Contato pele a pele com o recém-nascido

O primeiro contato de um recém-nascido com a pele de sua mãe representará um sentimento de tranquilidade e proteção indescritível para ambos. Por que esse momento é tão importante?
Contato pele a pele com o recém-nascido

Última atualização: 29 Junho, 2020

O vínculo entre mãe e filho começa, sem dúvida, desde o ventre materno e se consolida com o contato pele a pele com o recém-nascido. No primeiro contato físico, exatamente nesse momento logo após o parto, é que o toque das peles cria um vínculo para o resto de suas vidas que trará muitos benefícios para ambos.

Entre essas vantagens está o fato de que isso fornece calor e favorecerá a amamentação durante os primeiros meses. Essa interação busca potencializar o vínculo entre o recém-nascido e a mãe, proporcionando o bem-estar emocional que o pequeno tanto precisa e que é de extrema importância para o seu desenvolvimento.

A conexão do momento também é complementada pela amamentação e pelo conforto que o calor da temperatura corporal da mãe proporciona ao bebê.

Ainda que esse primeiro contato ocorra logo após o nascimento, ele não se limita à sala de parto. O contato pele a pele com o recém-nascido é um método que pode ser usado tanto pelo pai quanto pela mãe. Além disso, recomenda-se que seja praticado de forma contínua, pois traz benefícios não apenas imediatos, mas também a longo prazo.

Quando praticar o contato pele a pele com o recém-nascido

Uma vez que o bebê estiver estável e fisiologicamente preparado, ele poderá ser trazido da incubadora para os braços da mãe, com o apoio da equipe de enfermagem. O objetivo é que ela forneça o calor de que ele precisa, ao estar em contato pele a pele com o recém-nascido.

Não há limite de tempo para o contato pele a pele se as condições clínicas da criança permitirem que ela permaneça no peito da mãe. No entanto, recomenda-se que seja de pelo menos uma hora, para que o bebê possa se estabilizar física e emocionalmente.

Contato pele a pele com o recém-nascido

Além disso, é de extrema importância que os pais estejam sentados ou deitados durante o encontro, com o peito nu e vestindo roupas confortáveis ​​que permitam que o recém-nascido deslize para ter contato com a sua pele.

O bebê deve usar apenas a fralda e deve ser segurado com o antebraço na posição vertical. Ele também pode ser coberto com uma manta, se necessário.

Assim, esse contato direto entre a pele do recém-nascido e a de sua mãe será essencial para regular a temperatura do bebêAlém disso, também oferecerá um grande número de benefícios para ambos.

Essa prática também pode ser feita pelo pai ou pelos irmãos mais velhos que, além de fornecer o calor necessário ao bebê, também vão fortalecer seus laços com ele.

“Quando um recém-nascido aperta com sua pequena mão, pela primeira vez, o dedo do seu pai, este fica preso para sempre”
– Gabriel García Márquez –

Benefícios para o bebê

Os bebês que têm contato pele a pele com a mãe após o nascimento começam a amamentação adequada em menos tempoNessa posição, eles podem procurar o peito facilmente de forma instintiva e iniciar uma sucção espontânea e eficaz muito mais cedo.

Esse fato é muito importante, uma vez que o leite materno apresenta múltiplos benefícios para o bebê. Entre eles, a capacidade de nutrir e fornecer proteção contra infecções.

Da mesma maneira, esse contato físico regula a temperatura do recém-nascido, pois a pele da mãe fica mais quente em resposta à sua presença. Além disso, o bebê recebe uma estimulação sensorial através das palavras ouvidas e dos carinhos recebidos.

Contato pele a pele com o recém-nascido

Importância para o descanso da mãe e do filho

Colocar a criança no colo da mãe ajuda a controlar o seu choro e reduz os níveis de cortisol, um hormônio relacionado ao estresse. O cortisol é neutralizado quando temos a sensação de segurança necessária para relaxar e descansar.

A segurança e a tranquilidade que emana do contato pele a pele favorecem bastante o sono e o descanso, mas não apenas para o recém-nascido. A calma que ele transmite ao relaxar, ao mesmo tempo, também permitirá que o estresse da mãe diminua e aumentará a sua confiança na maternidade.

Dessa forma, o contato pele a pele com o recém-nascido se torna uma troca natural e indispensável para todos os pais, a fim de criar uma proximidade com o bebê, além de transmitir bem-estar e proteção.

A transição do útero para o mundo exterior pode ser cheia de estresse para o recém-nascido. Uma recepção calorosa ao encontrar a pele da mãe pode ser suficiente para que isso seja combatido.

Pode interessar a você...
Como deve ser o colchão do bebê?
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
Como deve ser o colchão do bebê?

Escolher o colchão do bebê é uma questão de vital importância para o seu descanso e desenvolvimento. Saiba como escolher o melhor colchão para o se...