Como fazer uma massagem perineal

· 16 de outubro de 2017

O maior medo de qualquer mulher é sua gravidez ser extremamente dolorosa ou ter alguma complicação. Preparar os músculos e os tecidos é uma parte fundamental para ter um parto saudável e tranquilo.

A massagem perineal é uma das técnicas mais efetivas para relaxar os músculos e os tecidos que influenciam no momento de dar à luz. Ela também pode ser uma excelente prática preparatória para a fase da extração do bebê.

No entanto, a realização dessa massagem tem suas especificações e contraindicações. Neste artigo veremos alguns dos aspectos a levar em consideração na hora de realizar uma massagem perineal.

O que é o períneo?

Em primeiro lugar, o períneo não é nada mais do que a base da pélvis. Ele é constituído por uma série de partes macias, onde se localiza o ânus e os órgãos reprodutores masculinos e femininos.

Nessa parte da anatomia humana estão localizados um conjunto de músculos pequenos, que são afetados no momento em que os médicos puxam a cabeça e o tronco do bebê.

No caso das mulheres, as características próprias do seu órgão reprodutor permitem a passagem para essa região para sua preparação pré-natal.

Preparando antes de começar

Para a lubrificação o mais recomendável é utilizar óleos naturais como o de rosa mosqueta ou produtos à base de amêndoas. Além disso, podemos fazer a massagem em frente a um espelho para ter maior controle dos movimentos e poder enxergar as áreas massageadas.

A postura também influencia na hora de realizar essa prática. Em geral as mulheres ficam de cócoras, pois assim podem enxergar o que estão fazendo com as mãos. Em todo caso, o conforto é fundamental.

Vale destacar aqui que as mãos devem ser limpas antes de começar a massagem, para evitar infecções no trato urinário e na vagina.

Realização da massagem perinealmulher grávida colocando óleo na mão para realizar uma massagem perineal

 

Com a ajuda de um óleo lubrificante natural você vai introduzir seu dedo polegar no órgão reprodutor. A apenas 3 ou 4 centímetros da abertura estão os músculos que devem ser trabalhados.

Cuidar da sua gravidez é cuidar do seu bebê

-Anônimo-

O mais importante é fazer pressão com o dedo no períneo. Essa pressão deve ser mantida por pelo menos um minuto, variando a direção entre a vagina e o ânus. No começo você só deve pressionar até o limite que começa a doer, ou quando sentir alguma irritação ou inflamação.

Também é necessário exercer um movimento de vai e vem que dure entre 3 e 4 minutos, aproximadamente. Não podemos nos esquecer das massagens externas na área que está localizada entre o ânus e a região genital feminina.

Alguns truques funcionais

Talvez no começo o procedimento possa parecer um pouco desconfortável, mas isso não será nada em comparação ao momento do parto. É importante visualizar que por essa região vai passar a cabeça do bebê no momento de máxima dilatação.

Também podemos imaginar pontos cardinais dentro do canal vaginal: norte, sul, leste e oeste. Basicamente, as massagens devem ser feitas para baixo e em forma de “U”, da direita para a esquerda.

Em relação ao quadrante superior, devemos ter bastante cuidado ao manipular. É fundamental evitar pressionar a uretra, o que pode levar à infecções vaginais de diferentes intensidades. As massagens devem ser realizadas com o polegar.

Especificações para a realização da prática

Os médicos recomendam realizar essa prática natural de maneira recorrente a partir da 32ª semana de gravidez.

A massagem pode ser realizada pela própria grávida, embora também seja recomendável que o companheiro intervenha e seja quem realize os movimentos sob a direção da mulher. Dessa maneira, a participação do homem é estimulada.

Não podemos nos esquecer de que a pressão não pode machucar. No entanto, os movimentos devem ser firmes porque a finalidade é fazer os músculos ganharem flexibilidade, e para isso é preciso exercer certo nível de força.

Algumas contraindicações

 

As mãos nunca podem estar sujas para evitar contaminações dentro da vagina. Além disso, também não é aconselhável a aplicação de cremes ou óleos perfumados.

Se a grávida apresentar lesões vaginais ou infecções recorrentes, o melhor é interromper a prática. O objetivo é que a massagem perineal proporcione facilidades, e não complicações, dias antes do parto.

As mulheres com complicações durante a gravidez, com ameaça de aborto, deslocamento de placenta ou ruptura de membranas também devem se abster. Por isso, o aconselhável é começar as massagens depois do sexto mês de gestação.

Da mesma forma, o mais correto é consultar um médico sobre a possibilidade de praticar a massagem perineal.