Como conter as crianças impertinentes

29 Novembro, 2020
As crianças impertinentes têm atitudes que às vezes podem deixar seus pais em situações embaraçosas. A seguir, veremos como conter a impertinência nas crianças.

Há crianças que não deixam os outros falarem porque acreditam que sempre têm razão. Elas não ouvem, não aceitam repreensões e a sua falta de respeito pelos adultos ou pelas outras crianças está na ordem do dia. Esses pequenos são um verdadeiro desafio para os pais. Por isso, veremos algumas maneiras de conter as crianças impertinentes.

Algumas crianças exibem essas atitudes de uma maneira tão inteligente que fica difícil perceber a impertinência e, por isso, às vezes não conduzimos bem a sua educação. Nesse sentido, deixamos passar essas atitudes que podem transformar o pequeno em “uma criança chata para os outros”.

Portanto, é importante identificar esses comportamentos impertinentes e contê-los para que a criança não acabe se tornando inoportuna. Mas como? Veremos a seguir.

Crianças impertinentes: por quê?

As crianças impertinentes são dessa forma porque essas atitudes ou comportamentos não foram corrigidos no momento certo. Enquanto são pequenas, talvez possa ser divertido ouvir suas respostas astutas e inteligentes, e sentimos orgulhos dessas formas de falar, mas o que realmente importa é identificar e orientar esses comportamentos para ações positivas que valorizem a sociedade e a família.

Como deter as crianças insolentes

Por exemplo, um pai está falando com o filho de quatro anos sobre algo de errado que ele fez, mas, em vez de aceitar que errou, o filho responde falando de um erro que o pai cometeu.

Isso, a princípio, pode parecer engraçado para o pai por causa da inteligência do filho, mas, se não for corrigido, o pequeno vai desenvolver uma falta de empatia e incapacidade de reconhecer os seus erros, o que fará com que ele acabe se tornando uma criança inoportuna e impertinente, rejeitada pela sociedade.

As crianças testam até onde podem ir com os seus comportamentos e atitudes sem que os pais as repreendam. Assim, elas exploram os limites e testam a paciência, a reação e a forma de lidar com esses comportamentos inesperados por parte dos pais.

Dicas para evitar que os seus filhos sejam crianças impertinentes

Muitas vezes, os pais não são ágeis na hora de agir de acordo diante de um mau comportamento. Essa situação pode nos levar a duas coisas: deixar passar porque aconteceu há vários dias ou conversar com as crianças de uma forma empática para explicar que isso não foi certo, mesmo que já tenham se passado horas ou dias.

A questão é aprender com os nossos filhos e encontrar a melhor forma de agir. Com os pequenos, cada dia é um novo desafio que os pais devem enfrentar. Por isso, veremos algumas dicas para evitar essas atitudes impertinentes.

Sempre respeitar os adultos

É preciso educar as crianças quanto ao respeito pelos adultos. Elas devem entender que as pessoas mais velhas são tratadas de forma diferente e que devem ser respeitadas por meio de palavras e ações.

Seja coerente no que você diz e faz para conter as crianças impertinentes

Quando você vê uma pessoa que diz uma coisa e faz outra, o que pensa? Você não deve ser incongruente quanto ao que diz e faz, porque, caso contrário, você perderá a credibilidade e o respeito. Seja coerente e as crianças também vão agir dessa forma, pois elas aprendem a partir das ações dos pais.

Sempre conte com a opinião dos pequenos para mostrar o quanto isso é importante para você

Sempre que possível, peça a opinião do seu filho para que ele veja que o que ele pensa é muito importante para você. Assim, ele compreenderá que há momentos em que ele pode opinar e outros em que não pode. É fundamental que o pequeno saiba distinguir quando deve ficar calado e quando deve opinar.

Incentive as boas maneiras

É claro que cada pessoa enfrenta as mesmas situações de formas diferentes, de acordo com a sua experiência ou as suas preferências. Mas é essencial que exista um padrão de comportamento de acordo com os seus valores e que esse padrão seja transmitido aos seus filhos.

Por exemplo, os comportamentos de saber esperar a vez, de saber quando ficar quieto diante de uma conversa que não lhe diz respeito, de respeitar tudo que não for seu, de ouvir com atenção quando alguém fala com você…

Dicas para conter as crianças impertinentes

Existem algumas dicas para distrair que podem ser úteis caso você se veja em uma situação embaraçosa por causa de uma resposta inadequada do seu filho. Entretanto, não as use sempre e indiscriminadamente porque o seu filho vai aprendê-las e, assim, elas vão perder sua função. Vejamos algumas dessas dicas:

Como deter as crianças insolentes

  1. Use a surpresaDiante de um mau comportamento, faça uma piada ou faça cócegas na criança para distraí-la da sua ação.
  2. Mude de assunto inesperadamente. Se estiverem brincando, mude de jogo ou de atividade, ou, se estiverem conversando, mude de assunto.
  3. Faça um ruído ou um gesto inesperado. Se você chamar a atenção da criança repentinamente, a mente dela vai se distrair e você poderá orientá-la a um comportamento mais positivo.
  4. Sugira opções limitadas. Quando o seu filho quiser algo que não é possível, você pode dar a ele uma escolha entre duas outras opções que pareçam adequadas para você. Dessa forma, o pequeno pensará que alcançou o seu propósito.

A importância de conter as crianças impertinentes

As crianças impertinentes podem parecer engraçadas no início por causa de seus comentários inteligentes, mas, se os pais não se derem conta disso, essas crianças podem acabar sendo as típicas crianças impertinentes e inoportunas ​​que são rejeitadas pela sociedade. Essas dicas e conselhos podem ser muito úteis diante de situações embaraçosas.

É importante educar as crianças com empatia e orientar suas atitudes para ações positivas, que a levem a outro caminho em vez da impertinência. E lembre-se: trabalhar na educação dos nossos filhos é reforçar sua evolução!

  • Audrey, R. (1999). ¡No seas impertinente!: Un programa en cuatro fases para poner fin al mal comportamiento de sus hijos. Siglo XXI.