Como o bebê vivencia o parto?

23 de junho de 2019
Se você já se perguntou como o bebê vivencia o parto, neste artigo contaremos tudo o que você precisa saber. Anote!

Quando a mãe está pronta para dar à luz, ela passa por muitas fases físicas e mentais. No entanto, talvez você se pergunte o que acontece com o bebê. Por essa razão, neste artigo, tentaremos responder à seguinte pergunta: como o bebê vivencia o parto?

Como o bebê vivencia o parto?

Certamente, o parto é um marco tanto para a futura mãe quanto para o bebê. É uma experiência única que é lembrada por todas as mulheres que se tornaram mães ao longo dos anos. Porém, é difícil saber como o bebê vivencia o parto, se ele sofre durante o processo de nascimento ou não.

Diante dessas questões, confirmamos que o bebê participa de forma ativa durante o trabalho de parto. Mas a dor do pequeno e o sofrimento da mãe são totalmente diferentes. Talvez o bebê possa sentir alguma dor ao passar pelo canal do parto, mas é impossível determinar com total segurança.

Em qualquer caso, não há motivos para se preocupar demais com o pequeno, uma vez que o seu crânio é capaz de se moldar enquanto passa pelo canal de parto.

Infelizmente não há como descobrir a percepção de dor da criança. Porém, a variação da frequência cardíaca e o sono que os bebês sentem imediatamente após o nascimento são pequenos indícios que sugerem que o processo envolve alguma dor e sofrimento.

As primeiras contrações

Os primeiros sinais de parto aparecem: as contrações. Com cada contração, a placenta e o cordão se comprimem, o que às vezes pode dificultar o recebimento de oxigênio por uns momentos para o bebê. Felizmente, para a maioria deles, essa diminuição não é um problema.

Na verdade, as contrações do útero não perturbam o bebê, o que é comprovado pela sua frequência cardíaca.

Por sua vez, quando as contrações são muito fortes ou o trabalho de parto é muito longo, o oxigênio que o bebê recebe diminui significativamente. No entanto, o seu ritmo cardíaco adapta-se à falta de oxigênio e o coração bate mais devagar durante as contrações ou, então, acelera o ritmo para acompanhar.

 

Como os bebês vivenciam o parto é um mistério

 

Em qualquer caso, acredita-se que o bebê não sofre muito porque, entre outras coisas, tem muito tempo para se acostumar com as contrações. Isso acontece graças ao aumento gradativo de intensidade e de frequência.

A viagem pelo canal de parto

Com as contrações da mãe, o bebê gradualmente desce em uma espécie de túnel. Ele realiza vários movimentos e muda de posição várias vezes para evitar os obstáculos enquanto, ao mesmo tempo, o colo do útero se expande. Porém, os especialistas não podem garantir o nível de dor sentida pelo bebê durante essa viagem.

Assim como não há como saber que tipo de dor o bebê sente quando viaja pelo canal do parto. Os médicos também não sabem ao certo o quanto o bebê vê ou ouve durante o parto. No entanto, sabe-se que o bebê é capaz de ouvir algo antes de mesmo de vir ao mundo.

Por sua vez, é muito mais difícil de medir a visão de um bebê antes do nascimento. Logo após o nascimento, sabemos que sua visão é turva e que ele não consegue se concentrar bem.

Ao viajar pelo canal do parto, na maioria dos casos, o bebê fica virado para baixo. Isso significa que seu rosto fica virado para as costas da mãe. Esse é o momento da expulsão em que a mãe ajuda a criança a sair por meio de uma série de empurrões durante as contrações.

No momento da expulsão, a criança pode ser afetada por níveis significativos de estresse, adrenalina e cortisol, que aumentam significativamente para dar força para sair. Uma vez que a cabeça do bebê está fora, ele começa a respirar.

Os especialistas não sabem ao certo como o bebê vivencia o parto.

Conclusão

Como você pôde observar, quase nunca se fala do nascimento do ponto de vista do bebê, como se ele tivesse apenas um papel passivo. Mas isso não é verdade, o bebê participa ativamente do parto. Por isso, esperamos que agora você possa ter uma ideia melhor de como o bebê vivencia o parto.