o papel de agressor no bullying tem sérios efeitos negativos em curto e em longo prazo. Assim, como consequência do comportamento violento dos agressores escolares, eles geralmente: 

  • Estabelecem relações sociais tóxicas e negativas.
  • Apresentam baixo desempenho acadêmico ou fracasso escolar.
  • Mostram crueldade e instabilidade emocional.
  • Usam a agressividade como uma maneira de resolver conflitos e problemas. 
  • Não têm capacidade de autocrítica.
  • Respeitam o comportamento agressivo.
  • Internalizam comportamentos ilícitos e antissociais.
  • Não têm sensibilidade diante do sofrimento dos outros.
  • Perdem a empatia pelos outros.

Além disso, à medida que essas crianças vão crescendo, elas caem em outros desequilíbrios sociais, tais como vandalismo e consumo de álcool ou outras substâncias. Da mesma forma, é provável que se tornem futuros abusadores (com o parceiro, com os filhos etc.) ou criminosos agressivos.

Portanto, é importante detectar e prevenir o bullying, de tal forma que sejam realizadas atividades na escola nas quais sejam promovidas as capacidades de empatia, conscientização e respeito dos alunos em relação à diversidade das pessoas, das suas necessidades, características e interesses.

Tudo isso para que os possíveis agressores e seus colegas de classe que atuam como testemunhas tomem consciência do problema do bullying escolar, tentando fazer com que repudiem e condenem tais ações.

  • Garaigordobil, M. (2011). El maltrato entre iguales: definición, prevalencia, consecuencias, identificación e intervención. San Sebastián: Universidad del País Vasco.
  • Schwarz, A. (2013). El libro del bullying. Madrid: Alianza.
  • Trautmann, A. (2008). Maltrato entre pares o” bullying”: Una visión actual. Revista chilena de pediatría, 79(1), 13-20.