O doce aroma das memórias da infância

17 Novembro, 2020
O aroma da casa dos avós, o perfume da mãe, o cheiro da chuva na terra molhada... A infância fica gravada na memória a partir do sentido do olfato. Vamos te contar como e por quê.

Se te pedissem para relembrar a última viagem que você fez, possivelmente, imagens visuais e sequências de acontecimentos viriam à sua mente. Contudo, se você tentar trazer lembranças da sua infância para o presente, elas aparecerão na forma de emoções e sensações difusas, porém intensas. Afinal, o aroma das memórias da infância é inesquecível.

Todos já passamos por isso: estamos caminhando pela rua e, de repente, um aroma nos leva de volta ao passado de uma forma tão intensa que parece que viajamos no tempo. Por isso, embora você talvez não tenha parado para pensar nisso, os estímulos olfativos que o seu filho está recebendo agora estão estabelecendo emoções que vão acompanhá-lo pela vida toda.

Aromas, memórias e emoções

Há dois fatos interessantes a serem lembrados com relação às memórias. O primeiro deles é que, embora sejamos uma espécie eminentemente visual, durante os nossos primeiros anos de vida, as memórias se estabelecem principalmente através do olfato. Os bebês já usam esse sentido para reconhecer a mãe e procurá-la. E, até os 10 anos de idade, o peso dos aromas na formação das memórias é extremamente importante.

O doce aroma das memórias da infância

Além disso, as memórias evocadas por aromas têm um componente muito mais emocional. Quando você se lembra de uma cena visual do seu passado ou de uma conversa que teve, você se lembra de fatos e eventos. Trata-se de uma recuperação mais precisa e objetiva da informação.

Por outro lado, quando alguém passa ao seu lado com um perfume que te parece familiar, você se sente imersa em sensações e estados emocionais. Assim, você não se lembra tanto do que aconteceu nesse momento específico, e sim das percepções íntimas e pessoais que você experimentou com esse aroma.

O cérebro emocional

Ou seja, no nosso cérebro, são estabelecidas associações poderosas entre aromas e estados internos. Desse modo, ao percebermos o mesmo estímulo olfativo, somos dominados pela emoção que acompanhou esse aroma anteriormente.

Contudo, o que torna esse tipo de memória tão característico? Por que os aromas são capazes de nos levar em uma jornada emocional de volta à infância? Bem, isso acontece porque o sentido do olfato está fortemente relacionado ao cérebro emocional 

Antes de chegar ao córtex cerebral, os estímulos provenientes do sentido do olfato passam por duas áreas principais do cérebro, a amígdala e o hipocampo. Essas regiões estão fortemente associadas às emoções e à memória. Por isso, os aromas impregnam e fixam nas nossas memórias a emoção que vivemos naquele momento.

E isso ocorre de forma muito mais proeminente nas crianças, já que o olfato é o principal sentido que elas utilizam para se relacionar com o mundo durante a primeira fase da vida. Dessa forma, os aromas nos permitem acessar as lembranças da infância que, de outra forma, dificilmente poderíamos recuperar, pois é comum guardarmos poucas lembranças da nossa infância.

O doce aroma das memórias da infância

O doce aroma das memórias da infância

Por tudo isso, as crianças manterão memórias dos seus primeiros anos de vida fortemente associadas a estados emocionais. Assim, no futuro, certos aromas característicos vão levá-las de volta àqueles anos felizes.

O perfume da mamãe sempre vai lembrar a sensação calorosa e reconfortante de seus abraços. O aroma dos biscoitos que acabaram de ser assados ​​vai fazer reviver a inocência e o relaxamento de parar de brincar, por um momento, para ir lanchar.

Da mesma forma, o cheiro de chuva de verão molhando a terra vai ativar suas memórias daqueles dias no campo com a família. E o cheiro de massa de modelar vai ajudar a reviver, de forma quase inevitável, a cumplicidade com os irmãos enquanto passavam longas horas brincando com a imaginação.

Todas essas memórias vão invadir os pequenos no momento menos esperado, quando, de repente, um aroma agradavelmente familiar invadir os seus sentidos. Contudo, além disso, também serão âncoras poderosas para reviver essas emoções quando eles mais precisarem.

No futuro, quando o seu filho precisar voltar a se sentir amado, seguro, protegido ou feliz, ele só terá que acender a mesma vela perfumada que agora está queimando na sala da sua casa. Ele só terá que cozinhar aquele prato que a avó prepara atualmente após as tardes de verão brincando na piscinaO aroma das memórias da infância é um tesouro que sempre nos acompanha, um recurso que sempre teremos ao nosso alcance.