Pais otimistas, filhos otimistas

· 6 de junho de 2018
O otimismo não é a negação de uma realidade, mas uma forma de buscar soluções e olhar para além dos problemas a fim de seguir em frente. Em outras palavras, é uma prática muito benéfica para todos.

Se os pais forem otimistas em casa, o ambiente de crescimento e o desenvolvimento pessoal será construtivo e extremamente benéfico para todos os membros da família, especialmente para os filhos. Por essa razão, os psicólogos determinaram que o otimismo em casa é o ingrediente mágico para que nossos filhos se transformem em indivíduos com segurança e integridade.

É importante dar prioridade à educação emocional e não parar de enriquecer nossa família com ferramentas e soluções, já que são elementos que vão facilitar a convivência e nos ajudar a manter a harmonia dentro de casa. Uma questão que, sem dúvida, permite superar com maior facilidade as várias dificuldades da vida.

Visto que as crianças imitam seus pais, é importante saber dar um bom exemplo de otimismo. Para isso, devemos ser coerentes, tolerantes, respeitosos e resilientes.

A seguir, vamos comentar com mais profundidade por que é importante que em todos os lares os pais sejam otimistas. Também vamos falar sobre algumas ações que são ótimas para colocar em prática no dia a dia.

Pais otimistas, filhos otimistas

Embora pareça uma fórmula muito simples, implica uma grande logística. Quando um casal decide se transformar em pais otimistas, não se pode parar na abstração do conceito, deve-se colocar estratégias em prática pouco a pouco. Assim como diz o ditado “sem pressa, mas sem pausa”. Porque um estilo de vida positivo, saudável e benéfico se constrói assim, grão a grão. Todas as ações contam.

Os pais otimistas que decidem educar seus filhos desde cedo com base nessa perspectiva, não só os ajudam a agregar valores, mas também lhes proporcionam uma atitude crítica construtiva que contribui, inclusive, com o autoconhecimento. Por isso, são capazes de desenvolver uma boa autoestima, confiança, coragem e empatia.

E tornamos a repetir: o otimismo não busca um mundo de fantasia nem de ignorância deliberada das dificuldades e dos aspectos negativos da realidade. Pelo contrário, busca conhecer a realidade a fundo e estar consciente de que apesar de nem tudo ser simples, sempre se pode tirar proveito das adversidades para poder evoluir. Paralelamente, implica saber quais circunstâncias são passíveis de mudança. Além de saber ser flexível.

As crianças que têm pais otimistas sempre vão buscar a solução dos problemas, sem se deixar estagnar no sofrimento. Essa atitude as ajudará a ter melhor qualidade de vida de um modo geral. Além disso, também serão uma grande inspiração para outras crianças da mesma idade e, com o tempo, podem se transformar em bons modelos a seguir.

A vitimização é nociva para a saúde emocional

As queixas estão diretamente relacionadas com a vitimização e, talvez provavelmente, com uma baixa autoestima. Se tivermos dificuldades para enxergar os nossos aspectos positivos, começarão a aparecer de forma reiterativa frases como: eu não tenho sorte; os outros estão bem e eu não, sempre fracasso; minha família é diferente das outras (de um ponto de vista negativo).

Quando se tem uma linguagem vitimista e negativa em casa, inevitavelmente as crianças assumem uma atitude passiva, de derrota em relação à vida e isso as levará a deixar de lutar para viver melhor e conseguir o que querem. Elas vão acreditar que não têm o controle da própria vida e que independente do que fizerem tudo vai dar errado.

Por outro lado, o excesso de autocrítica também é prejudicial para o desenvolvimento das pessoas, já que as leva a se sentirem incompetentes, independentemente do que fizerem ou do quanto se esforçarem.

Educar no otimismo é apostar no desenvolvimento integral.

Conselhos para evitar a negatividade em casa

  • Evite uma linguagem vitimista e destrutiva. Pelo contrário, aposte na solução criativa de problemas, cultive o amor próprio e promova as frases positivas.
  • Dirija sua atenção sempre aos seus aspectos positivos e aos dos seus filhos.
  • Explique às crianças que não existe coisas como: “vidas perfeitas”, “famílias perfeitas” ou “pessoas perfeitas”, que todos nós temos dificuldades, mesmo depois de muito esforço. Mas também diga que as conquistas são obtidas com coragem e persistência.
  • Quando seu filho se queixar ou criticar os outros, não apoie esses comentários. Em contrapartida, escute-o. Mas deixe claro que, embora efetivamente existam pessoas más, os primeiros responsáveis por nossas vidas, somos nós mesmos.
  • Utilize as chamadas vitaminas emocionaisElas nos ajudarão a nos mantermos centrados e a nos esforçarmos com entusiasmo e energia.

Portanto, pais, vocês já sabem: se quiserem que seus filhos sejam positivos, vocês devem começar por descartar as palavras negativas e as atitudes de derrota em casa. Lembrem-se: educamos com o exemplo mais do que com os conselhos.