Dicas para as crianças dormirem bem nas viagens

07 Dezembro, 2019
Se você já está planejando as férias de verão, mas não para de pensar no que fazer para que as crianças durmam bem ou possam se recuperar do jet lag, não perca as dicas que trazemos abaixo.

Tirar férias quando temos crianças pequenas representa, em muitas oportunidades, um enorme desafio. Uma questão fundamental é saber várias dicas para as crianças dormirem bem nas viagens.

Em primeiro lugar, devemos considerar que mudaremos o ambiente e que realizaremos muitas atividades diferentes. No entanto, é necessário tentar fazer com que isso não afete as rotinas de repouso de que as crianças precisam, inclusive os cochilos. Esse é o segredo para elas dormirem bem nas viagens.

Essa consideração é muito relevante, porque as crianças não entendem a mudança de um ambiente para outro da mesma maneira que os adultos. Observar novos objetos e locais pode deixá-las excitadas em excesso e dificultar o sono.

Dicas para as crianças dormirem bem nas viagens

É claro que durante as férias, as rotinas de descanso são mais relaxadas. No entanto, isso não significa que deva haver um prejuízo nas horas de descanso dos nossos filhos.

Para que possam brincar, aprender e aproveitar o que verão no novo ambiente, seja a praia, a montanha ou os lugares de recreação, mente e corpo devem ter desfrutado de um descanso adequado.

Assim, a fim de ganhar a batalha contra toda a distração, daremos algumas dicas para as crianças dormirem bem nas viagens e poderem aproveitar os passeios no local de destino.

As questões que apresentaremos abaixo refletem a lista dos pontos mais recorrentes e eficazes de acordo com a experiência de centenas de pais.

Dicas para as crianças dormirem bem nas viagens

1. Pegue o travesseiro, cobertor ou brinquedo de pelúcia com o qual a criança dorme

O conselho mais importante para quando você está arrumando a mala antes de sair é levar uma parte da cama da criança. Você deve incluir o travesseiro, o cobertor ou o bicho de pelúcia com o qual o bebê dorme. Escolha entre uma dessas peças. Se estiver nas suas possibilidades, inclua tudo o que puder.

Isso produzirá no cérebro da criança a sensação de familiaridade. Quando ela os ver, tocar e cheirar, entenderá que a hora de dormir chegou.

2. Como combater o chamado jet lag nas viagens

Quando a jornada começa e o destino é longo, o jet lag é o próximo inimigo do sono dos seus filhos. Esse fenômeno é conhecido como um desequilíbrio em relação ao nosso relógio biológico, que é responsável por marcar as horas de vigília e de sono quando nos deslocamos de avião por diferentes territórios com diferentes fusos horários.

Para que as crianças mantenham seu ciclo de sono estável em face de uma longa viagem de avião, uma semana antes da partida, os pais devem subtrair ou adicionar uma hora às rotinas de sono e alimentação. Dessa forma, a hora de ir para a cama para as crianças pequenas será mais semelhante ao do país de destino.

Ao chegar ao local, eles devem tentar fazer alguma atividade ao ar livre ou permitir que as crianças observem a luz natural ou a escuridão da cidade. Dessa maneira, seu relógio biológico pode se ajustar gradualmente ao ciclo diário do país em que se encontra.

As crianças não percebem em sua mente a mudança de um ambiente para outro da mesma maneira que os adultos. Isso pode fazer com que elas tenham dificuldade para adormecer.

3. Mantenha as mesmas regras para ir dormir

As crianças não devem pensar que, dada uma mudança de ambiente, as regras para dormir foram descartadas. Portanto, você deve permanecer firme, mas paciente, para que a criança possa ir para a cama quando for solicitada.

Essa ação é necessária porque as crianças demoram três dias para adquirir um novo hábito de dormir e um dia para perdê-lo. Dessa maneira, o ideal para manter o máximo possível a sua estabilidade, tanto durante a viagem quanto ao retornar para a casa, é seguir as regras para ir dormir que foram previamente estabelecidas.

Mantenha as mesmas regras para ir dormir que você estabeleceu em casa

Isso inclui aspectos como: tempo para descansar, tomar banho antes de dormir, desligar a televisão, acender uma luz ou dormir com a porta do quarto aberta ou fechada.

Como recomendação final, sempre que possível e conveniente, não compartilhe a cama com a criança se ela costuma dormir em um quarto separado em casa. Isso pode gerar um novo apego nela e, quando voltar para casa, ela não vai querer voltar a dormir sozinha.