Congestão em crianças: o que fazer?

01 Maio, 2020
Os mais velhos sempre nos disseram para tomar cuidado ao entrar na água depois de comer. A recomendação é esperar pelo menos duas horas antes de mergulhar para, dessa forma, evitar uma congestão. Mas, afinal, o que é esse problema?

A congestão em crianças é uma situação que ocorre com bastante frequência. Diante dela, não há motivo para preocupações, mas devemos nos informar sobre as causas para saber qual é a melhor maneira de reagir.

O que é a congestão e quais são as suas causas?

A digestão é o processo por meio do qual o corpo humano obtém os nutrientes dos alimentos que são ingeridos. Esse processo orgânico começa desde que o alimento entra pela boca e termina quando o corpo termina de absorver os nutrientes necessários, deixando os resíduos no trato intestinal.

A famosa congestão refere-se à parada repentina do processo de digestão. Embora seja uma expressão popular bastante usada, em termos médicos o ter correto para essa situação seria indigestão.

De qualquer forma, esse mal-estar, também conhecido como hidrocussão, pode ocorrer em qualquer pessoa, mas os casos mais comuns ocorrem em crianças.

As causas da congestão em crianças são variadas. Para entender a origem dessa situação, é importante saber que, depois de comer, o fluxo sanguíneo se concentra principalmente no trato digestivo, justamente para ajudar a concretizar o processo de digestão.

Uma das principais causas da congestão é uma mudança brusca na temperatura no corpo durante a digestão. Se isso acontecer, o sangue precisa se dirigir para outros órgãos rapidamente, o que causa uma interrupção no processo de digestão.

Congestão em crianças

A causa mais comum da congestão em crianças é entrar na água imediatamente depois de comer, seja na piscina ou no mar. Quando o corpo da criança entra em contato com a água fria logo depois de comer, ocorre a interrupção da digestão. 

Congestão em crianças: dor de barriga

É necessário conhecer essa situação e saber como reagir a ela. Isso porque esse tipo de congestão pode causar perda de consciência, pois ocorre uma diminuição do fluxo de sangue que vai para o cérebro.

Além de entrar na água, realizar atividades que exigem muito movimento depois de comer também pode causar congestão em crianças. Portanto, é aconselhável esperar um pouco antes de iniciar atividades que representem um gasto de energia corporal.

O que fazer se ocorrer uma congestão em crianças

Se as crianças mergulharem ou correrem após as refeições, elas podem começar a se sentir mal. Os sintomas mais comuns da congestão em crianças são pele pálida, suor e tontura.

Nesses casos, a melhor maneira de aliviar o mal-estar é fazer a criança se deitar e elevar um pouco as pernas. Dessa forma, a tontura vai começar a desaparecer, assim como a queda de pressão. Geralmente, o paciente melhora em alguns minutos, embora seja recomendado que ele descanse durante pelo menos duas horas.

“A famosa congestão, essa expressão tão usada, refere-se à parada repentina do processo de digestão”.

Mais tarde, a criança pode apresentar vômitos ou diarreia. Portanto, devemos ficar atentas: se ela apresentar esses sintomas, é recomendável manter uma dieta líquida a fim de evitar a desidratação.  Se os sintomas não melhorarem ou piorarem ainda mais, com uma possível perda de consciência, devemos ir ao pronto-socorro imediatamente.

Nos casos mais graves, embora isso seja raro, uma congestão também pode causar uma parada cardiorrespiratória. Por esse motivo, é muito importante que os pais reajam o mais rápido possível diante dos primeiros sintomas.

Congestão em crianças: nadar depois de comer

Prevenir a congestão em crianças

A recomendação para prevenir a congestão em crianças já foi mencionada anteriormente. O mais eficaz é ensinar as crianças a se acostumarem a esperar pelo menos duas horas depois de comer antes de entrar na piscina ou de começar a praticar atividades físicas intensas.

Também é conveniente, em dias de piscina ou mar, preparar refeições mais leves. Dessa forma, a digestão será mais rápida e a congestão poderá ser evitada. Os alimentos ricos em gordura devem ser evitados, pois requerem mais tempo para serem digeridos adequadamente.

É importante que as crianças não entrem na água fria de uma forma brusca. Assim, recomenda-se que elas entrem progressivamente para que o corpo possa se acostumar gradualmente à mudança de temperatura.

Além disso, as precauções para entrar na água devem ser maiores se a criança estiver brincando ao sol, pois a variação de temperatura nesse caso será mais brusca.

Em conclusão, embora a congestão em crianças seja algo comum, é importante saber como reagir diante de um mal-estar. É necessário ensinar as crianças a esperarem o tempo adequado para digerir os alimentos. Essa é uma maneira muito eficaz de prevenir uma congestão e, além disso, também é um hábito saudável.

  • Guarino A., Guandalini S., Vecchio AL., Probiotics for prevention and treatment of diarrhea. J Clin Gastroenterol, 2015.
  • Santillanes G., Rose E., Evaluation and management of dehydration in children. Emerg Med Clin North Am, 2018. 36 (2): 259-273.