Ciúmes entre irmãos: o rei da casa não está mais sozinho

24 Outubro, 2017
 

A chegada de um novo irmãozinho sempre muda o ritmo habitual da vida familiar. É importante saber que o ciúmes entre irmãos, e especialmente o ciúmes que o irmão mais velho sente do menor, é um sentimento natural e normal que, de início, não deve preocupar os pais.

Durante a fase do descobrimento dos outros acontece o processo de aceitação. Nesse momento a criança precisa integrar os diferentes papéis dos membros da família, fundamentalmente dos pais, mas também de outros possíveis componentes que vão ser somados com o tempo.

Por que o ciúmes entre os irmãos acontece?

O ciúmes fraternal surge quando o vínculo emocional e afetivo que até então unia um filho com seus pais se vê ameaçado pela chegada de um estranho, que precisa de mais atenção e mais cuidados. Além disso, quando as crianças são pequenas elas não têm consciência do que acontece e, em muitos casos, não são capazes de controlar esse sentimento.

O ciúmes entre irmãos aparece de maneira espontânea. É preciso que os pais tratem o filho com naturalidade, sem proteger em excesso, mas também sem deixar de prestar atenção nele, achando que vai conseguir superar esse momento sozinho, de maneira que o ciúmes não acarrete problemas mais graves.

Fazer xixi nas calças, não comer sozinho, pedir a chupeta ou a mamadeira de volta, ou querer passar o máximo de tempo possível com os pais são alguns dos comportamentos característicos que o ciúmes entre os irmãos provoca.

“Eu já estava aqui antes”

 

A criança percebe que o tempo que  os pais antes costumavam dedicar exclusivamente a ela, agora foi reduzido. A maneira por meio da qual a criança tenta recuperá-lo é com constantes chamadas por atenção. É comum que nessa fase as crianças voltem a colocar em prática comportamentos agressivos já superados e que, em breve, vão desaparecer.

menino chateado e com ciúmes do irmão

Para isso é aconselhável levar em consideração as seguintes recomendações:

  • Não corrigir as chamadas por atenção dos filhos. A criança deve perceber sozinha que essa atitude não faz a situação voltar a ser como antes. Quanto antes ela compreender que se comportar como filho mais velho tem mais vantagens do que se comportar como um bebê, mais rápido vai deixar de se comportar assim.

Dar muita atenção aos comportamentos que geram ciúmes entre irmãos, ou tentar remediar a situação pode fazer essa fase ficar mais longa. Não podemos nos esquecer de dar um bom exemplo aos nossos filhos, além de transmitir segurança e equilíbrio.

  • É positivo dedicar um tempo para conversar e brincar com o filho mais velho, como fazíamos antes. Na medida do possível, os pais devem, todos os dias, passar um tempo sozinhos com o filho mais velho. Dessa maneira ele vai compreender que também continua sendo importante para eles.
 
  • Reconhecer as coisas que ele faz corretamente, para estimular a continuidade dessas práticas. A autoestima da criança vai aumentar se ela perceber que suas boas qualidades agradam os pais. Para isso, é preciso evitar comparações de qualquer tipo com o irmão mais novo.

O papel dos pais é fundamental para fazer a criança perceber que dividir a figura de apego não significa perdê-la

O novo irmão veio para ficar

É importante demonstrar o mesmo afeto e carinho pelos seus filhos, de maneira que o primogênito saiba que, embora o bebê precise de mais dedicação, ele pode gozar de outras concessões e permissões por ser mais velho.

A criança pode participar dos cuidados do bebê: buscar a chupeta ou as fraldas, ou ajudar a ninar o bebê, é uma maneira de fazer o filho mais velho se sentir útil. A criança vai sentir que ela é necessária para que tudo funcione bem na casa. Além disso, é importante deixar que a criança demonstre seu carinho pelo recém-chegado. Ela pode querer abraçar o irmão, ou mostrar aos colegas de classe a novidade em casa.

menino com irmão mais novo no colo, beijando-o

Chega a hora de aprender a dividir

Não apenas o tempo, mas também os brinquedos e tudo o que faz parte da casa. O sentimento de posse agora vai aumentar mais ainda. É o momento, então, de explicar com carinho que tudo o que está ao redor da criança não lhe pertence exclusivamente, e que seu novo irmãozinho tem os mesmos direitos e condições. Aprender isso em casa também vai ajudar a saber dividir e conviver com os outros colegas, principalmente na escola.

 

Fique tranquila, porque nem todas as mudanças que essa nova situação acarreta são negativas para o seu filho. Em pouco tempo os dois vão se tornar inseparáveis. Você pode explicar com muita paciência ao seu filho mais velho, que em breve seu irmãozinho vai crescer e eles vão poder brincar juntos. O irmão mais novo, com toda certeza, vai se tornar seu novo melhor amigo.