Como a ausência dos pais afeta as crianças?

23 de junho de 2019
A figura dos pais é essencial para os pequenos. Consequentemente, se acontece algo inesperado que resulta na ausência dos pais, os filhos são os primeiros a serem prejudicados.

Um adolescente se beneficia com um relacionamento saudável com os dois pais, mas às vezes as circunstâncias podem impossibilitar que ambos os pais participem. Portanto, neste artigo, vamos ver como a ausência dos pais afeta as crianças.

Uma morte, um divórcio ou outro evento desagradável pode deixar um adolescente sem um dos pais. Se isso acontecer, é necessário saber lidar com os efeitos emocionais que a criança pode apresentar. Assim, os efeitos a longo prazo de uma família com somente um dos pais podem ser aliviados.

Como a ausência dos pais afeta as crianças?

Os pais são uma fonte de conforto e calor para os filhos. Com um ou ambos os pais ausentes, o adolescente pode ficar privado da atenção necessária.

As crianças que não têm um ou os dois pais em casa podem sofrer e sentir que não têm todo o apoio de que necessitam, seja a figura do pai ou da mãe.

Para ocultar essa vulnerabilidade e querer compensá-la, alguns jovens podem tornar-se agressivos com a intenção de intimidar os outros antes de serem as próprias vítimas. No entanto, também é verdade que nem todas as crianças sofrem os efeitos da mesma maneira.

Problemas relacionados à ausência dos pais

A ausência dos pais pode ser complicada para as crianças. Nesses casos, podem aparecer problemas como os seguintes:

1. Relações problemáticas

Quando um adolescente perde um dos pais, indiretamente afeta o seu relacionamento com os outros. Uma consequência predominante são as relações problemáticas.

Possivelmente, o adolescente desenvolverá uma autoimagem pobre e se tornará cada vez mais ressentido, além de temer maior abandono.

A ausência de pais de crianças pode gerar sérios problemas emocionais.

2. Efeitos cognitivos

As famílias monoparentais são mais propensas a ter adolescentes com habilidades cognitivas mais baixas, de acordo com um estudo no The Journal of Human Resources.

Às vezes, um fator que contribui para o declínio da cognição em adolescentes que têm um dos pais ausentes é a menor participação dos adultos na sua educação. Uma maneira de combater essa situação é encontrar apoio através da participação da comunidade ou da família.

3. Problemas de agressividade

Um adolescente que não tem um pai pode estar lidando com o ressentimento, que pode se manifestar em forma de agressão. A influência dos pais nos primeiros anos de uma criança ensina a lidar melhor e ter ações apropriadas, em vez da agressividade.

Quando um dos pais está ausente, essas lições podem passar despercebidas. Assim, ao chegar na adolescência, é mais provável que os jovens sejam incapazes de lidar adequadamente com sua própria agressividade.

Famílias monoparentais são mais propensas a ter adolescentes com menor capacidade cognitiva

4. Ansiedade

A criança pode ser mais propensa a episódios de ansiedade. Isso porque um adolescente sem mãe não teve a intimidade e a proximidade que um relacionamento saudável proporciona com essa figura de apego.

Junto com a hiperatividade, os problemas de ansiedade estão relacionados à separação materna. Para os adolescentes, isso pode causar problemas no desempenho escolar.

5. Rendimento escolar

Uma estrutura familiar normal tem um impacto positivo no rendimento escolar do adolescente. Os pais incentivam os seus filhos a melhorarem na escola, enquanto os adolescentes permanecem motivados pelo desejo de fazer com que os adultos sintam orgulho deles.

Com os pais ausentes, os adolescentes perdem o seu principal fator motivacional e, portanto, se preocupam menos com as notas que obtêm na escola.

A ausência dos pais tem consequências principalmente nas crianças.

6. Drogas e abuso de álcool

Adolescentes com pais ausentes são mais propensos a desenvolver dependência de drogas ou a consumir álcool antes de atingir a idade permitida. Por não ter alguém próximo para controlá-los, eles começam a ser responsáveis por sua liberdade. Como consequência, nem sempre a usam corretamente.

De fato, a pesquisa mostrou que a ausência dos pais aumenta o risco de as crianças beberem e fumarem antes mesmo de se tornarem adolescentes.

Finalmente, lembre-se de que a ausência dos pais pode ter um impacto maior sobre as crianças menores. No entanto, nem todas as crianças são iguais e, por isso, não serão afetadas da mesma maneira.

Nesses casos, o mais importante é prestar atenção e oferecer carinho, além de estar sempre presente para ouvir as suas preocupações.

  • Lang, K., & Zagorsky, J. L. (2001). Does Growing up with a Parent Absent Really Hurt? The Journal of Human Resources. https://doi.org/10.2307/3069659