Diferenças entre crianças tímidas e introvertidas

06 Janeiro, 2020
As crianças tímidas e as introvertidas compartilham condutas, mas os seus motivos são muito diferentes. Conhecer as diferenças nos ajudará a saber como agir.

Para exercer um bom trabalho como pais, é prioritário conhecer profundamente os nossos pequenos. Estar atento às diferenças entre crianças tímidas e introvertidas nos ajudará muito a saber quais necessidades o nosso filho tem, e como podemos ajudá-lo.

Durante anos, o significado de timidez foi associado coloquialmente a realidades muito diferentes. Quando vemos uma criança sozinha, afastada de seus colegas, assumimos que ela é tímida. No entanto, muitas vezes não é bem assim.

A timidez e a introversão são confundidas muito frequentemente, porque as condutas que as provocam são muito similares. Por outro lado, o estado emocional interno de uma criança tímida e de uma introvertida são realmente diferentes.

O que é a timidez?

A timidez é a tendência a evitar as interações sociais por vergonha ou por medo de que os demais nos avaliem de forma negativa. As crianças tímidas ficam incomodadas e ansiosas quando se relacionam com os outros.

Esses pequenos têm pouca confiança em si mesmos e, muitas vezes, não têm tantas habilidades sociais. Portanto, quando se relacionam com os demais, costumam ficar muito preocupados com os seus próprios atos, temendo fazer papel de ridículos.

Diferenças entre crianças tímidas e introvertidas

Devido a tudo isso, as crianças tímidas evitam ser o centro da atenção, sentem ansiedade ao conhecer gente nova e têm dificuldade para se soltar e falar até conseguir ter confiança.

O que é a introversão?

A introversão, por sua vez, define aquelas crianças tranquilas, reservadas e introspectivas. Esses pequenos demonstram pouco interesse diante de pessoas e situações novas, e costumam ser distantes com outras crianças, a menos que sejam amigos íntimos.

Essas crianças não temem a interação social, não têm medo de serem julgadas e inclusive podem ter habilidades sociais muito boas. O que ocorre é que elas apreciam a própria companhia, sentindo-se mais confortáveis estando sozinhas.

Elas podem se relacionar sem problemas com outras crianças e apreciar essa interação. No entanto, é possível que, depois de algum tempo, elas se sintam superestimuladas e desejem ficar sozinhas, pois é a forma delas de recarregar as energias.

Diferenças entre crianças tímidas e introvertidas

Tanto a timidez quanto a introversão fazem com que as crianças tendam a se manter à margem de seus colegas. Em ambos os casos, elas evitarão multidões, assim como pessoas e situações novas. Mas cada grupo fará isso por seus próprios motivos.

  • As crianças tímidas temem ser julgadas e as introvertidas não. O medo de ser avaliado negativamente pelos demais é exclusivo da timidez. Os introvertidos não sentem nem temor nem ansiedade ao se relacionarem.
  • Uma criança tímida não se relaciona com os outros por vergonha, uma introvertida não o faz por falta de vontade. A primeira sente desejo de interagir com outras crianças, mas não ousa, enquanto a segunda simplesmente prefere a sua própria companhia.
  • As crianças introvertidas se sentem superestimuladas socializando, mas as tímidas não. Quando passam muito tempo se relacionando com outras pessoas, as crianças introvertidas precisam voltar a ficar sozinhas para se recarregarem emocionalmente. As crianças tímidas não sentem essa sobrecarga.
Diferenças entre crianças tímidas e introvertidas

É importante diferenciar o contínuo “introversão-extroversão” do contínuo “timidez-decisão”. O primeiro nos fala se a pessoa se sente mais animada, confortável e vital sozinha ou na companhia dos outros. O segundo define se a pessoa sente ou não ansiedade ao se relacionar.

Portanto, uma criança pode ser tímida e introvertida ao mesmo tempo. Mas também é completamente possível que ela seja tímida e extrovertida. Ou que ela seja introvertida e decidida. São duas categorias independentes.

Como ajudar as crianças tímidas e as introvertidas?

A introversão é um traço a mais da personalidade que não representa nenhum problema. A criança introvertida é feliz passando tempo sozinha e isso é totalmente respeitável. Ela vai ter poucas amizades, mas que serão de qualidade e, além disso, ela terá um mundo interno muito fértil e curioso.

Por outro lado, a timidez, em muitos casos, representa uma fonte de infelicidade para a criança. Ter que se relacionar gera ansiedade e a impede de apreciar tantas amizades quanto ela desejaria.

Para ajudá-la, é recomendável nos mostrarmos como modelos de conduta social, para que ela possa ver como nós nos relacionamos e, assim, aprender conosco.

Também é positivo proporcionar para a criança diferentes ambientes sociais nos quais ela possa praticar. Mas, sobretudo, se a timidez limita a vida dela de uma forma significativa, o melhor recurso será procurar ajuda profissional.