Como corrigir efetivamente as crianças que insultam

09 Novembro, 2020
Algumas crianças têm comportamentos inadequados, tais como falar palavrões, insultar ou falar de forma depreciativa. É possível corrigir efetivamente as crianças que insultam? Quais podem ser as causas desse comportamento?

Às vezes, os pais se veem em situações nas quais os filhos insultam, falam palavrões ou falam de forma depreciativa. Esses comportamentos nada adequados não necessariamente precisam ter uma única causa. Em muitos casos, eles são reproduzidos por causa de uma combinação de motivos que fazem com que os pequenos tenham esses comportamentos. Você quer saber como corrigir efetivamente as crianças que insultam?

É claro que sempre devemos levar em consideração a idade da criança para corrigir esses comportamentos de diferentes formas. Afinal, não é a mesma coisa que uma criança de 2 anos diga um insulto do que outra de 11.

Quais podem ser as causas desses comportamentos? Como podemos corrigir efetivamente as crianças que insultam? Vamos tentar responder a essas perguntas a seguir.

Razões pelas quais as crianças insultam

Podem ser várias as causas que produzem esses comportamentos inadequados, ou seja, não necessariamente há uma única causa, pois podem ocorrer várias em paralelo. As mais comuns são as seguintes:

corrigir as crianças que insultam de forma eficaz

Fatores hereditários, caráter, temperamento ou personalidade

Dependendo da personalidade ou do temperamento da criança, ela pode ser mais propensa ou favorecer esse tipo de comportamento inadequado, como os insultos, por exemplo.

Problemas psicológicos, tais como depressão ou transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH)

Alguns problemas psicológicos podem envolver certos problemas comportamentais durante a infância. Por isso, é importante saber se a criança tem ou não um problema desse tipo para que possamos tomar as medidas cabíveis.

Problemas de autoestima, atenção ou socialização

Problemas desse tipo podem levar as crianças a insultar pessoas mais velhas e a dizer palavras depreciativas ou ofensivas. Em muitas ocasiões, esses insultos são uma forma de expressar a raiva que as crianças sentem por outras circunstâncias que estão acontecendo em suas vidas e sobre as quais elas não têm controle.

O estilo educacional dos pais, especialmente o permissivo

Se os pais não são capazes de fazer cumprir as regras ou os limites de que os filhos precisam e acabam concordando com os seus pedidos para evitar conflitos, no final das contas, os filhos se tornam tiranos e os pais, aos quais insultam, passam a ser os seus escravos.

Como podemos corrigir efetivamente as crianças que insultam?

Se nós, os pais, parecermos flexíveis e negligentes, estaremos dando a entender que a criança é o centro de tudo e que os adultos estão ali para satisfazer tudo o que ela desejar. Portanto, quando rejeitarmos um pedido, ela acabará insultando e dizendo palavras depreciativas aos pais.

Proceder de forma perseverante e razoável com as crianças

Dessa forma, as crianças vão internalizar de forma mais eficaz o que queremos transmitir a elas. Se não formos firmes, no final das contas, os pequenos vão acabar desorientados e voltarão a se comportar da maneira que não queríamos que fizessem.

Ensinar a administrar a frustração para corrigir as crianças que insultam

É muito importante que, desde pequenas, as crianças aprendam a administrar a frustração, pois, quando forem mais velhas, as coisas nem sempre serão como elas querem e será necessário saber lidar com essas situações de forma eficaz. É fundamental ensinar que nem tudo sempre é da forma que se quer ou deseja e que nem sempre as coisas acontecem como queremos.

Aprender a expressar a raiva sem prejudicar ou magoar as outras pessoas

Às vezes, o sentimento de raiva é tão intenso que as crianças o liberam insultando ou dizendo palavras depreciativas aos outros. Por isso, é importante ensinar outras alternativas para que elas liberem essa raiva e a direcionem para outros objetivos mais construtivos.

corrigir as crianças que insultam de forma eficaz

Ser preciso e inflexível ao impor e ao fazer com que as regras básicas sejam cumpridas

Isso não significa que devemos utilizar a punição para fazer com que as regras sejam cumpridas, e sim que devemos dar o exemplo, além de compreensão e muita motivação. Para isso, devemos deixar as regras e normas claras desde o início, sendo inflexíveis ao aplicá-las.

Ser um modelo e exemplo para corrigir as crianças que insultam

Somos as referências com as quais as crianças contam, pois, desde pequenas, elas aprendem por imitação. Se, como pais, ficarmos bravos, insultarmos ou ameaçarmos, não teremos autoridade moral para corrigir esses mesmos comportamentos nos nossos filhos.

Moderar as reações

Continuando com o ponto anterior, devemos ter em mente que quanto mais nos irritarmos com as crianças quando elas nos insultarem, mais poder estaremos dando a elas. Os pequenos aprendem rapidamente com as nossas reações e a forma como os seus insultos nos afetam.

Ao repreender a criança, sempre temos que permanecer firmes, porém sem sermos autoritários. Devemos explicar sem gritar. Além disso, é até mesmo preferível ignorar certos comportamentos a aplicar punições.

Corrigir efetivamente as crianças que insultam para uma boa educação

Esses são alguns dos aspectos que podemos levar em consideração para corrigir efetivamente as crianças que insultam. Contudo, se não observarmos uma mudança positiva nos pequenos após sua aplicação, talvez a questão possa ser resultado de algum problema psicológico e, portanto, devemos entrar em contato com um profissional para que ele possa nos aconselhar e fornecer orientações eficazes para o caso específico do nosso filho.