Crosta láctea: o que é e quando tratar

· 9 de fevereiro de 2018
Mais do que uma doença, a crosta láctea leva a um problema estético. Ela aparece em forma de pele escamosa e seca, parecida com a caspa, com crostas gordurosas e amareladas. Se a presença dessas pápulas aumentar e surgirem complicações, a doença deve ser tratada.

A crosta láctea é a forma coloquial de denominar a dermatite seborreica que afeta o couro cabeludo do bebê com erupções brancas ou amareladas.

Quando aparece

Entre a segunda ou terceira semana de vida do bebê podem aparecer algumas crostas de gordura seca. Podem aparecer em crianças de até três anos. Essa espécie de dermatite seborreica afeta aproximadamente 10 por cento dos recém nascidos. As lesões aparecem na cabeça, nas sobrancelhas, na testa, atrás das orelhas ou em outras partes do corpo.

A crosta láctea está relacionada a fatores genéticos ou meteorológicos. Também com desordens hormonais que impelem as glândulas sebáceas a segregar o excesso de gordura. Não são graves nem doem, mas não devem ser arrancadas, para evitar lesões na pele e o surgimento de infecções. Também não são contagiosas nem estão relacionadas à falta de higiene.

Causas da crosta láctea

Alguns bebês reagem à mudança da alimentação placentária para o leite materno e seus hormônios. Os altos níveis de gordura geram um excesso de estímulo nas glândulas sebáceas do couro cabeludo e dão origem à crosta láctea. Cada criança tem suas peculiaridades.

Os hormônios que a mãe transmite ao feto no final da gravidez também podem ser uma causa provável. Outra razão está relacionada à irritação ocasionada por um fungo que cresce no sebo. No entanto, não tem relação com a intolerância ao leite ou sua ingestão.

Crosta Láctea: o que é e quando tratá-la

Ao analisar outras causas, encontram-se também os climas extremos, alguns problemas do sistema imunológico, o estresse e certas infecções na pele. Vale a pena destacar que todos os especialistas concordam que a crosta láctea é inofensiva, mas suas causas não são, por isso é necessário prestar muita atenção.

A dermatite atópica, uma irritação geral na pele do lactante sem motivo aparente e deixa os bebês mais suscetíveis a apresentar crosta láctea.  

A cor e a aparência variam dependendo do lugar onde a crosta se desenvolve. É branca ou amarela, de aspecto gorduroso, e aparece no coro cabeludo. Se estiver no rosto, terá uma coloração avermelhada, acompanhado de crostas amarelas. Com o tratamento adequado, a cura dessas brotoejas acontece em pouco tempo. É conveniente ter em mente que os bebês podem voltar a sofrer disso quando estiverem mais velhos.

Um problema com solução

Nos casos mais leves, não é preciso se preocupar. A crosta tende a desaparecer com o passar dos meses, mesmo sem tratamento. Se a decisão dos pais for eliminá-la antes, a opção é suavizá-la até que caia, com cremes ou óleo corporal para bebês. Aplicam-se na cabeça, com massagens sobre as crostas e se dá banho na criança meia hora depois.

A cabeça do bebê deve ser lavada diariamente com shampoo adequado, de farmácia e não cosmético. Também é preciso penteá-lo e aplicar o tratamento indicado pelo pediatra.

Crosta Láctea: o que é e quando tratá-la

Outra opção é utilizar uma esponja molhada e shampoo. Esfrega-se a cabeça até que algumas crostas saiam. A cada três dias se repete o procedimento, sempre com uma pequena dose.

Não se pode esquecer que estamos tratando da pele de um bebê, muito fina e vulnerável.

A dermatite seborreica pode se estender até o rosto e a sobrancelha. O óleo de amêndoas resolverá o problema, mesmo que exista pus nas crostas.

Também pode-se aplicar suavizantes e massagear a cabeça do bebê. Os óleos podem ser aplicados todas as noites e logo lavados com um shampoo que não resseque o cabelo. Penteá-lo com um pente macio ajudará a eliminar as crostas do bebê.

Sinais que necessitam de atenção especial

Existem motivos de alerta. Se a crosta for muito grande ou se se tornar amarela com bordas avermelhadas, é preciso consultar um pediatra. Também se deve buscar ajuda especializada se apresentar sangramento ou se espalhar para fora do couro cabeludo.

As pomadas com corticoides, antibióticos ou fungicidas geralmente são uma boa solução. A crosta láctea é uma infecção simples de curar, que não representa riscos para a saúde e se resolve como um problema estético.