Como distrair a atenção da criança

10 Setembro, 2018
Você se lembra de momentos em que seu filho teve um terrível ataque de birra? Uma malcriação no meio de um supermercado? Você gostaria de poder distrair a atenção dele? Aqui te explicaremos como fazer isso de maneira eficaz.

Seu filho nunca te deixou numa saia justa? Claramente, qualquer mãe fatalmente já passou por um ataque de ira de seu pequeno.

A preocupação maior não é tanto a vergonha da situação, mas a tristeza de ver seu filho cheio de raiva, irritado ou triste. Mas, felizmente, temos ferramentas para desativar esses acessos de raiva dos pequenos.

Passos para distrair a atenção da criança

Enquanto durar uma birra, é importante saber distrair a atenção da criança. Assim, desativamos essa atitude e conseguimos fazer a criança se concentrar em outros assuntos. Para isso, veja os passos a seguir:

  • Como não pode ser de outra forma, o primeiro passo deve ser o uso da empatia. Temos que tentar descobrir o que realmente está acontecendo com a criança. Obviamente, antes de tudo, vamos olhar se a criança está ferida ou machucada. É necessário entender o problema e ter certeza de que é uma birra ou um tipo de mania.
  • Em segundo lugar, devemos agir com calma. Esse passo é muito importante porque não devemos perder a paciência em nenhum momento. É necessário trabalhar a tranquilidade e não se rebaixar ao nível da criança, nem aumentar os decibéis com gritos e mais raiva. Essa atitude apenas iria piorar a situação.
distrair a atenção

  • Se o fato de simpatizar com a criança, entender seu problema e tentar resolver através da calma e do diálogo não for eficaz, podemos minimizar o problema e tratar a criança de forma displicente. Ao desviar sua atenção para evitar o fortalecimento da birra, é muito provável que acabemos desativando a situação de emergência.
  • É importante compreender que se estivermos em conformidade com todos os caprichos de uma criança ou dermos atenção à cada birra ou cada mania, estaremos justificando-as. A criança irá interpretar que o que faz está certo e graças a essa atitude consegue tudo o que quer.
  • Na hora de explicar para a criança como a atitude dela é desnecessária, é melhor esperar até que ela tenha se acalmado um pouco. Uma vez mais receptiva, encontraremos o momento ideal para dar explicações claras sobre a melhor maneira de proceder.
  • Então, lembre-se: em primeiro lugar, a empatia. Todos nós já fomos crianças. Por isso, é importante tentar nos conectarmos com essa parte que ainda permanece restante. Em seguida, converse com calma e explique a situação. Por fim, use a displicência.

A evolução do pequeno

Por mais que tentemos educar bem o nosso pequeno, é complexo evitar as birras. Eles estão descobrindo o mundo e estão experimentando aqui e ali para descobrir do que gostam, como as coisas são, como consegui-las, etc.

É normal pensar que frustrar a criança não é bom. Mas é algo tão comum quanto a própria vida. O pequeno usará o ambiente em seu próprio benefício. Por isso, vai tentar manipular as pessoas a seu favor, o que inclui os pais e os responsáveis por sua educação.

Na verdade, as birras não deixam de ser fórmulas para conseguir tudo o que desejam. As manias estão relacionadas ao desenvolvimento porque encontram algo que as diverte. Por mais censurável que possa parecer, as crianças irão repetir uma e outra vez, pois lhes dá prazer se sentirem ouvidas e entretidas.

distrair a atenção

A própria vida traz situações de dor. Não devemos promovê-las aos pequenos, mas também não é positivo justificá-las. Não se esqueça de que uma criança que aprende a conseguir tudo o que deseja ao seu redor, de qualquer maneira se torna tirânica, irresponsável e sem autonomia.

É por isso que, como mães, devemos saber claramente a diferença entre as birras sinceras de dor verdadeira e simples caprichos. Além disso, agir em conformidade, embora a princípio não goste e te incomode, na verdade é benéfico para o seu filho.

Então, não se esqueça desses passos para distrair a atenção da criança. Elas têm pouca capacidade de concentração e, por isso, são capazes de passar das lágrimas ao riso em poucos minutos. Pois suas emoções estão em pleno desenvolvimento. Pense que é o melhor caminho para que seu filho tenha uma vida feliz, plena e alegre.