Como saber se meu filho precisa de óculos?

· 27 de maio de 2018
Uma em cada quatro crianças precisa de óculos. Descubra quais são os problemas de visão mais comuns na infância e como perceber os sinais de que seu filho precisa de óculos.

As crianças, assim como os adultos, têm acesso a 80% das percepções do que está ao redor graças à visão. Por isso, ter uma visão nítida é um fator fundamental para o correto desenvolvimento e aprendizagem.

Felizmente, ao contrário de nós, adultos, a maioria das crianças geralmente não precisa de óculos porque tem uma visão excelente.

Mas, é claro, há exceções. Aproximadamente uma em cada cinco crianças em idade escolar tem algum problema de visão (miopia, hipermetropia ou estrabismo são os mais comuns).

E a maior preocupação dos pais é como perceber a tempo se o filho precisa de óculos, quando ele mesmo pode não estar consciente de seus próprios problemas de visão por não saber diferenciar entre o nítido e o embaçado (ou, se a criança for muito nova, pode ainda ser incapaz de se comunicar para expressar suas dificuldades).

Primeiros meses de vida

Já dissemos anteriormente que as crianças geralmente têm “uma visão excelente”. Bem, isso não é totalmente verdade. Nas primeiras semanas de vida, a maioria dos bebês tem hipermetropia. Mas isso é causado pelo pequeno tamanho do globo ocular, problema que costuma ser resolvido com o crescimento.

No entanto, se a hipermetropia persistir ou se existir algum problema adicional, é fundamental identificar o mais rápido possível para evitar que piore com a idade. Soma-se a isso o fato de que as crianças prematuras (ou que nasceram com menos de 1,5 kg) têm mais chances de desenvolver problemas de visão no futuro.

Devido a tudo isso, os oftalmologistas recomendam que os bebês façam seu primeiro exame ocular ao longo dos primeiros 12 meses de vida.

precisa de óculos

Sinais de que alguma coisa está errada

Independentemente do fato de você já ter levado (ou não) seu filho ao oftalmologista, é preciso considerar marcar uma consulta se a criança começar a manifestar algum dos seguintes sintomas:

  • Fecha, pisca ou esfrega os olhos com frequência.
  • Força os olhos para focar a visão.
  • Lê quase encostando o rosto no livro ou no computador.
  • Ao ler, se perde ou tem que usar o dedo para acompanhar as linhas durante a leitura.
  • Olha inclinando a cabeça para um lado.
  • Sente tonturas, náuseas ou dores de cabeça regularmente.
  • Fica com os olhos irritados ao final do dia ou depois das aulas.
  • Perde o interesse por brincadeiras ao ar livre que costumam gostar (isso acontece porque não enxerga a bola, por exemplo).

Quais são os problemas de visão mais frequentes?

Miopia

Esse problema aparece porque o tamanho do globo ocular é um pouco maior do que o normal. Isso permite focar claramente objetos próximos, mas não os que estão distantes, os quais a pessoa enxerga como se estivessem embaçados porque a imagem é formada à frente da retina.

Quando aparece, é comum que aumente progressivamente. Mas o lado bom é que seu filho só vai precisar de óculos para poder enxergar corretamente.

Hipermetropia

O caso oposto da miopia: um olho muito pequeno faz com que a criança foque os objetos atrás da retina, dificultando a tarefa de focar e ver objetos de perto. Os casos mais leves costumam desaparecer antes dos 10 anos de idade sem ser necessário usar óculos.

Astigmatismo

A curvatura da córnea é irregular, o que produz uma visão ligeiramente deformada, com áreas boas e áreas borradas. Costuma ser um defeito de nascença, por isso não piora com o tempo. Se for bem leve, ao ponto de não provocar fadiga visual nem dores de cabeça, os óculos não serão necessários.

Olho preguiçoso

É o problema que aparece quando o cérebro detecta que cada olho oferece imagens diferentes, que não encaixam, e aprende a ignorar sistematicamente a informação oferecida por um dos dois.

Isso pode acontecer por duas razões: porque esse olhos sofre de um dos problemas citados acima em maior grau do que o outro, ou porque há um problema de coordenação muscular dos olhos (estrabismo). Isso pode causar problemas graves de desenvolvimento da visão no futuro e perda da visão binocular.

precisa de óculos

E se não houver outra opção além de usar óculos…

Após consultar o oculista, se a conclusão é que seu filho precisa de óculos, você deverá ser cuidadosa com o primeiro contato do pequeno com o “novo companheiro”. Acima de tudo, é fundamental não apresentar os óculos como sendo algo negativo, mas como um acessório incrível – quase mágico – que vai permitir enxergar coisas tão pequenas ou distantes que antes a criança não conseguia.

Para facilitar que a criança aceite melhor usar óculos, uma boa alternativa é permitir que ela escolha a armação. Em relação às lentes, devemos escolher uma opção compatível com a vida de uma criança. Isto é, uma lente que não fique em pedacinhos na primeira queda. A maioria dos especialistas recomenda lentes orgânicas para as crianças.

Também pode ser útil colocar borrachas de proteção na ponta das hastes para evitar qualquer problema.