O que as crianças aprendem quando se fantasiam?

A brincadeira com fantasias traz inúmeros benefícios a nível educacional. Descubra quais!
O que as crianças aprendem quando se fantasiam?

Última atualização: 26 julho, 2022

Fantasiar-se é uma das atividades favoritas dos pequenos. Mas o que muitos não sabem é que quando as crianças se fantasiam, além de se divertirem, elas aprendem uma infinidade de valores e habilidades fundamentais para seu desenvolvimento integral. Quer saber a que estamos nos referindo? Preste atenção ao que vamos contar nas próximas linhas.

O figurino é um recurso educacional ideal para estimular o jogo simbólico, ou seja, a capacidade de criar histórias e representações mentais a partir de situações fictícias ou inspiradas no cotidiano. Isso permite que as crianças deixem sua imaginação correr solta e se tornem todas as pessoas e personagens que quiserem ser.

“Enquanto brinca, a criança sempre se comporta além de sua idade, acima de seu comportamento cotidiano. Enquanto brinca, é como se ela fosse maior do que é.”

-Lev Vigotski-



Menino pulando na cama vestido de astronauta.

O que as crianças aprendem quando se fantasiam?

Brincar de se fantasiar traz muitos benefícios para a educação e o desenvolvimento adequado na infância. Assim, graças a esta atividade lúdica, os pequenos realizam as seguintes aprendizagens.

Aumentam a criatividade e imaginação

Ao ter que inventar e recriar histórias em que as próprias crianças e os seus figurinos são os principais protagonistas, elas são obrigados a explorar toda a sua criatividade e imaginação. Além disso, se o figurino for feito com as próprias mãos, utilizando diferentes materiais, roupas e objetos, a capacidade criativa é potencializada.

Aprendem a expressar livre e abertamente seus sentimentos e pensamentos

Ao vestir as fantasias, as crianças de alguma forma deixam de ser elas mesmas para se tornarem outras pessoas ou personagens, reais ou fictícios. Isso faz com que elas se sintam seguras e confortáveis para expressar livremente seus verdadeiros sentimentos e pensamentos, e exteriorizam tudo o que carregam dentro de si (seus medos, preocupações, experiências, ambições, etc.).

Desenvolvem empatia

Graças à brincadeira com as fantasias, os pequenos aprendem a interpretar e assumir diferentes papéis e funções, ou seja, a se colocar no lugar dos outros. Isso permite que eles entendam melhor os sentimentos, as emoções, os pensamentos e os comportamentos dos outros.

Adquirem habilidades sociais e de comunicação

Quando as crianças se fantasiam junto com outras, elas aprendem a compartilhar o jogo com seus pares e a seguir uma série de regras comportamentais, de modo que a capacidade de socialização é claramente estimulada.

Da mesma forma, brincar de se fantasiar ajuda a melhorar as habilidades de comunicação, pois as crianças tendem a usar uma linguagem diferente da habitual durante o jogo, adaptando-se às características e personalidades das pessoas ou personagens que interpretam.

Melhoram a capacidade de observar e imitar

As crianças projetam em seu jogo tudo o que observam no dia a dia em seu ambiente. Assim, quando brincam com fantasias, elas imitam e reproduzem muitos dos comportamentos, expressões ou atitudes que observaram anteriormente em adultos.

Portanto, é conveniente observar como as crianças brincam, pois isso diz muito sobre elas mesmas e o ambiente em que elas se desenvolvem.

As crianças aprendem muitas coisas quando se vestem.

Quando as crianças se fantasiam, elas desenvolvem seu mundo interior

Os pequenos têm um mundo interior muito rico, um mundo cheio de fantasia e imaginação que precisam expressar de alguma forma. Uma boa maneira de fazer isso é através das fantasias, pois, como vimos nas linhas anteriores, assim elas podem experimentar e explorar como seriam em outros mundos e em outras situações, por exemplo, sendo super-heróis, bombeiros, professores, médicos, etc.

Assim, aos poucos, os pequenos constroem sua própria identidade e refletem em suas brincadeiras o modo como querem se tornar.

“Quanto mais você se fantasia, mais você se parece consigo mesmo.”

-José Saramago-

Por todas essas razões, as crianças não devem apenas ser incentivadas a se fantasiar em festas como no Halloween ou no carnaval, elas deveriam poder fazer isso durante todo o ano, seja com fantasias compradas em lojas ou fantasias caseiras.



Fantasia segura

Ao comprar ou fazer uma fantasia em casa, considere que você não terá o uso de uma roupa normal, pois o traje será muito mais exigido em termos de movimento e resistência.

Portanto, deve permitir que a criança corra e pule sem se enroscar ou correr o risco de tropeçar e cair. Cadarços, fitas e tiras não devem ser apertados ou ter nós corrediços.

Máscaras, óculos, capacetes ou qualquer outro dispositivo que cubra a cabeça ou os olhos, devem garantir a respiração tranquila, sem qualquer possibilidade de obstrução.

Tome cuidado para que os acessórios não sejam pontiagudos ou feitos de materiais duros, para evitar choques ou rasgos.

Devemos nos lembrar de que a criança estará desempenhando papéis, ou seja, ela se achará mais ágil, mais forte, mais habilidosa. Por tudo isso, não a perca de vista.

Pode interessar a você...
Gianni Rodari: humor, fantasia e jogos
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Gianni Rodari: humor, fantasia e jogos

Humor, fantasia e jogos nas histórias de Gianni Rodari, mestre da invenção e da imaginação. Vamos falar sobre algumas delas neste artigo.



  • Córdova Espinoza, C. G. (2019). El disfraz como recurso pedagógico para el desarrollo del pensamiento simbólico en niños de 3 a 4 años (Trabajo de Fin de Grado). Universidad Técnica de Ambato: Facultad de Ciencias Humanas y de la Educación, Ambato.