Como evitar as unhas encravadas em bebês

28 de abril de 2019
A sua unha já encravou alguma vez? Se nos adultos dói horrores, imagina nas crianças... Descubra quais são os cuidados necessários para prevenir as unhas encravadas em bebês.

Uma das tarefas que desperta mais incerteza nos pais, sobretudo os de primeira viagem, é cortar as unhas de um bebê. Não obstante, isso é uma necessidade, muitas vezes, urgente. As unhas encravadas em bebês causam problemas que podem ser tanto chatos como dolorosos.

Em seus primeiros dias de vida, as unhas dos bebês costumam ser muito macias e delicadas. Isso se deve à natureza líquida do ambiente em que passaram tanto tempo, o ventre materno. No entanto, com o passar do tempo, elas vão endurecendo. Assim, chega um momento em que devemos enfrentar a difícil tarefa de cortá-las.

Talvez para muitos pais seja um detalhe insignificante, mas há outros, muitas das vezes menos experientes, que possuem muitas dúvidas sobre diferentes questões relacionadas às unhas do seu bebê. A seguir, abordaremos diferentes aspectos sobre essa temática.

Quando se deve cortar as unhas do bebê pela primeira vez?

Para evitar as unhas encravadas em bebês, devemos nos concentrar em sua manutenção. No entanto, uma dúvida muito comum está relacionada ao momento adequado para cortá-las pela primeira vez.

A recomendação geral é cortar as unhas do bebê na terceira ou quarta semana após o seu nascimento. O melhor, nesses casos, é evitar as tesourinhas, já que qualquer movimento pode resultar em uma ferida em sua pele delicada.

Quanto à frequência, depois da primeira vez, deve-se avaliar o crescimento das unhas em cada bebê. Esse aspecto pode variar de bebê para bebê, mas tendem a voltar a crescer em pouquíssimo tempo.

As unhas das mãos costumam exigir um corte por semana; as dos pés, no entanto, crescem mais devagar. Cortá-las uma vez ao mês será mais que suficiente.

unhas encravadas nos bebês

Como evitar as unhas encravadas em bebês?

Os pequenos têm a mesma facilidade que os adultos — ou até mais — de terem unhas encravadas. Isso ocorre porque elas ainda são muito molinhas: podem se dobrar com extrema facilidade e crescer em direção à cutícula. Desse modo, podem encravar, e por sua vez, gerar inflamação e uma possível infecção.

Para detectar as unhas encravadas em bebês, você deve ficar atenta aos seguintes pontos:

  • Fique de olho no crescimento correto das unhas e certifique-se de que as pontas não cresçam em direção às cutículas.
  • Como é mais comum o dedão encravar, tome especial cuidado com essa área.
  • Se houver inflamação ou a pele ficar avermelhada, tente tratar o mais rápido possível.
  • Caso a unha cresça para baixo, pode infeccionar e causar uma infecção; certifique-se, então, de que o bebê não esteja com a temperatura elevada.

“As unhas das mãos costumam precisar ser cortadas uma vez por semana; no entanto, as dos pés crescem mais devagar. Cortá-las uma vez ao mês é mais que suficiente.”

O que fazer com as unhas encravadas em bebês?

Existem pessoas que são mais propensas do que outras a terem unhas encravadas. É óbvio que o mesmo se aplica com alguns bebês.

Se você estiver passando por esse problema, pode seguir os passos a seguir para que o seu bebê pare se sofrer:

  • Coloque o seu pezinho de molho em água morna e sabão para amaciar as suas unhas. Dar um banho no pequeno também é uma opção.
  • Depois, com cuidado, tente remover a ponta encravada; você pode tentar cortá-la.
  • Utilize as ferramentas adequadas, especialmente nos bebês. Use cortadores de unhas específicos para bebês e também tesoura sem ponta.
  • Não corte demais; as unhas muito curtas podem ser extremamente difíceis de serem cortadas, principalmente se o bebê já engatinha ou anda.

Em alguns casos, pode ser necessário o uso de remédios ou produtos especiais na água que você for usar para deixar as suas unhas de molho. O objetivo é fazer com que o bebê pare de sentir dor antes de remover e cortar a unha encravada. É claro que ambas as opções devem ser receitadas por um pediatra.

mãe cortando a unha do bebê

Prevenção

Como ocorre em muitas outras questões ligadas à saúde, a prevenção é um aspecto fundamental das unhas encravadas em bebês. Tal como afirmamos anteriormente, o ideal a ser feito para evitar o problema e suas possíveis complicações é cortar as unhas regularmente e certificar-se de não deixar as pontas se inserirem nas cutículas.

Quanto à forma, o ideal é cortá-las em linha reta. Outra recomendação muito útil é lixá-las ou colocar luvinhas nos primeiros dias de vida da criança. Devido aos seus movimentos pouco coordenados, os recém-nascidos podem arranhar o rosto com muita frequência.

Em suma, os pais precisam ficar atentos às unhas encravadas em bebês. Elas aparecem principalmente nos pés, devido ao uso do calçado, e podem causar muito desconforto e dor. Se você tiver dúvidas ou se perceber sinais de inflamação, consulte o médico.