Como evitar a otite nos bebês

· 23 de fevereiro de 2018
Se o seu bebê chora sem parar, uma das causas de sua irritabilidade poderia ser a otite. Especialistas afirmam que ela afeta mais de 80% das pessoas nos primeiros anos de vida. A seguir, alguns conselhos úteis para tentar evitar.

A dor no ouvido talvez seja uma das dores mais agudas e dolorosas que uma pessoa pode sentir, e é o principal sintoma da otite, uma infecção extremamente comum nos primeiros anos de vida. Mostraremos a seguir alguns cuidados básicos para evitar a otite nos bebês. Confira!

O que é a otite?

Em primeiro lugar, é pertinente deixar claro do que falamos quando nos referimos a otite. Trata-se de uma infecção causada por microrganismos em qualquer seção do ouvido. Isso causa uma inflamação que causa dor intensa.

A otite pode se classificar em dois tipos diferentes:

  1. Otite média: afeta o ouvido médio, localizado atrás do tímpano. Este problema inclui a trompa de Eustaquio e a mastoide. É muito comum na primeira infância e a causa, em geral, é infecciosa. Influenciam nela fatores como o tempo que a criança pode passar em creches, as mudanças do clima ou a exposição ao cigarro.
  2. Otite externa: neste tipo de otite ocorre a inflamação do conduto auditivo externo. Geralmente é causada pela entrada de água ou por traumatismos na região, como limpar incorretamente o ouvido do bebê com um cotonete e causar uma perfuração.

Sintomas

O sintoma mais evidente é a dor de ouvido. Ela pode vir acompanhada da sensação de ter o ouvido obstruído, coceira ou inclusive supuração.

Outros sintomas que podem se apresentar são:

  • Sensação de mal-estar geral.
  • Febre.
  • Vômitos.
  • Secreção de líquido pelo ouvido.
  • Irritabilidade frequente e choro inconsolável nas crianças pequenas, o que pode causar também perda de apetite.

Consequências da otite

Em geral, a otite é uma doença menor que pode ser curada de forma total sem deixar sequelas maiores. Costuma ser tratada com antibióticos e anti-inflamatórios. É importante que estes sempre sejam receitados por médicos profissionais.

O sintoma mais evidente da otite é a dor de ouvido, que pode vir acompanhada por sensação de ter o ouvido obstruído, coceira e inclusive supuração.

Em casos extremos, a otite pode deixar sequelas. As mais leves seriam a geração de uma inflamação ou infecção crônica.

Também poderia ser um fator determinante para futuros casos de hipoacusia. Aqui entram em jogo fatores como o problema da mucosa, os ossinhos do ouvido e a localização e tamanho da perfuração do tímpano.

Conselhos para evitar a otite nos bebês

Como mencionamos previamente, a otite é um problema muito frequente em bebês. De acordo com dados proporcionados pela Associação Espanhola de Pediatria, entre 80% e 90% das crianças a desenvolvem em seus dois primeiros anos de vida.

Portanto, é recomendável seguir estas indicações para prevenir a otite nos bebês e livrá-los de um momento péssimo:

  • Lactação materna: recomendada, pelo menos, até os primeiros seis meses de vida. O leite materno é a fonte primordial de defesas para o organismo do bebê, o que lhe ajudará a prevenir infecções como a otite, dentre outras.
  • Expulsar a mucosidade: é um fator quase tão importante quanto o anterior. Devemos ensinar o bebê a assoar o nariz para evitar que aspire o muco e que ele se acumule nas vias respiratórias e nos canais auditivos.

Entre 80% e 90% das crianças a sofrem de otite em seus dois primeiros anos de vida.

Ainda que de menor importância que as duas anteriores, também há outras medidas preventivas que deveremos considerar:

  • Tenha cuidado com os cotonetes ao limpar os ouvidos do bebê. Lembre-se que a função primordial da cera do ouvido é protegê-lo, ainda que soe estranho. De fato, muitos afirmam que o ideal é não usar os cotonetes nos primeiros anos de vida.
  • Incline a cabeça do bebê durante o banhoAssim evitará que entre água em seus ouvidos. Esta é uma das principais causas da otite, tanto nas crianças quanto nos adultos.
  • Evitar ambientes úmidos e temperaturas ambientais altas, assim como lugares onde haja fumaça de cigarro.
  • Procurar o especialista para uma inspeção de ouvido diante do primeiro sinal de incômodo do bebê.

Apesar de nada garantir evitar a otite nos bebês, é importante fazer um acompanhamento nas épocas em que este problema costuma aparecer. Deste modo, você pode tomar as precauções necessárias no momento indicado.

Se a dor de ouvido é incômoda para os adultos, que podem falar e tomar medicamentos para enfrentá-la, imagine como é intensa e dolorosa para um bebê, que não tem a possibilidade de nos contar o que acontece.

É primordial, então, que teste seus sentidos e tenha em conta tudo o que foi dito antes para evitar a otite em bebês, um dos problemas mais comuns nesta etapa da vida.