Dicas de finanças que toda mãe solteira deve saber

14 de julho de 2018
Por vários motivos, muitas mulheres são mães solteiras, uma circunstância que normalmente as torna o principal sustento de sua família.

As mães solteiras precisam ser organizadas em suas finanças para evitar um colapso em momentos delicados. No entanto, isso só pode ser conseguido com conhecimento. Veja algumas dicas para administrar sua vida financeira.

Ambos, tanto a administração quanto o investimento são questões de grande preocupação nesses casos, de modo que as informações sobre o assunto são sempre úteis. Não se preocupe só em fazer o dinheiro durar a cada mês, mas também em aumentar a sua renda de alguma forma pensando no futuro.

Da mesma forma, é comum cometer erros em nossas finanças, principalmente devido ao desconhecimento. Por exemplo, investir em coisas menos prioritárias e descuidar das coisas que realmente são importantes. Nesse sentido, para orientar as mães solteiras de hoje, vamos te contar algumas dicas financeiras com visão para o futuro.

Busque sua independência

Mesmo se você sempre quis ser independente, isso requer mais esforço e concentração nas despesas em uma só pessoa. Lembre-se de que agora você é uma mãe solteira. Por isso, os gastos vão depender de você o tempo todo. É possível que frente à ausência de um parceiro estável algumas pessoas da família estejam te ajudando, o que gera algum grau de dependência.

Se for o seu caso, então é possível que você tenha se tornado um pouco dependente dessas pessoas. Em todo caso, ser independente implica que tanto suas decisões quanto os consumos que você faça se concentrem em seus interesses.

dicas de finanças

Identifique as prioridades

É normal que às vezes nos deixemos levar por nossos desejos em vez de nossas necessidades. Mas as mães solteiras devem fazer um sacrifício a mais. Sem cair nos extremos que nos possam fazer infelizes, o melhor é estar ciente de que o dinheiro que é desperdiçado hoje, irá fazer falta amanhã.

Seja inteligente na hora de utilizar o dinheiro. Isso pode fazer a diferença no aspecto financeiro das mães que são chefes de família. É importante ser organizada, controlada e planejar conscientemente o orçamento. Nesse sentido, convém que a administração de nossos bens seja destinada a satisfazer as necessidades prioritárias.

A estabilidade, a saúde, a educação e a alimentação são necessidades básicas; por isso é aconselhável assegurar a independência em relação ao lugar onde moramos, e garantir que as outras prioridades estejam garantidas.

Poupar para a aposentadoria

É importante estar ciente de que não seremos capazes de trabalhar para sempre. Além disso, certamente não pretendemos ser um peso econômico para nossos filhos no futuro. Seguindo essa lógica, não é aconselhável esperar que as crianças cresçam e cuidem de nós quando nos tornarmos idosos, porque muitas vezes isso nem sempre acontece assim.

Como somos mães solteiras, sabemos que no futuro é provável que continuaremos sendo o nosso único apoio. Portanto, poupar para a aposentadoria é uma necessidade que, embora não seja uma prioridade, representa um motivo para considerar um investimento que renda frutos atraentes por pouco dinheiro ao mês.

dicas de finanças

Faça um plano orçamentário para eventualidades

Eventualidades não podem ser planejadas. Por isso estão além de nossos orçamentos e estão à margem das nossas prioridades. No entanto, sabemos que imprevistos acontecem o tempo todo. Então, sempre é aconselhável ter essa possível situação em mente. Poupar para a aposentadoria não é uma maneira de se proteger contra eventualidades. Portanto, devemos ter algum dinheiro guardado para qualquer adversidade.

Ficar sem emprego seria um imprevisto dos mais graves. Mas qualquer outra situação também poderia afetar seriamente as finanças de uma mãe solteira. Por este motivo, recomendamos que se destine um montante fixo, aproximadamente 15% de nossas receitas para serem poupados para um imprevisto.

Faça um seguro de vida

Como sabemos, nossos filhos só contam conosco para se manter. Por isso, é importante contratar um instrumento de amparo caso ocorra alguma desgraça e não pudermos continuar oferecendo a assistência financeira que nossos filhos precisam.

Nesse caso, a contratação de um seguro de vida poderia garantir o cuidado das crianças, pelo menos até que elas sejam maiores de idade e possam cuidar de si mesmas. É aconselhável estar atenta à cobertura oferecida pelo seguro contratado com a finalidade de identificar o mais adequado de acordo com o nosso caso.