Como as mudanças climáticas afetam a gravidez

· 18 de outubro de 2018
As mudanças climáticas podem aumentar o risco de contágio de várias doenças. Portanto, é essencial que a mãe tome as medidas preventivas adequadas para evitar o contágio de doenças que têm mais risco devido a esses fatores externos.

Parece difícil acreditar que as mudanças climáticas na gravidez possam influenciar, mas elas podem ser prejudiciais para o desenvolvimento adequado do bebê.

Isso acontece porque o clima pode ter vários efeitos em nosso corpo e saúde. O estágio de gestação não é uma exceção. Quais são os riscos envolvidos? Estes são alguns dos efeitos mais comuns.

Efeitos das mudanças climáticas na gravidez

Mudanças climáticas na gravidez podem fazer com que eventos extremos de calor sejam mais frequentes e graves, o que pode causar desidratação e insuficiência renal durante a gestação.

Caso isso aconteça no início da gravidez, pode afetar o desenvolvimento do bebê. Caso aconteça mais tarde, pode provocar parto prematuro e baixo peso no nascimento.

Por outro lado, existem também outros riscos que são produzidos pela própria interação com o ambiente em que vivemos.

Estas são as consequências mais frequentes das mudanças climáticas:

  • A poluição do ar pode causar doenças respiratórias em mulheres grávidas.
  • Além disso, as mudanças climáticas podem piorar a qualidade do ar devido às altas temperaturas, que favorecem a formação da camada de ozônio.
  • Mudanças climáticas aumentam a intensidade dos furacões e chuvas. Por isso, as enchentes são mais frequentes. Como consequência, elas aumentam a exposição a toxinas e mofo.
  • A qualidade dos alimentos pode ser afetada devido à contaminação. Isso pode causar problemas estomacais em mulheres grávidas.
  • Os desastres naturais podem afetar gestantes e mulheres que tiveram um parto recente, gerando nelas um estresse muito severo. Consequentemente, podem provocar partos prematuros.
mudanças climáticas

Doenças causadas por mudanças climáticas

As mudanças climáticas na gravidez podem ser realmente perigosas.

Existem muitas doenças que podem acontecer como resultado desses fenômenos naturais, que certamente são realmente inevitáveis.

No entanto, é necessário estar atentos a qualquer sintoma de qualquer uma destas doenças.

Febre do Vale do Rift

Conforme indicações da Organização Mundial da Saúde (OMS), é uma zoonose viral que afeta principalmente os animais, mas também pode atingir os seres humanos.

O vírus geralmente é transmitido através da picada do mosquito, que com o aparecimento de chuvas tende a se espalhar mais rapidamente.

Gripe aviária

As épocas de chuva e seca não respeitam uma regra, mas costumam mudar de ritmo. Isso significa que não se sabe quando começará a temporada de chuva ou de seca.

Isso influencia diretamente os movimentos das aves e seu curso natural, o que faz com que a gripe aviária se propague.

Cólera

É comumente conhecida como “a doença dos pobres”, que se produz pela bactéria “Vibrio cholerae”. Geralmente, é transmitida através da água e alimentos contaminados.

Nesse sentido, o aumento generalizado da água tem como consequência o aumento na disseminação da doença.

“Os incêndios florestais tendem a gerar mais poluição e, consequentemente, mais disseminação de doenças”

Febre amarela

As mudanças de temperatura e chuvas propagam a chegada desses insetos, que infectam por meio de suas picadas.

Atualmente existe uma vacina para prevenir a infecção, mas tudo irá depender do que o médico responsável recomendar.

O mais recomendável é não visitar regiões em que haja uma probabilidade maior de infecção.

Parasitas intestinais

Estes parasitas são transmitidos em ambientes aquáticos. Por isso, as mudanças no nível do mar e de temperaturas permitem que sobrevivam por mais tempo, o que faz com que a infecção se espalhe ainda mais.

mudanças climáticas

Doença de Lyme

Esta bactéria é transmitida através de picadas de carrapatos, assim como outras que se propagam da mesma maneira.

Por essa razão, o aumento nas temperaturas torna possível que os carrapatos sobrevivam com mais facilidade.

Esta doença é caracterizada por uma erupção cutânea e sintomas muito semelhantes aos da gripe.

Doença do sono

A doença do sono é transmitida através da mosca tsé-tsé, que vive em 36 países. Os rebanhos geralmente são os mais propensos a infecções, mas também os animais selvagens e as pessoas.

Isso acontece porque essa mosca é geralmente encontrada em rios, lagos, florestas e na savana. As mudanças climáticas influenciam muito a disseminação dessa doença.

Em suma, na gravidez, é essencial que a mãe se mantenha saudável e afastada de qualquer tipo de doença que possa afetar sua saúde ou a do bebê.

Caso observem-se muitas mudanças climáticas na região em que se encontra ou esteja em um ambiente em que algum vírus se propague facilmente, é importante tomar ações preventivas.