Características das crianças com apego desorganizado

· 18 de março de 2018
Descubra a seguir como são as crianças com apego desorganizado. Você vai perceber que há muito mais casos do que se imagina.

Infelizmente há uma elevada porcentagem de crianças que são ou foram vítimas de maus-tratos. Os traumas e o estresse crônico, decorrentes de tais situações as levam a desenvolver uma conduta disfuncional que é conhecida como apego desorganizado.

Caracteriza-se por um medo crônico e intenso que faz com que a criança evite se relacionar com os pais ou cuidadores e também com que resistam a permanecer na presença dessas pessoas. Por conseguinte, quando são obrigadas a fica junto com tais pessoas, elas se sentem confusas e atordoadas.

O apego desorganizado, assim como seu nome indica, é consequência de experiências traumáticas de grande intensidade para a criança, que “desorganizam” seu desenvolvimento social e as deixam vulneráveis.

crianças com apego desorganizado

Em outras palavras, o apego desorganizado é um conjunto de sintomas de mal-estar emocional.

Características das crianças com apego desorganizado

As crianças com apego desorganizado têm dificuldades para controlar as emoções, assim como para se relacionar com outras pessoas, inclusive da sua idade.

  1. Apresentam condutas discordantes na maior parte do tempo. Isso que dizer que a criança é capaz de buscar contato físico e, logo em seguida, evitá-lo por completo.
  2. Elas se expressam de maneira desordenada e redundante ao falar sobre um mesmo tema.
  3. As crianças com apego desorganizado podem manifestar ansiedade ao se separar dos pais.
  4. Elas têm tendência a se movimentar de forma descoordenada e, em situações de terror, podem ficar completamente paralisadas.  Ou seja, ficam petrificadas.
  5. As crianças com apego desorganizado apresentam grande suscetibilidade em relação à figura paterna, às vezes com expressões fisionômicas acentuadas.
  6. Elas ficam frequentemente desconcertadas, mostrando falas difusas.
  7. Sentem que seu espaço pessoal é invadido com facilidade.
  8. Sofrem de estresse pós-traumático.
  9. Podem desenvolver transtornos associativos, de memória e atenção.
  10. Não têm interesse de explorar o meio em que vivem, são cheias de incertezas e o medo as paralisa quando vivem novas experiências.
  11. Costumam desenvolver vários medos e, inclusive, fobias.
  12. Elas se mantêm em um estado de hipervigilância porque consideram que devem estar permanentemente em alerta para fugir de uma possível agressão.

No que diz respeito à mãe:

Afetos incorretos

As crianças com apego desorganizado manifestam contradições. Por exemplo, podem pedir um abraço para a mãe e, logo em seguida, pedir para que ela se afaste.

Nessas situações, as crianças ficam desesperadas porque não sabem ao certo o que querem. Por essa razão, ficam muito preocupadas quando precisam responder o que querem.

Desorientação

  • A criança com apego desorganizado se sente confusa ou se assusta com o comportamento da mãe.
  • Ela se mostra desorientada em todas as coisas que faz. Ou seja, a criança não coordena suas ações.
  • A desorientação ocorre no momento em que a mãe debocha da criança ou a incomoda.

Essas crianças tendem a ser muito volúveis. Por isso é essencial ser paciente com elas e tratá-las com afeto e respeito.

Retraimento nas crianças

A mãe cria uma distância afetiva considerável entre ambos. Isso é uma característica dos pais das crianças com apego desorganizado.

Ao se sentirem incompetentes, preferem se distanciar.  Por exemplo, a mãe decide cumprimentar seu filho sempre à distância. Sem se aproximar.

Comportamentos aleatórios e alternados

As crianças com apego desorganizado podem ser muito retraídas, ao ponto de desejarem ser invisíveis para o mundo. Por outro lado, podem ter explosões de raiva.

É preciso se lembrar de que os comportamentos delas são aleatórios e pouco adequados às circunstâncias. Ela não sabem como conseguir afeto e isso as leva a se expressar de várias maneiras.

crianças com apego desorganizado

A autoestimulação

As crianças com apego desorganizado recorrem à autoestimulação através de socos ou movimentos com a cabeça. A razão disso? Com esses movimentos, elas buscam, de forma inconsciente, diminuir a dor psicológica.

Com o passar do tempo, chegam a criar seu próprio mecanismo de defesa. Elas se esforçam para esconder as lembranças dolorosas para deixar vir à tona apenas as lembranças positivas que têm com seus pais. Essas lembranças, na maioria dos casos, são idealizadas.

Não pedem ajuda aos pais

As crianças com apego desorganizado não pedem ajuda dos pais quando têm algum problema porque não se sentem à vontade para fazer isso. Essa atitude pode levá-las a chorar escondido, perambular por lugares sem rumo algum, longe dos pais, dos problemas e de si mesmas.

Essas crianças precisam de ajuda profissional para poderem desenvolver um vínculo saudável com seus pais ou cuidadores, de acordo com o caso específico.