Como o excesso de atividades extracurriculares afeta seus filhos?

O excesso de atividades extracurriculares não é saudável. Mas o problema não está no que se faz, e sim na falta de moderação.
Como o excesso de atividades extracurriculares afeta seus filhos?

Última atualização: 16 dezembro, 2021

Hoje em dia, queremos que nossos filhos tenham uma boa educação, pratiquem esportes, aprendam línguas, desenvolvam suas habilidades artísticas e muito mais. Mas não percebemos que o excesso de atividades extracurriculares não é positivo para eles.

Nós, pais, queremos que eles tenham tudo o que não tínhamos, mas será que paramos para pensar no que eles querem? Esse excesso de atividades faz bem?

Talvez os pequenos já se tenham habituado a esse ritmo de vida, mas no seu mundo ideal gostariam de ter um pouco mais de tempo para brincar. Então, o que acontece é que estamos sobrecarregando nossos filhos de atividades. Embora possamos achar isso benéfico, não é bem assim.

O excesso de atividades extracurriculares é bom ou ruim?

O primeiro ponto importante é que não podemos classificar as atividades em si como boas ou ruins. A questão é mais sobre considerar e respeitar a vontade das crianças do que de qualquer outra coisa.

É claro que é positivo que as crianças tenham tempo livre para o lazer e para otimizar seu desenvolvimento, mas o problema está nos excessos.

Nesse sentido, é importante deixar a criança escolher o que quer fazer no seu tempo livre e incentivá-la a brincar, pois essa deve ser sua principal tarefa. Especialmente até os 6 anos, as crianças devem passar pelo menos duas horas por dia em suas brincadeiras e passar mais tempo com os pais.

Brincar é uma necessidade das crianças, e essa ação deve ser feita de forma livre, espontânea, com outras crianças ou parentes e, se possível, ao ar livre. Além disso, também é necessário promover o tédio, uma vez que esse estado estimula o desenvolvimento da criatividade e promove a imaginação.

A questão é que hoje em dia as crianças não têm tempo para ficar entediadas e sua imaginação está sendo cada vez menos desenvolvida.

Se quisermos dar o melhor aos nossos filhos, devemos estar cientes de que o excesso de atividades extracurriculares não é o caminho. Além disso, no longo prazo, acaba causando estresse para eles. O melhor, sem dúvida, é deixar que tenham tempo para brincar.

Criança estressada, fazendo lição de casa.

Quais são as consequências do excesso de atividades extracurriculares para as crianças?

Caso não tenhamos percebido, as crianças vivem um estresse diário semelhante ao dos adultos, com longas jornadas de trabalho e uma agenda cheia de obrigações. Aparentemente, esquecemos que são crianças e que essa quantidade de tarefas diárias produz ansiedade e desconforto.

Alguns dos sintomas associados ao estresse infantil devido ao excesso de atividades extracurriculares são os seguintes:

  • Dores de cabeça.
  • Dificuldade para dormir.
  • Pesadelos.
  • Perda de apetite.
  • Dor de estômago.
  • Ansiedade.
  • Excesso de preocupações.
  • Incapacidade de relaxar.
  • Dificuldade para controlar as emoções.
  • Comportamentos agressivos.
  • Regressão a comportamentos de estágios anteriores no desenvolvimento.
  • Alterações de humor.
  • Problemas de concentração.
  • Problemas de atenção.
  • Esgotamento mental e físico.

Muitas crianças hoje em dia saem da escola, almoçam e já precisam seguir para as atividades extracurriculares. E o pior é que muitas vezes não se trata de uma única atividade, e sim de várias interligadas.

E a lição de casa? Já pensamos que ela também faz parte das tarefas extracurriculares? Na verdade, não é só isso, pois também faz parte das obrigações das crianças.

E quando é a hora de brincar ou compartilhar atividades familiares? Se pensarmos que as brincadeira são uma perda de tempo, estaremos bastante enganados. A brincadeira traz inúmeros benefícios para o desenvolvimento integral das crianças.

Dicas para escolher atividades extracurriculares para as crianças

A primeira coisa que devemos pensar é que, quando uma criança brinca, ela amadurece, principalmente quando a atividade que ela faz é do seu agrado.

Se tivermos filhos adolescentes, outra coisa a ter em mente é que as atividades extracurriculares devem estar vinculadas aos assuntos pelos quais eles são apaixonados. Dessa forma, eles desenvolvem sua visão de mundo, aprimoram suas relações sociais e compartilham seus talentos com outras crianças da mesma idade.

Vamos dar a seguir algumas dicas para escolher a atividade extracurricular mais adequada para seus filhos:

  1. Evite saturar a agenda com atividades: as crianças precisam ter tempo para descansar, fazer os deveres de casa, estar com os amigos e até ficar entediadas.
  2. Sempre preste atenção aos gostos e à personalidade das crianças: deixe que elas escolham a atividade extracurricular que mais gostam.
  3. Não as force a fazer determinada atividade se não quiserem.
  4. Fique atenta a quaisquer sintomas de estresse infantil.
  5. Limitar as atividades extracurriculares para reforçar o conteúdo acadêmico: as crianças já passam muito tempo na escola e têm uma vida inteira pela frente para somar aprendizagens.
Crianças pedalando ao ar livre.

Sobre como o excesso de atividades extracurriculares afeta as crianças, podemos dizer que…

Como deixamos bem claro, o excesso de atividades extracurriculares não é benéfico, mas com isso não queremos dizer que as propostas sejam ruins. Estamos destacando aqui que o uso indevido de qualquer tipo de atividade extracurricular pode causar o efeito oposto ao desejado.

É necessário encontrar um equilíbrio entre as tarefas educativas e recreativas, a fim de proporcionar um desenvolvimento pleno e saudável às crianças.

Em suma, as atividades extracurriculares têm que ser do agrado da criança e agregar algo de bom à sua vida. Não estresse seus filhos desde cedo na vida.

This might interest you...
Sinais para identificar uma família estressada
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Sinais para identificar uma família estressada

Viver em uma família estressada é um tormento para todos os seus membros. Como saber se a sua família está acostumada ao estresse? Confira!



  • Jiménez Jiménez, K. J., Díaz Flórez, M., Álvarez Pai, D. L., Bernal López, A. D. P., & Vargas Amézquita, S. L. (2012). Determinar la relación existente entre el estrés y las actividades extraescolares en los niños de 5 a 7 años de edad (Doctoral dissertation).
  • Abadía Grasa, S. J., & Vicente Hernández, D. ¿Qué aporta la realización de actividades extraescolares físico deportivas al alumnado de 5º y 6º de primaria? REVISTA EDUCATIVA Marzo 2021/ Vol 2 LAS COMPIS.
  • Buzyn, E. (2016). Papá, mamá,¡ dejadme tiempo para mi!. Parkstone International.
  • Honoré, C. (2013). Bajo presión: cómo educar a nuestros hijos en un mundo hiperexigente. RBA Libros.