Dança para crianças: motivos para praticar

· 19 de dezembro de 2017

Dançar é uma atividade recomendada tanto para adultos quanto para crianças. Os benefícios físicos e psicológicos a transformam não apenas em uma forma de praticar um esporte, mas também de se divertir e se relacionar com outras pessoas.

A maioria das crianças adora dançar, desde cedo inclusive. Muitas vezes vemos bebês que enquanto ouvem as primeiras notas de uma música, começam a mexer o corpinho. Como outras tantas coisas na fase de desenvolvimento, dançar também é aprendizado e uma atividade muito benéfica para as crianças, tanto física quanto psicologicamente. Por isso, a dança é uma prática que deveria ser estimulada, mesmo antes dos pequenos darem seus primeiros passos.

A dança entre as crianças

A dança pode ser incentivada desde quando as crianças são pequenas. Não importa qual é o estilo de música que mais gostamos, o importante é que o bebê ouça e sinta diferentes ritmos. Para dançar, no começo podemos fazer com o bebê no colo. Assim, ele vai aproveitar a dança e a companhia no ritmo da música.

“Dançar com seu bebê vai melhorar a relação de vocês graças a esses momentos íntimos e divertidos”

À medida que as crianças crescem, podemos dançar com elas de mãos dadas ou ensinando passos simples para elas imitarem. Esses movimentos vão ajudar não apenas a adquirir noção de ritmo e ouvido musical, mas também ajudam a melhorar a coordenação, o equilíbrio e a fortalecer os músculos.

a dança

Praticar a dança

Quando as crianças começam a crescer, uma das atividades físicas da qual elas mais gostam é a dança. E, com isso, não nos referimos exclusivamente ao balé ou outras danças clássicas que sempre figuraram entre as atividades extracurriculares. Atualmente, há muitas opções de novas modalidades de dança moderna que combinam os benefícios dessa disciplina com a diversão.

“As danças modernas incluem movimentos variados e ritmos enérgicos que as crianças adoram”

Os exercícios no ritmo da zumba, do funk que inspira o break dance ou de músicas latinas estão ganhando popularidade entre as crianças nos últimos anos. Essas modalidades, além de melhorar tanto o corpo quanto a mente das crianças, proporciona divertimento e um bom momento compartilhado.

Os benefícios de dançar

  1. Exercício físico. Dançar é um exercício completo que requer utilizar praticamente todos os músculos do corpo. Assim, melhora-se a forma física, a agilidade e se contribui para um correto desenvolvimento das crianças.
  2. Psicomotricidade. Movimentar-se no ritmo da música não é tão simples quanto parece, menos ainda quando os pequenos precisam acompanhar uma coreografia. A prática da dança vai ajudar a melhorar a psicomotricidade, a coordenação, o equilíbrio e a noção de ritmo.
  3. Diversão. A maioria das crianças se divertem ao dançar, ainda mais se for ao ritmo de uma música conhecida. Além disso, as danças modernas incluem movimentos muito mais variados com ritmos enérgicos que vão se transformar em um grande desafio para as crianças.
  4. Criatividade. Com a dança, as crianças ficam mais desinibidas e exibem toda a criatividade que possuem. Ao mesmo tempo, desenvolvem a expressão corporal, o ouvido musical e trabalham a memória.
  5. Trabalho em equipe. Nas danças, tanto clássicas quanto modernas, costuma haver várias modalidades. Entre elas, a dança a dois ou coletiva. Assim, as crianças aprendem a trabalhar em conjunto, além de melhorar as relações sociais.
  6. Autoestima. Dançar reduz os sintomas de estresse ou ansiedade, aumenta a confiança da criança e melhora a autoestima. Tudo isso vai ajudar os pequenos a vencer desafios relacionados, como a timidez, por exemplo.
a dança

Qual tipo de dança é melhor para o meu filho?

Como já comentamos, qualquer tipo de dança traz grandes benefícios. Tradicionalmente, a atividade mais conhecida nesse âmbito é o balé, que ajuda a inculcar nas crianças hábitos de responsabilidade e disciplina. No entanto, as variedades de dança moderna são mais divertidas e enérgicas.

A menos que se queira estimular uma característica específica ou corrigir determinado problema, o ideal é deixar as crianças escolherem de acordo com o próprio gosto. Isso inclui tanto as preferências musicais quanto as inclinações pessoais na hora de se movimentar e fazer exercício: o nível de energia e de atividade é diferente em cada um.

Como pais, é importante apoiar as decisões da criança e estimular a perseverança necessária. Mas, principalmente, os pais devem inspirar a motivação necessária para começar a praticar essas atividades. Seremos nós que vamos acompanhar nossos pequenos tanto na descoberta de um novo hobby quanto na conquista de novas amizades e experiências que essa prática pode proporcionar.