Com o nascimento de uma criança nasce também a paciência

26 Julho, 2018
Quem nunca teve dias em que as 24 horas pareciam poucas e não eram o suficiente? Depois do nascimento do seu filho você aprende que a calma e a espera são qualidades que agregam ao seu caráter.
 

Com o nascimento de uma criança nasce também a paciência. Uma das características de uma boa mãe é a calma que ela tem com o seu filho. Se antes do nascimento a mamãe estava sempre ansiosa com o canto do olho colado ao relógio, uma vez que dá a luz a calma e a serenidade são suas novas companheiras.

A impaciência e o estresse impostos pela vida cotidiana, ou ainda que são resultados da competição da vida tanto por querer alcançar metas pessoais quanto por desejar crescer no âmbito profissional, de repente são freados com o nascimento de uma criança e deixam de ter sentido.

Uma mulher que se torna mãe aprende que não precisa ter pressa na criação de um bebê. Ela aprende que é uma dádiva poder desfrutar cada um dos momentos que são vividos ao seu lado.

A maternidade dá esses presentes:

  • A oportunidade de participar na educação e na formação de outro ser humano
  • Sentir em primeira mão o que realmente é o amor à primeira vista e o sacrifício a qualquer preço
  • Renascer como uma nova mulher mais preparada, mais justa e mais tolerante. A mulher até pode ter um jeito muito inflexível, mas com o passar dos meses começa a aprender a aceitar o comportamento, a maneira de ser, pensar e até mesmo as travessuras de seu pequeno. E se sente feliz com tudo isso.
nasce também a paciência
 

A paciência de uma mãe é o bem-estar cognitivo e emocional para o seu filho

A paciência é a atitude e a aptidão humana que dá base para a tolerância. Graças a ela, outra pessoa é capaz de aceitar ou pelo menos lidar com qualquer tipo de coisa, pessoa ou situação com que se depare. Mesmo assim, a paciência de uma mãe é diferente daquela que qualquer outro ser pode ter.

Quando uma mãe é paciente com seu filho, ela também está oferecendo o seu amor incondicional. Com a sua linguagem corporal uma mãe diz ao seu filho que ela pode esperar; que está tudo bem que ele tome o seu tempo para desfrutar o leite, as brincadeiras, observar com atenção qualquer objeto, ou terminar as suas conversas engraçadas que fazem o tempo todo, metade balbucio e metade palavras inventadas.

Uma criança precisa fazer as coisas no seu tempo para poder assimilar passo a passo tudo o que está ao seu redor. Ela precisa aprender do seu próprio jeito e não se sentir pressionada enquanto está envolvida num processo de aprendizagem completo. Esse processo inclui também imitar o comportamento e a linguagem articulada dos adultos de sua espécie.

Uma criança não entende as frases “temos que nos apressar”, “faça isso rápido”, “está acabando o tempo” ou “está ficando tarde”. Para ela, o importante é saciar a sua curiosidade e aproveitar de alguma forma o tempo que vive para aprender alguma coisa.

nasce também a paciência
 

Felizmente, uma mãe de verdade sabe disso. Ela espera que o seu filho toque a blusa para sentir como é a sua textura, que experimente para saber como é o gosto, e que fale com as flores de cores chamativas para ver o que elas respondem.

Uma criança precisa que os outros a esperem, para que tenha tempo suficiente de aprender, completar assimilações e fazer reafirmações importantes no seu processo de aprendizagem. Ela tem a capacidade de capturar e decodificar a informação oferecida pelo seu entorno quando se encontra em um ambiente calmo.

Essa criança sabe que é amada, desejada e aceita devido à paciência que a sua mãe tem. Nessas situações, também são encontrados o reconhecimento e a valorização de uma pessoa. Esses valores começam a formar uma criança emocionalmente forte e com autoestima elevada.

Com o nascimento de uma criança nasce também a paciência

Uma mãe sabe que se não tivesse contado com a paciência mais de uma vez, já teria perdido a cabeça. Porque criar uma criança pode ser tarefa desgastante. Uma mãe sabe que tem a paciência ao seu lado para ajudá-la nos momentos mais difíceis: durante as noites sem dormir ou nos piores ataques de birras. Ela sabe que a paciência sempre estará lá, porque a de uma mãe é infinita.