Crianças com medo de dentista: como ajudá-las?

· 23 de janeiro de 2018

Algumas pessoas têm medo de aranhas, de avião, do escuro, de altura, do mar e, algumas vezes, outras têm medo de ir ao dentista.

Os medos que se desenvolvem ou se apresentam a partir da infância são produto de influências ou agentes externos. Especialmente, das atitudes e das opiniões dos adultos.

Em outras palavras, o medo de ir ao dentista pode surgir devido à forma como os adultos projetam sua imagem. Por outro lado, também pode surgir como parte do temor em relação ao desconhecido.

O medo de se sentar na cadeira do dentista é um dos transtornos reconhecidos pela Organização Mundial da Saúde. Ela afirma que, pelo menos 15% da população de um país sofre com esse problema.

Além disso, a OMS afirma que o medo ou a fobia de dentista parte especialmente das más experiências que as pessoas tiveram durante a infância.

Mesmo assim, o tema das crianças com medo de dentista ainda tem muito mais para ser investigado, já que os fatores avaliados também influenciam na experiência. Dessa forma, a Universidade Hebrea de Jerusalém, realizou um estudo em que foi monitorado o nível de ansiedade de um grupo de crianças que estava realizando uma limpeza bucal.

Uma parte da grupo foi a um consultório que possuía luzes coloridas, música e outros detalhes. Enquanto a outra parte do grupo se dirigiu a um consultório normal. Nesse teste ficou comprovado que a ansiedade se reduziu a apenas um minuto e meio nas crianças que compareceram ao consultório com cores e música.

Crianças com medo de dentista: como ajudá-las?

Conselhos para superar o medo de dentista

O desenvolvimento desse medo também vai depender do tratamento prestado pelo dentista. A seguir daremos alguns conselhos para que se você ajude seu filho a superar o medo de dentista.

  • Diga pra ele que ninguém vai machucá-lo e que tudo vai ficar bem.
  • Recompense o bom comportamento.
  • Não use expressões que o faça pensar em coisas negativas, tais como: não vai doer, não vai machucar, não vão injetar, entre outras… Isso apenas introduz esse tipo de pensamento na mente e, na verdade, pode ser que a criança nem tenha pensado nisso no começo.
  • Escolha um consultório especializado em tratamento infantil. Um espaço personalizado e mais amigável fará a experiência ser menos traumática.
  • Brinque de dentista em casa. Mostre a eles como é um dentista e dessa forma eles enxergarão o tema de maneira mais leve.
  • Se seu filho necessita ir ao dentista e o irmão mais velho também, faça com que a criança observe como o mais velho se comporta, já que não acontecerá nada de ruim.

Como lidar com a primeira visita o dentista?

É importante que a criança compareça ao dentista a partir do seu primeiro de idade. Nessa idade será possível avaliar a presença de cáries, assim como também se pode determinar se existe algum problema na mordida; e com isso é possível começar a preparar um histórico sobre o desenvolvimento dental da criança, o que é muito significativo.

Os pais devem conscientizar a criança sobre a higiene dental e os hábitos que devem adquirir.

Por isso, não basta apenas ensinar a escovar os dentes em casa. Essa atividade requer supervisão e uma visita ao dentista pelo menos 2 vezes ao ano.

Para lidar com as crianças com medo de dentista, é preciso ter em mente que desde a primeira vista devemos transmitir uma sensação de confiança e tranquilidade sobre o assunto. Posteriormente, será muito pertinente que a criança fique a vontade e confie no médico, em vez de criar medos.

Crianças com medo de dentista: como ajudá-las?

A influência dos pais

Na maioria dos casos, o medo de dentista é normal. Seja devido a uma experiência prévia ou por medo do desconhecido.

Mas não é bom que as crianças tenham medo do dentista quando é apenas sua primeira visita. Se nunca foram ao dentista porque deixar que sintam medo?

Às vezes são os pais quem influenciam no desenvolvimento desse medo. Quando utilizam frases como “você não deve comer tanto doce ou precisará ir ao dentista”, acabam deixando o implícito que o dentista é uma ameaça ou castigo.

Recomendações:

  • Não use o dentista como uma ameaça ou conte experiências negativas em relação às visitas do dentista.
  • Não se refira ao dentista com frases que o deixe em alerta ou numa atitude preventiva, tais como: “não vai machucar”.
  • Ensine sobre a higiene dental desde muito cedo e inclua o dentista nesse processo.
  • Diga que as visitas ao dentista são benéficas.