Como dar à luz com medo te afeta?

· 8 de fevereiro de 2018
Você sabe como dar à luz com medo te afeta? Ao chegar o momento de receber nosso bebê, o medo se apodera de nós e se adere de tal forma que se torna ainda mais difícil enfrentar a experiência do parto com uma atitude positiva.

Como isso é possível? Nas últimas semanas você estava desejando que o momento de receber seu bebê chegasse e agora… medo, medo e mais medo.

O medo é uma emoção que experimentamos de uma ameaça, a qual pode ser real ou imaginária. O medo alerta nosso organismo, colocando-o em alerta para minimizar o impacto da ameaça. O medo é uma garantia de proteção em muitos cenários, já que nos prepara para fugir ou, pelo menos, minimizar o impacto da ameaça.

O medo é uma emoção humana necessária e imensamente útil para a nossa sobrevivência.

Agora, no momento do parto, o medo é uma emoção que se desencadeia em vista das diversas mudanças que estão acontecendo ao mesmo tempo. É perfeitamente normal sentir medo diante de uma situação tão complexa e, principalmente, em uma situação na qual nos sentimos vulneráveis.

Mas, o que acontece quando esse mesmo medo surge por causa dos nossos próprios pensamentos e se apodera de nós? O que acontece quando é produto de milhares de ideias desordenadas e negativas sobre o que vai acontecer?

Dar à luz com medo

Dar à luz com medo pode ser normal para quase todas as grávidas, principalmente, para as de primeira viagem. Não saber o que vai acontecer ou o quanto vai doer ou se algo sairá bem ou mal condiciona a mente da grávida de tal forma que inclusive pode causar pesadelos.

 Naturalmente, o medo diante da incerteza induz uma série de pensamentos hipotéticos que, pouco a pouco, nos levam a ter um grande medo do futuro. Quando temos medo, podemos criar ideias fatalistas, nos angustiar demais e em casos extremos, nos tomarmos completamente incapazes.

Em geral, as causas de dar à luz com medo são as seguintes:

  • Experiências anteriores traumáticas. Se você já passou por um parto antes, pode ter a lembrança da imensa dor ou da complicação que surgiu e acreditar firmemente que vai acontecer a mesma coisa ou algo pior.
  • Muita informação. Tudo bem ver e ler coisas sobre o parto, mas você pode acabar se deparando com imagens praticamente traumáticas, aumentando o sentimento de medo.
  • Histórias e anedotas alheias. Cada mãe que cruzar seu caminho vai contar a você o que aconteceu com ela no dia em que deu à luz. As histórias de terror que podem surgir daí.
  • Momento do parto. Com certeza que você tem expectativas sobre como será. Qualquer modificação dessa imagem criada vai gerar muita ansiedade e, portanto, medo.

Como dar à luz com medo te afeta

O medo dispara uma série de mecanismos no nosso organismo. Mecanismos emocionais, hormonais e físicos. Isso faz com que todo o nosso ser se coloque em estado de alerta. O que pode significar este nível de ativação em um parto? Muito simples.

  • O medo dispara a liberação de adrenalina, que controla a liberação tanto de oxitocina quanto de noradrenalina.
    • A oxitocina é o hormônio encarregado de dirigir o parto e a noradrenalina é a responsável pela ejeção fetal. Níveis normais de adrenalina são recomendados no parto, mas não um aumento disparado da mesma.
  • O medo bloqueia sua musculatura. A rigidez dos músculos se torna muito presente. A musculatura uterina e vaginal devem estar a serviço do parto. Em outras palavras, os músculos devem se contrair e dilatar para permitir que o bebê avance pelo canal do parto.

  • O medo desconcentra e incapacita. Quando o medo chega a um nível desordenado, você pode deixar de ouvir ou entender o que os especialistas aconselham fazer, seja respirar ou empurrar. Quando você dá a luz, eles vão te guiando para conseguir fazê-lo da melhor forma.

O que posso fazer para evitar dar à luz com medo?

Antes de mais nada, temos que te dizer: você é muito corajosa. É corajosa por ter abrigado dentro de você uma criança e fazê-la crescer saudável e a salvo até esse momento. Agora é a hora de você se despedir dessa etapa.

Não há problema em ter medo e é bom poder expressar isso. Os medos crescem quando não procuramos ajuda para enfrentá-los. Assim, peça ajuda às pessoas que você ama, à parteira ou aos especialistas em psicologia e psiquiatria.

Fale sobre todas as coisas que te paralisam, os pensamentos que fazem seu medo disparar e analise-os junto a quem pode tirar as suas dúvidas.

 Quando estiver dando à luz, pense que seu bebê e você estão trabalhando para o mesmo objetivo. Os dois, como uma equipe. Se algo te faz suspeitar que não está tudo tão bem quanto deveria acreditar, pense que se há um lugar onde podem te ajudar em caso de complicações, é exatamente onde você está, rodeada por especialistas.