Clamídia durante a gravidez

· 10 de novembro de 2018
A clamídia durante a gravidez é mais comum do que parece. Inclusive, você pode padecer dela sem saber. Por isso, vamos falar um pouco mais sobre esta infecção bacteriana.

Muitas mulheres sofrem de clamídia durante a gravidez, já que esta doença é quase assintomática. Por essa razão, é melhor ter um diagnóstico precoce.

Caso o resultado seja positivo, é conveniente tratá-la a tempo para evitar danos durante a gravidez, de modo a não infectar o bebê durante o nascimento.

O que é a clamídia?

Trata-se de uma infecção bacteriana transmitida através de relações sexuais. Cerca de 75% das mulheres não apresentam sintomas imediatos, mas mesmo assim é potencialmente prejudicial.

Estima-se que existam quase 3 milhões de pessoas infectadas com clamídia. Isso significa que é uma das doenças sexualmente transmissíveis mais comuns.

Entre as mulheres de 25 e 19 anos de idade, há uma alta incidência de contágio.

Quais os efeitos da clamídia durante a gravidez

As mulheres com clamídia na gravidez podem ter infecções no líquido amniótico, ruptura prematura da membrana e parto prematuro.

Além disso, essa bactéria é causadora da salpingite, uma doença pélvica que inflama as tubas uterinas.

Por outro lado, também produz endometrite. Isto é, inflamação do endométrio.

As mulheres com clamídia são suscetíveis a outras doenças sexualmente transmissíveis, como o vírus da imunodeficiência humana. Ademais, também têm um alto risco de infecção uterina após o parto.

Vale lembrar que outra complicação causada pela infecção não tratada é a infecção das feridas decorrentes do parto ou a cesárea.

Uma infecção por clamídia não tratada aumenta a possibilidade de contagiar o bebê durante o parto.

Clamídia durante a gravidez

Riscos da clamídia no nascimento do bebê

Se a clamídia não for tratada antes do parto, o bebê correrá risco de infecção pelo canal vaginal. Isso causará doenças e danos aos tecidos do corpo.

Ao ser infectado, o bebê sofre uma infecção ocular que se chama conjuntivite de inclusão do recém-nascido. Isso pode causar grave desconforto e requer tratamento médico.

Outro risco para o bebê é a pneumonia, que representa uma complicação séria e perigosa e merece cuidado médico imediato. Vale lembrar que essa condição se manifesta após as 4 semanas de idade.

“Cerca de 75% das mulheres que sofrem de clamídia durante a gestação não apresentam sintomas imediatos, mas mesmo assim é potencialmente prejudicial”

Como saber se você está com clamídia durante a gravidez?

Embora a grande maioria não tenha sintomas, se você corre um alto risco de ter essa infecção ou se suspeita que a tenha, consulte seu médico imediatamente.

Geralmente, os sintomas aparecem uma ou duas semanas após a infecção. Alguns sinais são:

  • Ardor e incômodo ao urinar.
  • Dor ao ter relações sexuais.
  • Inflamação do colo do útero ou cérvix.
  • Aumento de corrimento vaginal.
  • Por vezes, perda de sangue, secreções liberadas pela uretra e dor na parte inferior da pelve.

A gestante deve fazer o exame na primeira consulta com o médico. Mais tarde, o especialista coleta uma amostra do colo do útero ou da urina, que é analisada em laboratório.

Caso dê positivo, serão realizados outros exames para detectar qualquer outra doença sexualmente transmissível.

Tratamento para clamídia durante a gravidez

Posto isso, o tratamento da clamídia durante a gravidez se baseia em antibióticos. É claro que é o especialista quem os prescreve, dependendo da localização da lesão e do tipo de paciente.

Geralmente, são administrados em uma única dose e um único tratamento é suficiente. Além disso, o casal também deve receber tratamento ao mesmo tempo.

Por outro lado, é preciso evitar relações sexuais até 15 dias após o tratamento para evitar novas infecções.

Em seguida, os médicos aconselham a realização de novos exames em 3 ou 4 semanas após a conclusão do tratamento.

Clamídia durante a gravidez

Tratamento natural para curar a clamídia

Optar por tratamentos com ervas é uma boa decisão. Estas são algumas das mais usadas:

Própolis

Trata-se de um dos antibióticos naturais mais eficazes. É usado principalmente para tratar infecções causadas por vírus, fungos e bactérias.

Isso significa que tem a propriedade de aliviar a dor e reduzir a inflamação causada pela doença.

Tome 5 gotas de própolis de 3 a 5 vezes ao dia. Se você quiser maior eficácia, deve usá-lo diretamente, mas sem base alcoólica. Você também pode diluir algumas gotas em água e lavar a área afetada.

Óleo essencial de tea tree

É um potente antifúngico e antibacteriano. Além disso, absorve odores, favorece a regeneração das células e reduz a inflamação.

Destinado ao uso tópico, pode ser combinado com óleo de orégano e suplementado com tratamento oral.

Em suma, se você sofre de clamídia durante a gravidez, tome as medidas indicadas o mais rápido possível para curar essa doença.

Dessa forma, você terá um parto feliz e evitará complicações para seu filho.