Como saber se seu filho tem discalculia

7 de outubro de 2019
A discalculia é uma dificuldade de aprendizado que afeta o desenvolvimento da competência matemática. A seguir, te explicaremos mais sobre esse transtorno. 

As crianças com discalculia fazem parte do grupo de estudantes com necessidades específicas de apoio educativo. Por isso, a escola deve lhes oferecer uma série de recursos de apoio e uma atenção especializada.

Mas, também, é importante que em casa exista a noção básica para se detectar a discalculia. Por esse motivo, criamos este artigo com informações que ajudarão a identificar se o seu filho tem discalculia.

Esse transtorno específico de aprendizagem afeta um grande número de crianças e implica na presença de dificuldades relacionadas à aquisição da competência matemática. Essa é uma habilidade básica para que se tenha um bom rendimento acadêmico.

Aquisição da competência matemática

A aquisição da competência matemática é alcançada de forma gradual. Por isso, durante toda a vida escolar aprende-se, gradualmente, novos conhecimentos relacionados:

  • À numeração;
  • À seriação;
  • Ao cálculo;
  • À resolução de problemas;
  • À realização de exercícios de lógica.

Ademais, é possível afirmar que há diversos processos cognitivos implícitos ao aprendizado da matemática. Portanto, os pensamentos que precisam ser desenvolvidos para a aquisição da competência matemática são:

  • Conhecimento protonumérico;
  • Conhecimento de contagem e dos números;
  • Operações lógicas;
  • Conhecimento do sistema numérico;
  • Operações aritméticas;
  • Resolução de problemas matemáticos.
Aquisição da competência matemática

Nesse sentido, é preciso levar em consideração que, para desenvolver a contagem e a numeração, os autores Gelman e Gallistel definem cinco princípios a serem assimilados:

  1. O primeiro é aprender a relação um por um que se estabelece entre contar com palavras e objetos;
  2. O segundo consiste em recitar e contar as palavras em ordem estável;
  3. O terceiro princípio está relacionado à cardinalidade. Logo, entender que o último número dito ao contar representa a quantidade desse conjunto como um todo;
  4. Em quarto lugar é descrito o princípio de abstração, que permite contar qualquer coisa;
  5. Em quinto, a irrelevância de ordem. Isso significa poder contar mediante qualquer sequência, sem que o resultado seja alterado.

Como saber se meu filho tem discalculia

A discalculia é um transtorno específico de aprendizagem que afeta à aquisição do conhecimento relativo aos números e ao cálculo.

Essa dificuldade não se deve à presença de um baixo nível intelectual. Também não pode ocorrer devido à privação escolar ou mau método de aprendizagem. Sendo assim, é possível considerar que a criança é portadora de discalculia por equivocar-se, frequentemente, com os dados numéricos.

Portanto, os sintomas que podem ser observados em uma criança com discalculia são:

  • Recorre, com frequência, aos dedos para solucionar operações básicas;
  • Tem problemas para entender o sentido dos números;
  • Apresenta dificuldades para interpretar quantidades;
  • Tem dificuldade para escrever e ler os números;
  • Tem problemas para automatizar as tabelas de multiplicação.

Entretanto, cabe destacar que, no momento de comprovar esses sinais de alerta, é necessário estar atento:

  • À idade cronológica;
  • Ao nível de desenvolvimento.

Assim, uma vez estabelecida a suspeita da possível presença da discalculia, é importante entrar em contato com a escola, a fim de que se debata a informação com os professores e se faça uma avaliação profunda por parte da coordenação pedagógica.

Um dos testes psicométricos utilizados por profissionais para detectar a discalculia é a BACMAT (Bateria de Aferição de Competências Matemáticas).

Como saber se meu filho tem discalculia

Ajudar meu filho com discalculia

A ajuda a um filho com discalculia, dentro de casa, precisa ocorrer de forma lúdica e divertida, sem qualquer pressão ou estresse para a criança. Assim, algumas ideias para praticar a competência matemática são:

  • Trabalhar passatempos numéricos;
  • Ensinar cálculo a partir da demonstração e de modelagens;
  • Utilizar jogos que incluam a necessidade de fazer operações aritméticas;
  • Fazer exercícios práticos de cálculo que devem focar na vida cotidiana;

Ainda, a família deve comprovar que a escola adota medidas pertinentes para resolver as dificuldades de aprendizado da criança. Dito isso, normalmente, dentro da escola esses estudantes participam de sessões individuais com os profissionais de pedagogia terapêutica (PT).

Desse modo, elas podem treinar as competências matemáticas contando com materiais especializados e seguindo uma didática voltada ao reforço para a aquisição dessa competência.

  • García-Orza, J. (2012). Dislexia y discalculia.¿ Extraños compañeros de viaje? Conferencia para el XXVIII Congreso de Aelfa. Revista de Logopedia, Foniatría y Audiología, pp. 142-151.
  • Mastropieri, M. A., Scruggs, T. E. y Shiah, S. (1991). Mathematics instruction for learning disabled students: A review of research. Learning Disabilities Research and Practice, 9, 49-58.
  • Miller, S. P. y Mercer, C. D. (1997). Educational aspects of mathematics disabilities. Journal of learning disabilities30(1), 47-56.
  • Miranda, A., Fortes, F. y Gil, M.D. (2000). Dificultades del aprendizaje de las matemáticas: un enfoque evolutivo. Málaga: Ediciones Aljibe.