Como deve ser a alimentação de um recém-nascido

· 27 de setembro de 2017

Quando você tiver um bebê nos braços vai precisar escolher qual a melhor maneira para alimentá-lo… Sem dúvidas, uma decisão importantíssima.

A alimentação de um recém-nascido é um dos temas mais importantes que os pais precisam discutir. Quando os bebês estão na barriga da mãe, recebem todos os nutrientes básicos para garantir um crescimento saudável.

No entanto, assim que chegam a esse mundo, a alimentação dos pequenos precisa mudar para satisfazer os requisitos nutricionais que o organismo exige. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a melhor fonte de alimentação para um recém-nascido é o leite materno, pois possui tudo o que um recém-nascido precisa.

Peça conselhos ao seu pediatra sobre como deve ser a alimentação do bebê

Essa substância é tão poderosa que à medida que seu filho for crescendo, as propriedades do leite vão mudando para satisfazer as necessidades do organismo de acordo com a idade do bebê. Durante a amamentação você vai perceber que a natureza é perfeita e, por isso, seu corpo vai responder com precisão às necessidades do corpo do seu filho.

No entanto, algumas mães não têm a oportunidade de amamentar seus pequenos e precisam utilizar a mamadeira. Os melhores leites de fórmula tentam emular com bastante exatidão as características do leite materno, com o objetivo de garantir um desenvolvimento saudável ao bebê.

A melhor alimentação para um recém-nascido

recém-nascido dormindo com uma flor na cabeça

Muitas instituições insistem que o leite materno é o melhor alimento para essas frágeis pessoas que acabaram de chegar ao mundo. Mas, como já dissemos anteriormente, nem todos os bebês têm o privilégio de serem alimentados dessa maneira.

Nesse contexto, é normal que você se faça perguntas como: meu bebê vai crescer forte se eu não o amamentar? Os leites artificiais vão ser suficientes para um bom desenvolvimento? Há alguma diferença entre os bebês alimentados com leite materno e os que não são? Frente à tantas possibilidades, o melhor é consultar o pediatra de sua confiança e pedir uma orientação.

Enquanto isso, queremos apresentar a você as diferenças entre ambos os métodos para ajudar a sanar algumas dúvidas:

Sobre o aleitamento materno:

É uma possibilidade com múltiplos benefícios ao bebê, pois os fatores imunes e bioativos formam uma barreira que o protege de milhares de infecções. Ao mesmo tempo permite que o bebê tenha um bom desenvolvimento emocional e físico, para uma vida saudável.

Se você não puder oferecer o leite diretamente do seio por razões que estão fora do seu controle, pode fazer o famoso banco de leite. Com o armazenamento dessa substância sob determinadas condições você pode ter certeza de que não vai perder nenhuma das propriedades em até 48 horas.

Cada mãe é livre para escolher o método de alimentação mais adequado para o seu pequeno

Se você decidir que esse será o método de alimentação exclusivo do seu bebê, recomendamos que procure a orientação de um especialista no tema. Isso vai fazer você se sentir mais segura em relação à melhor forma de amamentar, saberá que sempre estará oferecendo a quantidade de leite que o bebê necessita e poderá descobrir as posições mais confortáveis.

Sobre o leite artificial:

Essas fórmulas lácteas são o resultado de mais de um século de complexas pesquisas para encontrar um substituto apropriado, que sirva como uma boa alimentação ao recém-nascido. Seu principal benefício é preservar a saúde do pequeno quando não puder receber o leite materno.

A principal desvantagem é que, apesar da tentativa de reproduzir a mesma qualidade nutricional da outra alternativa, esta não possui as substâncias imunológicas nem os hormônios que estimulam o crescimento.

Além disso, exige um maior esforço por parte dos pais, pois é preciso realizar a higienização das mamadeiras, levar o alimento para onde for, etc…

Uma decisão pessoal

recém-nascido com goro na cabeça e manta de frio

Cada mãe conhece muito bem as possibilidades de alimentação em relação ao seu filho, por isso não existem regras definidas sobre como deve ser a alimentação de um recém-nascido. Você é livre para definir o que considera adequado ao seu filho, desde que siga as recomendações de um especialista.

Pouco a pouco você poderá adicionar outras opções dentro da alimentação complementar, que começa a partir dos seis meses. Siga seu instinto e se concentre na vontade que tem de ver seu filho crescer forte e saudável.