Segundo um estudo, as crianças que vão para cama mais tarde têm mais transtornos

18 de dezembro de 2018
Esse costume de colocar as crianças para dormir cedo não é moderno, foi passado de geração em geração e, finalmente, temos um bom argumento para segui-lo.

Estamos sendo muito rígidos com nossos filhos na hora de mandá-los dormir cedo? Um estudo confirmou que as crianças que vão para cama mais tarde tendem a sofrer mais transtornos. 

O psiquiatra pediátrico José Ferreira Belisario afirmou que antes era muito mais simples fazer as crianças dormirem cedo, mas que à medida que os anos passam isso tem se transformado em uma tarefa muito mais complexa.

Esse mau hábito afeta consideravelmente o futuro dos nossos pequenos, gerando problemas de atenção, ansiedade e outros transtornos.

Esses hábitos podem ser mudados?

Sim, como qualquer outro hábito. Mas a mudança deve vir acompanhada de um grande apoio da família. Se o desejo é mudar os hábitos da criança, os hábitos de todas as pessoas da casa também devem mudar.

Se a criança ainda ouvir barulhos na casa, pessoas assistindo televisão, luzes e outros aparelhos eletrônicos ligados, ela vai pensar que ainda é hora de brincar, e não de dormir.

mais tarde

Algumas recomendações de José Ferreira Belisario para evitar transtornos nas crianças:

  1. Dormir todos na mesma hora. Mesmo que os pais não durmam realmente, devem construir um ambiente de tranquilidade, no qual poderiam estar dormindo de verdade.
  2. Ler histórias antes de dormir. Constatou-se que acostumar as crianças à hora da leitura faz com que saibam que a hora de dormir se aproxima.
  3. Cor amarela na iluminação da casa. O doutor também recomenda que a iluminação da casa seja amarela, pois ajuda no relaxamento e estimula a chegada do sono.
  4. Não interromper o sono das crianças. Evitar a todo custo deixar celulares que fazem barulho por perto, podendo interromper o sono dos nossos filhos. Sempre pode chegar uma mensagem que vai acordar a criança.
  5. Os esportes ajudam as crianças a dormir. A atividade física deixa as crianças mais cansadas e faz com que queiram dormir mais cedo.

Nunca houve uma criança tão adorável que a mãe não preferisse vê-la dormindo.

-Emerson-

Vários transtornos podem aparecer

O doutor afirma que as crianças devem dormir às 00:30 hrs, pois o hormônio do crescimento trabalha na quarta etapa do sono.

Se a criança dormir muito tarde, esse hormônio vai funcionar por menos tempo.

Como essa conclusão foi determinada?

Para poder determinar o resultado desse estudo, foram comparadas imagens do cérebro de uma criança que dorme cedo com de outra que dorme tarde.

Ao realizar uma prova matemática, a primeira criança teve mais áreas resolvidas, enquanto a segunda teve menos.

A conclusão foi que a criança que dormiu menos tempo teve menos capacidade para absorver e resolver os exercícios.

Elas também podem apresentar Alzheimer

Além disso, o doutor acrescentou que as crianças que vão para cama mais cedo têm menos chances de sofrer de Alzheimer, enquanto as crianças que dormem tarde são mais propensas. Isso se deve ao fato de que a doença é adiada com sono e exercício.

É importante que os pais elaborem certas estratégias para que seus filhos durmam cedo. Assim, pode-se evitar que o futuro deles seja atravessado por transtornos devido à falta de sono.

A tecnologia faz as crianças dormirem mais tarde

A doutora Belén Esparis tem um ritual noturno: ela faz seus filhos colocarem todos seus aparelhos eletrônicos em uma caixa no chão antes de dormir.

Esparis afirmou que mais de uma vez seus filhos utilizaram o tablet embaixo dos lençóis. “Quase tive que tirar a porta do quarto do meu filho”, ela disse entre risadas para a diretora médica do Centro e Laboratório de Transtornos do Sono de Mount Sinai Medical Center em Coral Gables.

mais tarde

Segundo um estudo, a tela azul dos celulares tem um efeito duradouro e evita o sono.

“E se sabe que o uso desses dispositivos antes de se deitar reduz o sono entre 17 e 45 minutos por noite”, acrescentou o doutor Leonardo Torres, professor de otorrinolaringologia da University of Miami Health System.

Um estudo realizado por Torres determinou que apenas duas horas com um aparelho eletrônico reduz em 20% a melatonina, um hormônio produzido pelo corpo e necessário para dormir.

Ambos concordam que é mais importante desenvolver estratégias para que as crianças não usem aparelhos eletrônicos antes de dormir. Assim, poderão descansar o necessário.