Como educar uma criança para que não se deixe influenciar

· 27 de junho de 2018
Sem perceber, educamos nossos filhos para serem influenciados por nós, o que acaba se tornando parte da vida deles. Geralmente nós não nos incomodamos com o fato de as crianças crescerem sob a sombra de nossa influência. Mas é algo que deve começar a nós preocupar em determinada fase da vida.

Uma criança que é influenciada facilmente em casa, pode carregar essa característica para outros lugares. Algumas crianças são suficientemente independentes desde cedo, o que às vezes faz os pais perderem a paciência.

Mas outras se deixam guiar sem contestar e raramente impõem suas opiniões. Mesmo que em casa isso incentive o adequado processo de crescimento, pode ser prejudicial. Porque talvez a criança esteja reprimindo seus sentimentos ou seja muito manipulável como pessoa.

Educar uma criança para não ser influenciável pelos outros deve ser uma tarefa que nos cabe desde os primeiros passos da independência. Especialmente se temos visto sinais de fraqueza nesses casos.

A este respeito, sabemos que algumas influências podem ser positivas. Por isso é algo que a educação deve complementar: ensinar os pequenos a distinguir o bom do mau.

educar uma criança para que não se deixe influenciar

A pressão do grupo

A pressão do grupo é um elemento importante para gerar um sistema de manipulação porque muitas crianças têm a necessidade de participar de grupos que talvez não sejam favoráveis. Ao mesmo tempo, há crianças que naturalmente tem capacidade de liderança, que são capazes de exercer influência sobre outros.

Por outro lado, aquelas crianças que estão acostumadas a ser conduzidas pelos pais ou irmãos são mais propensas a sofrerem essa submissão. Um grupo pode não ser de todo ruim. Mas a desvantagem deles é, sem dúvida, pressionar seus membros para fazer as mesmas coisas, que talvez não sejam apreciadas por todos.

Nesse sentido, muitas das crianças num pequeno grupo são influenciadas pelas ideias do líder, a fim de serem aceitas e evitar as injúrias que possam sofrer. Assim, dessas imposições podem aparecer potenciais problemas comportamentais como agir fora da ordem ou da legalidade.

As influências possam ser boas ou ruins. Mas dependendo dos valores que a criança receba em casa, ela poderá resistir melhor ao assédio das más influências. Ensinar as crianças a expressar seu próprio julgamento e estimular sua autoestima são as principais ferramentas para ajudá-la a não se deixar influenciar.

educar uma criança para que não se deixe influenciar

Educar uma criança para que não se deixe influenciar

Para ajudar as crianças a se tornarem independentes de julgamento e evitar as más influências, podemos abordar as seguintes recomendações:

  • Despertar o seu sentimento de pertencimento, a fim de aumentar a sua adaptação e a avaliação positiva do que tem.
  • Prestar atenção ao seu comportamento e aos sinais de aviso que podem manifestar.
  • Ensinar a ser responsáveis por suas ações e buscar a aprovação dos atos antes de executá-los.
  • Demonstrar interesse em suas coisas e fazer com que ela saiba que tem o seu apoio incondicional.
  • Valorizar os pontos de vista da criança e respeitá-la como uma pessoa independente.
  • Ensinar a negociar e desenvolver elementos de liderança.
  • Estimular a autonomia. Isso pode ser feito através da atribuição de responsabilidades para as quais tenha capacidade para cumprir.
  • Promover os valores a partir de casa. A finalidade é que seja capaz de distinguir as atitudes positivas das negativas.
  • Incentivar a compartilhar suas experiências. Falar sobre os amigos, perguntar como ele indo na escola e as coisas que a fazem se divertir.
  • Evitar confrontar para que a criança fique longe dos amigos ou ser muito crítico com ela. Isso é algo que pode torná-la mais defensiva e intolerante sobre o assunto.
  • Desenvolver a autoestima e autoconfiança. Isso vai ajudá-la a ser mais independente e menos influenciável.
  • Promover uma comunicação adequada entre criança, pais e professores. Assim, a criança vai se sentir confortável para contar seus problemas e esclarecer suas dúvidas.
  • Tentar não comparar ou criticar a manifestação de sua personalidade. Isso pode criar alguma revolta envolvendo a relação com crianças diferentes dela.
  • Certificar-se do bom descanso e recreação da criança. Matricule-a em atividades extracurriculares, para fortalecer seus valores, parceria e desenvolvimento integral.