Como educar crianças com hiperatividade?

23 de julho de 2018
Ter um filho hiperativo é, sem dúvidas, um trabalho que requer muita paciência, amor e tolerância. Especialmente, durante os primeiros anos.

Quando somos mães e temos um pequeno com muita energia armazenada no corpo, surgem muitas perguntas na nossa mente. Entre elas: como educar uma criança hiperativa? Neste artigo, oferecemos algumas orientações do que você precisa saber sobre esse transtorno. Descubra!

A primeira coisa que você deve saber é que a hiperatividade é produzida por uma “encefalite letárgica”. Esse fenômeno acontece no cérebro de algumas crianças e produz altos níveis de atividade motora.

Algumas estatísticas apontam que entre 40 e 50% das crianças que apresentam essa condição têm alguma dificuldade de aprendizado.

As crianças hiperativas nunca ficam paradas. O problema está no fato de que é difícil fazer com que essas crianças se interessem por uma única atividade durante algum tempo. Por isso, para elas, atingir um estado prolongado de concentração é um feito muito grande.

Se esse for o caso do seu pequeno, o ideal é procurar a avaliação de um médico especialista no assunto. Ele vai poder auxiliar durante essa fase complexa.

A criança hiperativa tem seus níveis de intensidade motora aumentados quando está com outras pessoas e diminuídos quando está sozinha.

Como saber se meu filho tem hiperatividade?

criança hiperativa

Existem algumas características que podem nos ajudar a identificar se nosso filho é realmente uma criança hiperativa:

  • Nós sabemos que qualquer criança tende a ser um pouco inquieta. Porém, as crianças que apresentam esse transtorno costumam ser impulsivas e teimosas. Além disso, elas têm pouca resistência para ficar sentadas e apresentam falta de atenção, entre outros sintomas.
  • Toda criança é diferente uma da outra. Por isso, não é imperativo que todas apresentem os mesmos sintomas. Pode ser que seu filho apresente somente alguns.
  • Um aspecto que chama atenção tem a ver com as mudanças bruscas nas emoções. Em geral, podemos observar com clareza as características da hiperatividade quando nosso filho está rodeado de pessoas.
  • A criança hiperativa tem seus níveis de intensidade motora aumentados quando está com outras pessoas e diminuídos quando está sozinha.
  • A falta de concentração será o principal obstáculo.

Como educar uma criança hiperativa?

Essa pergunta aparece sempre que os pais descobrem que o pequeno da casa apresenta essa condição. Para começar, devemos ser sinceras e assumir que essa não será uma tarefa fácil.

  • Para ajudar a criança, devemos deixar claras as regras da casa. Além disso, devemos estabelecer horários fixos para que ela possa cumprir com suas atividades e seus deveres diários.
  • Determinar o que a criança gosta de fazer vai ser fundamental para que ela consiga se distrair. Brincar, pintar, dançar e nadar são soluções ideais. O importante é estabelecer um tempo determinado para cada tarefa.
  • Se você tem consciência da realidade do seu filho, não contribua para que certas atitudes sejam vistas como um fracasso. A ideia é não frustrá-lo.
  • Não é necessário submeter seu filho a eventos que exigem longos períodos de tempo de tranquilidade. Como, por exemplo, cerimônias ou reuniões de “pessoas mais velhas”. É fundamental educar as crianças com respeito e disciplina.
  • Um aspecto que como mamães costumamos não prestar atenção e que têm influência direta na evolução desse transtorno é a alimentação. É preciso evitar todos os alimentos que contêm glúten. Muitos pacientes com esse tipo de problema apresentam intolerância tanto a essa proteína quanto à lactose.
  • Todas as guloseimas, os chocolates, os refrigerante e, inclusive, os corantes devem ser evitados na dieta do pequeno. Esses alimentos são geradores de energia, algo que as crianças hiperativas têm de sobra. Com isso, você vai evitar aumentar os padrões de hiperatividade do seu filho.]
criança hiperativa

Hiperatividade e déficit de atenção

Ter um filho com transtorno de hiperatividade e déficit de atenção (TDAH) é algo que precisa ser trabalhado conjuntamente com os pais, o médico e os professores.

  • É preciso estar em permanente comunicação com os professores para saber sobre os progressos e os desafios da criança durante o processo de aprendizado escolar.
  • A comunicação é vital, já que como mães devemos apoiar a criança em todos os momentos. Evitar os castigos inapropriados é fundamental.
  • Todos são diferentes, por isso o tratamento deve ser personalizado. Ver o lado positivo das coisas vai nos ajudar a lutar contra qualquer adversidade.
  • Conversar com nosso filho e explicar a realidade vai fazer com que ele entenda porque é uma criança especial.Como mamães devemos viver cada momento dessa linda oportunidade.
  • Ficar deprimidas não será permitido quando temos ao nosso lado um pequeno com muita energia para viver.

Quando achamos que vamos desistir, devemos sempre pensar que há pessoas dispostas a nos ajudar. Lembre-se de que a força para continuar está exatamente nos nossos pequenos.