Consciência fonológica, a melhor ferramenta para corrigir a dislexia

Consciência fonológica, a melhor ferramenta para corrigir a dislexia

Última atualização: 26 Março, 2021

Você já ouviu falar dos benefícios do treinamento em consciência fonológica? De acordo com vários estudos, é o melhor método para corrigir a dislexia. É uma prática implementada desde cedo e evita que esse transtorno se transforme em uma dor de cabeça compartilhada por alunos, pais e educadores.

De certa forma, essa estratégia envolve o desenvolvimento de uma importante habilidade de pré-leitura. Então, vamos procurar entender o que é essa prática e por que ela é tão eficaz. Descubra neste artigo a solução para um dos problemas infantis mais frequentes da atualidade.

Consciência fonológica, o que é exatamente?

A consciência fonológica consiste em desenvolver a habilidade de manipular os sons da linguagem mentalmente. Sua particularidade reside na total ausência de linguagem escrita. Ou seja, reforçar a palavra falada sem recorrer de antemão ao campo da leitura e da escrita.

É por isso que é colocada em prática uma grande diversidade de atividades nas quais essa regra está presente. Por exemplo, decidir se um determinado som está em uma palavra, separar as sílabas ou substituir um fonema por outro. Também é possível abordar esse método por meio de ferramentas lúdicas, tão eficazes e úteis quanto divertidas.

A escolha de especialistas na área desse tipo de estratégia não é casual. Isso porque uma série de estudos e pesquisas confirmaram uma relação impactante. Um déficit fonológico foi identificado na grande maioria dos alunos disléxicos.

Esse detalhe, que não é insignificante, anda de mãos dadas com uma certeza do mundo da ciência e da educação. A tarefa de identificação fonêmica é precisamente uma das mais preditivas em nível de leitura. Isso também é corroborado por vários estudos sobre a detecção precoce da dislexia.

Consciência fonológica: atividades musicais.

A chave para o sucesso e a eficácia

É simples. Para que uma criança aprenda a realizar operações matemáticas, é essencial ensiná-la previamente o valor dos números. Da mesma forma, para o aluno aprender a ler, ele deve ter certas habilidades de pré-leitura previamente desenvolvidas.

Geralmente, a maioria dos disléxicos não desenvolveu essas habilidades de pré-leitura corretamente. É por isso que muitas vezes enfrentam o processo de aprendizagem da leitura sem que estejam preparados para isso. Daí o chamado “fracasso escolar” e a frustração infantil.

Dessa forma, essas crianças não conseguem avançar na aquisição de conhecimentos básicos e elementares da fase em que se encontram. É justamente isso que gera a sensação de opressão, lidar com um conjunto de símbolos e sons que parecem não fazer sentido.

Um verdadeiro conhecimento não é absorvido até que a pessoa se torne dona de si mesma. Isso implica necessariamente que o aluno o integre aos seus saberes prévios, podendo compreendê-los, analisá-los e relacioná-los. Obviamente, tudo isso sem a necessidade de recorrer a estímulos externos.

Justamente o treinamento em consciência fonológica permite ao aluno compreender a estrutura segmental da linguagem. Isso desenvolve suas habilidades para discriminar, categorizar, associar e sintetizar a informação linguística recebida.

Consciência fonológica: considerações importantes

Sala de aula: aprendendo a desenvolver a consciência fonológica.

É claro que, a referência a uma habilidade de pré-leitura significa que é necessário desenvolvê-la – como o nome indica – antes de começar a ler e escrever. Com o início do aprendizado da leitura e conforme o crescimento da criança, o treinamento em consciência fonológica perderá sua eficácia.

No entanto, geralmente, os alunos são tratados quando já é tarde demais. Ou seja, pais e educadores tendem a esperar para fornecer essa atenção à criança quando o atraso em relação aos seus pares é mais do que considerável.

Por isso, no caso dos pequenos que já estão aprendendo a ler, essa ferramenta está incluída no programa de intervenção, mas sem aprofundamento. Simplesmente o método (mais básico) é combinado com atividades iniciais de alfabetização.

Claro, o foco sempre estará principalmente nas dificuldades mostradas pela criança e nos segmentos que mais gerarem confusão. Portanto, é imprescindível programar um treinamento adequado, evitando a realização de atividades que não surtem efeito devido à idade da criança e sua complicação.

Em suma, os especialistas afirmam que o treinamento da consciência fonológica deve ser praticado em crianças que têm entre 4 e 7 anos. Também é recomendado adotar um procedimento de progressão crescente de dificuldade para alcançar resultados maravilhosos na aprendizagem da leitura e da escrita.

Pode interessar a você...
10 ideias para incentivar a alfabetização
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
10 ideias para incentivar a alfabetização

Você gostaria que os seus filhos tivessem interesse pela leitura e pela escrita? A seguir, vamos apresentar 10 ideias para incentivar a alfabetização.