Como as dietas afetam a fertilidade: quais alimentos a favorecem?

8 de julho de 2019
Uma dieta rica em certos nutrientes pode favorecer a fertilidade ao tentar engravidar. Isso se aplica tanto às mulheres quanto aos homens. Saber como as dietas afetam a fertilidade pode fazer a diferença entre conseguir ter um bebê ou não.

Quando alguém está tentando engravidar, ter uma alimentação balanceada se torna muito importante. Por isso, você aprenderá aqui como as dietas afetam a fertilidade.

Ter problemas de estresse, excesso de peso, distúrbios hormonais ou defeitos no sistema reprodutivo são apenas alguns dos aspectos envolvidos na fertilidade. Além da relação entre dieta e fertilidade, você também encontrará algumas recomendações para melhorar a sua dieta a seguir.

Como as dietas afetam a fertilidade?

Ter uma alimentação saudável hoje em dia é complicado. Primeiramente porque os alimentos, ao serem processados, perdem grande parte dos seus nutrientes naturais. Um exemplo disso são os alimentos refinados.

Além disso, a agricultura a nível industrial acrescenta certos produtos químicos às lavouras, como os pesticidas, por exemplo, que acabam alterando o organismo, em particular o sistema hormonal.

Portanto, é muito provável que existam poucos ou nenhum alimento realmente nutritivos na sua dieta. Isso, por si só, já é uma primeira indicação clara de como as dietas afetam a fertilidade.

Recomendações para melhorar a fertilidade com a alimentação

Comer de forma saudável deve ser um estilo de vida para todas as pessoas, principalmente para a mulher que quer engravidar. Nas próximas linhas, apresentaremos algumas diretrizes nutricionais que você pode usar para garantir uma excelente função reprodutiva.

Alimentos com baixo teor de gordura

Consuma alimentos de todos os grupos, tomando cuidado para que eles sejam ricos em nutrientes. Uma excelente alternativa são os vegetais, que têm um alto valor nutritivo e baixo teor de gordura.

Ácido fólico

Um déficit de ácido fólico aumenta a possibilidade de um aborto espontâneo, bem como de que o bebê nasça com deficiências. É por isso que é muito importante ter reservas desse nutriente no corpo antes de engravidar.

Recomendações para melhorar a fertilidade com a alimentação

Ômega

Esses ácidos graxos estão presentes em alguns vegetais e peixes, tais como o salmão, a sardinha e o atum. Eles são fundamentais para os processos de ovulação, então a sua influência na concepção é mais do que clara.

Vitaminas e minerais para a fertilidade

As vitaminas e os minerais são essenciais para a vida de todas as pessoas. No entanto, quando se trata de uma gravidez, são ainda mais, uma vez que o organismo deve estar preparado para sustentar a vida de dois seres ao mesmo tempo durante 9 meses.

Para isso, alguns alimentos que estão cheios de vitaminas e minerais serão mostrados a seguir:

Vitamina A

Tanto a vitamina A quanto os betacarotenos asseguram que as mucosas do corpo funcionem adequadamente. Entre essas mucosas está a mucosa uterina, que é o lugar onde o óvulo fertilizado deve ser implantado. Ela também intervém no período menstrual.

Vitamina C

As frutas e os vegetais são uma fonte de vitamina C, pois possuem propriedades antioxidantes. No homem, a deficiência de vitamina C provoca a diminuição da fertilidade espermática.

Vitamina E

Esse nutriente, encontrado em óleos vegetais, tais como o azeite de oliva ou as oleaginosas, contém um poderoso antioxidante. Além disso, fornece proteção aos tecidos contra agentes externos ao corpo e combate os radicais livres e outras toxinas do ambiente.

“Aprender como as dietas afetam a fertilidade é fundamental, pois assim você pode estar preparada para qualquer inconveniente que possa surgir”.

Cálcio

É muito importante aumentar o consumo de cálcio. Ele pode ser encontrado em frutas, vegetais, alimentos derivados do leite, peixes, feijão e alimentos fortificados.

Ferro

O ferro é um nutriente essencial para as mulheres que querem engravidar, por isso é indispensável incluí-lo na dieta. Isso deve ser feito com o objetivo de prevenir problemas tanto antes da concepção quanto durante a gravidez, como a anemia.

Você pode encontrá-lo em carnes, legumes, peixes, oleaginosas, ovos e hortaliças, como o espinafre, por exemplo.

Zinco

O zinco é um nutriente essencial, que afeta a fertilidade e a ovulação. Consumir alimentos que são fonte de zinco ajudará a retardar o envelhecimento celular e folicular. Por esse motivo, as suas chances de engravidar vão aumentar.

No entanto, uma carência dele pode causar diferentes complicações, tais como aborto espontâneo, distúrbios do crescimento e até mesmo malformações genéticas.

Evite café, tabaco e álcool para melhorar a fertilidade

Evite café, tabaco e álcool

Por fim, ao falar sobre como as dietas afetam a fertilidade, é importante esclarecer que consumir grandes quantidades de café é prejudicial. Se você tiver dificuldade para largar o café de vez, então opte por reduzir o seu consumo a um máximo de duas xícaras por dia ou tente tomar café descafeinado.

Da mesma forma, o álcool e o tabaco são prejudiciais à saúde e afetam a fertilidade de forma negativa. Portanto, certamente é melhor evitá-los.

Aprender como as dietas afetam a fertilidade é fundamental, pois assim você pode estar preparada para qualquer inconveniente que possa surgir.

Lembre-se de que um excesso ou um déficit de vitaminas pode interferir tanto na sua fertilidade quanto na do seu parceiro. Leve essas recomendações a sério e, assim, em breve você estará feliz por estar grávida.

  • Shmerling, R; Shmerling, A. (2018). Fertility and diet: is there a connection? Harvard Health Publishing. Harvard Medical School. [En línea] Disponible en: https://www.health.harvard.edu/blog/fertility-and-diet-is-there-a-connection-2018053113949
  • Panth, Neelima et al. “The Influence of Diet on Fertility and the Implications for Public Health Nutrition in the United States” Frontiers in public health vol. 6 211. 31 Jul. 2018, doi:10.3389/fpubh.2018.00211
  • Shekhar, Anuradha. (2016). Effect of Diet and Nutrient Intake on Women Who Have Problems of Fertility. International Journal of Pure and applied Bio sciences. 4. 198-204.