Há crianças que ficam doentes com mais facilidade?

9 de fevereiro de 2019
Se você já se perguntou se há crianças que ficam mais doentes do que outras, vamos oferecer alguns dados e estatísticas interessantes sobre esse questionamento. Com eles, você vai entender melhor esse fenômeno que, diariamente, gera incertezas para muitos pais.

Há crianças que ficam doentes com mais facilidade do que outras? Qual é a média considerada normal, por ano, de uma criança ficar doente?

Essas questões estão entre as mais frequentes nos consultórios pediátricos, pois, quando os pais verificam todas as faltas na escola que ocorreram devido à criança ter ficado doente, isso pode acender todos os sinais de alerta.

É normal que, entre o primeiro ano de vida e os sete anos de idade, as crianças fiquem doentes muito frequentemente. Isso porque seus sistemas imunológicos estão em um período de adaptação.

Por isso, mais do que à quantidade de vezes que a criança fica doente, é importante estar atento ao que é revelado pela sua condição física geral.

Há crianças que ficam doentes com mais facilidade do que outras?

É verdade que as crianças pequenas geralmente ficam doentes com muita frequência. Se formos contabilizar o número de vezes que a criança fica doente durante o ano, é possível pensarmos que, talvez, ela tenha um problema de saúde mais grave ou que ela fique doente com mais facilidade do que as outras crianças.

No entanto, para chegar a conclusões definitivas, vários dados que se referem às características inatas no crescimento das crianças devem ser analisados. Primeiramente, uma criança normal, que tenha uma boa saúde, fica doente pelo menos 9 vezes ao ano devido a alguma doença respiratória viral.

Agora, se a criança está em idade escolar, ou se os adultos da casa fumam, o número pode aumentar para 12 ou 13 episódios ao ano. Como você pode ver, esse número é consideravelmente alto, mas ainda está dentro das margens consideradas normais para crianças saudáveis.

Como identificar se uma doença é grave

Como identificar se uma doença é grave

Se uma criança saudável entre um e sete anos de idade pode ficar doente até nove vezes ao ano por causa de um ajuste no seu sistema imunológico ou pela exposição a novos vírus patogênicos, então como os pais podem identificar se a criança está com um problema de saúde mais grave?

Uma criança que fica doente esse número de vezes ao ano mas que, além disso, também tem diarreia constante, seborreia, micoses de pele frequentes ou problemas de crescimento, pode estar indicando ter uma deficiência nas suas defesas.

O mesmo acontece se alguma das manifestações gripais começar a piorar e se transformar em pneumonia ou meningite. Além disso, se o corpo não responder ao tratamento com antibióticos, pode-se dizer que a criança tem problemas de saúde específicos que devem ser analisados por um médico especialista.

“É normal que, entre o primeiro ano de vida e os sete anos de idade, as crianças fiquem doentes muito frequentemente porque seus sistemas imunológicos estão em um período de adaptação”

Diferenças entre problemas alérgicos e imunodeficiências

Para determinar se uma criança fica doente com muita facilidade devido a problemas de imunodeficiência, é importante identificar se o organismo dela não consegue lutar contra os agentes virais ou se, na verdade, as suas manifestações são o resultado de sintomas alérgicos.

A partir disso, entende-se que uma criança alérgica pode ter tosse durante quase o ano inteiro, assim como secreção nasal ou algum tipo de rinite. Isso ocorre porque suas defesas respondem exageradamente aos germes e apresentam sintomas que não estão necessariamente ligados a doenças graves.

crianças que ficam doentes

Alimentos que ajudam a aumentar as defesas

Uma alimentação completa e equilibrada vai ter um impacto positivo na saúde das crianças. Dessa forma, elas vão conseguir enfrentar as doenças virais ou, pelo menos, superá-las mais rapidamente.

Também é necessário ter uma atenção especial com a dieta e o cuidado das crianças alérgicas para reduzir a frequência dos surtos virais.

As recomendações dos nutricionistas sempre se voltam para o consumo diário de pelo menos duas porções de frutas e vegetais, com foco nas frutas cítricas como laranja, limão e tangerina, por exemplo, que são ricas em vitamina C.

Também se recomenda o consumo de oleaginosas, cereais e leguminosas duas vezes por semana. Além disso, iogurte, mel e muitos líquidos devem estar presentes na dieta com relativa frequência para ajudar a repor os valores de açúcares.

Por fim, tenha em mente que, se o seu filho é forte e ativo, tem bom apetite, não apresenta nenhuma mudança alarmante na sua saúde e está crescendo bem, você não deve se preocupar se, várias vezes ao ano, ele ficar doente com alguma virose. Isso está dentro da média da maioria das crianças nessa etapa do desenvolvimento.

  • Moreira, M. C. N., Gomes, R., & Sá, M. R. C. de. (2014). Doenças crônicas em crianças e adolescentes: uma revisão bibliográfica. Ciência & Saúde Coletiva. https://doi.org/10.1590/1413-81232014197.20122013