Como os gadgets estão prejudicando os seus filhos

04 Maio, 2020
Seus filhos estão sempre com gadgets? Os dispositivos eletrônicos podem ser prejudiciais à visão das crianças. Saiba mais sobre esse assunto a seguir.

A quantidade de tempo que as crianças passam olhando para as telas digitais é preocupante. Elas parecem não se cansar de assistir televisão ou jogar no iPad. Essa obsessão pelos gadgets é um motivo de preocupação, mas a preocupação imediata é o impacto adverso na visão dos nossos filhos.

As crianças usam os gadgets para brincar, conversar, navegar na internet ou assistir filmes. A atividade geralmente é tão interessante para elas que elas não desviam a atenção da tela.

Passar tempo demais com os gadgets eletrônicos  

Elas também não prestam atenção em aspectos como postura, distância da tela e brilho, que podem afetar a visão e a saúde de uma forma negativa.

Olhar fixamente para telas eletrônicas durante longos períodos de tempo causa problemas. De repente, surgem contratempos como olho seco e irritação ocular e dificuldade para manter a concentração depois de passar tanto tempo diante da tela.

Além disso, passar muito tempo na mesma posição também pode causar dores nas costas e no pescoço. Se você tem dificuldade para lidar com o tempo diante da tela, imagine o que os olhos do seu filho devem passar.

As telas digitais se tornaram uma parte inseparável da nossa vida. Não podemos desejar que elas desapareçam das nossas vidas porque isso seria impossível, mas você pode minimizar o impacto que elas causam.

Como os gadgets estão prejudicando os seus filhos

Passar tempo demais olhando para as telas

Primeiramente, é preciso entender com o que você está lidando. Em média, uma criança passa aproximadamente 8 horas por dia olhando para telas eletrônicas. O uso de gadgets entre as crianças aumenta com a idade.

Embora não seja possível afirmar com certeza, as crianças que passam tempo demais olhando para as telas correm maior risco de desenvolver problemas de visão a longo prazo.

Com exceção de televisões e videogames, a maioria dos dispositivos surgiu nas últimas duas décadas. Embora os efeitos imediatos sobre as crianças possam ser vistos, os seus efeitos a longo prazo são desconhecidos.

Algumas consequências

É provável que as crianças que passam tempo demais usando esses aparelhos desenvolvam miopia temporária (miopia). Felizmente, o efeito é transitório e os olhos se recuperam alguns minutos depois de mudar para uma atividade sem a tela.

O efeito de passar muito tempo olhando para as telas não se limita apenas aos olhos. Além de sintomas como olhos secos, sensação de queimação, visão dupla e visão turva, as pessoas também se queixam de dores de cabeça e problemas relacionados à postura, tais como dores no pescoço e nas costas.

Atualmente, os médicos chamam esse conjunto de sintomas de ‘síndrome da visão de computador’. Quando as pessoas usam telas eletrônicas, elas piscam menos.

Em média, uma pessoa pisca cerca de 15 vezes em um minuto. Devido à grande atenção necessária ao usar gadgets e telas eletrônicas, essa taxa pode cair para menos de 5 vezes em um minuto. Piscar é um mecanismo natural que mantém os olhos úmidos, lubrificados e limpos.

Piscar menos causa secura nos olhos e irritação. A gravidade varia de acordo com o tipo de atividade e o nível de comprometimento. Assim, um videogame gera mais fadiga ocular porque é preciso ver e responder ao que está acontecendo na tela de forma constante.

Os computadores desktop e as televisões de parede podem piorar as coisas porque fazem você olhar para cima. Isso faz com que você abra mais os olhos e deixe a superfície do olho mais exposta à evaporação das lágrimas.

As telas eletrônicas podem gerar imagens com muito brilho e contraste, que podem mudar em uma fração de segundo. Elas também refletem o brilho das fontes de luz ao redor, tais como lâmpadas e janelas. Assim, os olhos precisam responder à alteração dos níveis de luz com frequência.

Como os gadgets estão prejudicando os seus filhos

Cuidado com a luz azul e a fadiga ocular causada pelos gadgets

Olhar para uma tela muito escura ou muito brilhante em comparação com o ambiente também causa fadiga ocular. Seus olhos precisam se ajustar quando você alterna da tela para o ambiente. Assim, a dilatação e a contração frequentes das pupilas causam fadiga ocular.

A maioria dos dispositivos modernos vem com telas de LED porque elas produzem imagens mais nítidas e consomem menos energia. No entanto, a quantidade de luz azul emitida por essas telas é motivo de preocupação.

As telas de LED emitem muito mais luz azul em comparação com as telas de LCD. Embora a pesquisa seja limitada, muitos optometristas suspeitam que a luz azul possa causar danos irreversíveis à retina.

Isso pode aumentar o risco de degeneração macular e catarata. A mácula é a parte central da retina e é crucial para uma boa visão. A degeneração macular pode impossibilitar atividades diárias como ler e dirigir.

Com a idade, as lentes dos olhos começam a ficar amarelas. Para os adultos, isso proporciona uma defesa natural limitada contra a luz azul, mas as crianças são mais vulneráveis.

Por fim, a luz azul também pode interferir no relógio biológico e afetar o sono. Portanto, proteger as crianças dos impactos adversos das telas eletrônicas é crucial. Se o seu filho se queixar de ardência nos olhos, você deve verificar a quantidade de tempo que ele tem passado usando esses dispositivos.