Como deve ser o colchão do bebê?

19 Março, 2020
Escolher o colchão do bebê é uma questão de vital importância para o seu descanso e desenvolvimento. Por isso, no artigo a seguir, vamos mostrar o que você deve ter em mente para escolher o melhor colchão para o seu pequeno.

Os bebês passam muitas horas no berço. No entanto, o mais importante não é saber qual é o berço ideal, mas sim como deve ser o colchão do bebê para garantir o máximo de conforto, comodidade e segurança para a criança.

Ao contrário dos colchões para crianças ou adultos, os colchões para bebês devem ser muito firmes. Lembre-se de que superfícies macias para dormir podem representar riscos de asfixia e aumentar o risco de síndrome da morte súbita infantil. Infelizmente, isso também pode acontecer se o colchão não se encaixar adequadamente no berço.

De fato, ao escolher o colchão do bebê, você deve garantir, entre outras coisas, que seja uma superfície segura e confortável para dormir. Deve-se considerar que os bebês podem ficar de bruços sobre o colchão e ter problemas respiratórios. Por isso, geralmente são recomendados os colchões de berço respiráveis.

No entanto, antes de explicar os benefícios dos colchões respiráveis, vamos dar algumas dicas sobre como deve ser o colchão do bebê. Tome nota!

Como deve ser o colchão do bebê?

1. Um colchão firme e em boas condições

Primeiramente, você deve usar um colchão firme e plano, que esteja protegido por uma capa impermeável. Isso ajudará a manter o colchão limpo e seco, uma vez que a capa deve poder ser limpa facilmente. Verifique se o colchão do bebê está em boas condições e se encaixa corretamente no berço.

2. Tamanho correto

Um colchão de berço mal ajustado é muito perigoso. De fato, um que seja pequeno demais em relação à cama pode ser perigoso porque o bebê pode escorregar e ficar preso entre a estrutura da cama e o colchão.

Por outro lado, usar um colchão um pouco maior faz com que a troca regular dos lençóis se torne difícil e desconfortável.

3. Lavagem na máquina

Não se pode negar que o bebê vai sujar o colchão com frequência, pois as fraldas não são totalmente eficientes e, às vezes, vazam. Por isso, você economizará muito tempo se a capa do colchão for removível e lavável na máquina.

Mãe vendo seu bebê no berço

4. Equilíbrio entre peso e firmeza

Outro fator a ter em mente é que um colchão de berço muito pesado não é recomendado, pois dificulta a troca dos lençóis. Geralmente, é comum e higienicamente saudável para o bebê que a roupa de cama seja trocada pelo menos 1 ou 2 vezes por semana.

Consequentemente, usar um colchão pesado tornará essa tarefa mais difícil. Pelo contrário, um colchão fino é sinônimo de baixa qualidade e menor durabilidade.

5. Colchão respirável

Por fim, é muito importante que o colchão tenha respiradouros adequados. Dessa forma, poderá permitir uma melhor circulação de ar dentro da sua estrutura.

Portanto, certifique-se de verificar se há pequenas aberturas. Esses respiradouros são especificamente colocados para evitar o acúmulo de odores desagradáveis, o que faz com que sejam ainda mais confortáveis para os bebês.

“Um colchão pequeno demais em relação à cama pode ser perigoso porque o bebê pode escorregar e ficar preso entre a estrutura da cama e o colchão”.

Colchão de berço respirável: a melhor opção

No que diz respeito à segurança e ao conforto do bebê, é indiscutível que um colchão respirável é uma opção segura e saudável. Entre outras razões, destaca-se o fato de que o fluxo de ar é constante e não há superaquecimento, fungos ou germes.

Infelizmente, os bebês podem ficar de bruços no colchão e isso pode causar problemas respiratórios. Um colchão respirável funciona de maneira que a superfície superior para dormir seja perfurada. Isso significa que o fluxo de ar é um processo contínuo.

O uso de tecido orgânico garante que o colchão atenda a todos os requisitos essenciais necessários para o conforto e a segurança do bebê. Com um colchão de berço respirável, o bebê pode dormir em qualquer posição com segurança.

Quais são os benefícios de usar um colchão respirável?

Redução das possibilidades de asfixia

Dormir de bruços pode ser prejudicial para o bebê, pois existe o risco de asfixia se ele permanecer assim por muito tempo. Por isso, o design do colchão é um dos segredos para impedir que isso aconteça. Um colchão respirável reduz consideravelmente as chances de asfixia.

Diminuição do número de bactérias

Os colchões respiráveis ​​são permeáveis ​​ao ar. Tendo em vista que os germes geralmente estão presentes em locais úmidos, a perfuração na superfície faz com que não haja acúmulo de umidade, responsável pelo crescimento do mofo.

Mãe com seu filho deitado no colchão do bebê

Menor possibilidade de suar

Um colchão tradicional pode causar superaquecimento e suor durante o sono. Isso não acontece com um colchão respirável, pois o fluxo constante de ar garante que não haja calor retido entre o corpo e a superfície do colchão. De fato, esse calor é uma das principais razões por trás do superaquecimento dos bebês.

Por fim, lembre-se de que, ao escolher o colchão do bebê, é importante usar uma capa e lençóis que também sejam respiráveis. Nesse sentido, o uso de almofadas ou lençóis impermeáveis ​​não é recomendado, uma vez que eles evitam o fluxo do ar e são feitos de certos materiais responsáveis ​​por emissões tóxicas.