Como educar para prevenir o abuso sexual?

· 19 de janeiro de 2019
O abuso sexual infantil é uma coisa que, infelizmente, acontece. Por isso, é preciso trabalhar para ensinar as crianças a reconhecerem atitudes e comportamentos que ameacem a sua privacidade.

O abuso sexual infantil é uma coisa abominável que pode arruinar completamente a infância e deixar graves consequências no futuro. Portanto, é essencial educar para prevenir o abuso. Os pais devem proteger e ser confidentes dos filhos, além de ensinar a identificar comportamentos suspeitos.

Os pais devem conversar com as crianças sobre sexualidade e outros aspectos relacionados desde cedo. Claro que isso deve ser feito adaptando as palavras e os conceitos à idade da criança, mas certamente é um assunto que não pode ser ignorado.

Passando o conhecimento adequado e fortalecendo o relacionamento com os filhos, é possível trabalhar na prevenção do abuso.

Orientações para educar para prevenir o abuso

Em uma das campanhas destinadas a prevenir esse problema, a Unicef ​​dá três dicas básicas para ensinar as crianças a identificar e evitar ações que violem a sua privacidade. São as seguintes:

1. Respeitar as suas partes íntimas e as dos outros

O primeiro aspecto destacado por essa organização é o reconhecimento e o respeito pelas partes íntimas.

Assim, torna-se fundamental ensinar as crianças a estarem alertas para que ninguém toque nas partes íntimas dos seus corpos.

2. Não à cumplicidade: não é preciso manter segredos ruins

O segundo conselho que a Unicef ​​dá para educar para prevenir o abuso está relacionado à confidência. Uma prática comum dos abusadores é ganhar a confiança das crianças e pedir para que mantenham segredo sobre o contato que têm com elas.

A fim de evitar essa situação, as crianças devem ser ensinadas a não esconder informações dos adultos, mesmo quando forem ameaçadas. Elas precisam contar com alguém de seu ambiente para informar o que está acontecendo.

É importante escolher as palavras certas para conversar com seu filho para a educar e prevenir o abuso.

3. Contar com um adulto de confiança

Por fim, o aspecto comentado no ponto anterior é levado com mais profundidade. É essencial que as crianças sintam que têm alguém mais velho para contar sobre os seus problemas.

Dessa forma, eles se sentirão suficientemente apoiadas para exteriorizar qualquer situação.

Oferecer apoio, suporte e não julgar é extremamente importante na hora de tentar evitar situações problemáticas como essas.

Outras dicas para educar a fim de prevenir o abuso

Além do que já foi explicado, você pode implementar as seguintes dicas para ensinar a criança a responder a essas situações perigosas:

  • Ensinar a fazer com que o seu espaço seja respeitado. Ensine às crianças que nenhum adulto tem o direito de abraçar, acariciar ou demonstrar afeição se elas não quiserem. Se isso acontecer, eles devem avisar os pais imediatamente.
  • Contar quando algo acontece com algum membro da família. Não importa o quão hediondo seja, várias publicações mostram que a grande maioria dos casos de abuso infantil é cometido por alguém do núcleo familiar.
    • O fato de ser uma pessoa amada e conhecida pode deixar as crianças confusas. Por isso, é preciso ensinar como agir nesses casos.
  • Confiar nas crianças: se uma criança tem coragem de revelar algum segredo aos pais, a última coisa que se pode fazer é desconfiar de sua palavra. Isso pode levá-la a se sentir desamparada em uma situação tão estressante como o abuso.
  • Não as force a nada: as crianças não precisam beijar ou abraçar ninguém, nem mesmo os parentes. Se elas são forçadas, de alguma forma aprenderão a submeter sua própria vontade aos desejos dos outros ou, então, às convenções sociais.

Sinais que podem indicar que uma criança sofre de abuso

Infelizmente, em muitos casos o abuso é detectado somente depois de ter ocorrido.

Portanto, para evitar maiores consequências, é essencial prestar atenção ao comportamento da criança. Se você notar algum dos seguintes sinais, fique alerta!

  • Ansiedade: a criança se sente desconfortável o tempo todo, como se estivesse suportando uma situação que quer esconder.
  • Come e dorme mal: se uma criança não come ou descansa adequadamente, é muito provável que algo esteja acontecendo com ela. Sua missão é descobrir o que é.
É importante escolher as palavras certas para conversar com seu filho para a educar e prevenir o abuso.

  • Ela se mostra mais fechada e quieta: se você notar que a criança está mais reservada do que o habitual ou se para ela tem sido mais difícil ficar em público e ela tende a se esconder com mais frequência, é preciso descobrir se algo está acontecendo.
  • Expressões: as crianças que sofreram abuso podem se manifestar através de desenhos ou brincadeiras. Se você notar algo estranho nelas, tome ciência de suas emoções.

Em suma, não podemos ignorar o valor da proximidade e da confiança entre pais e filhos para evitar qualquer situação de assédio sexual.

Por isso, é essencial educar para prevenir o abuso. Procure sempre cultivar um vínculo estreito com o seu pequeno para que nenhum problema fique fora da vista dos adultos.

  • Rivera Rei, T. (2005). Abuso sexual infantil. Medwave. https://doi.org/10.5867/medwave.2005.06.1967
  • Araújo, M. D. F. (2002). Violência e abuso sexual na família. Psicologia Em Estudo. https://doi.org/10.1590/S1413-73722002000200002