Dor de cabeça nas crianças: causas e tratamento

· 12 de dezembro de 2017

Exatamente 69 por cento das crianças sofrem algum episódio de cefaleia durante a infância. Mesmo que a dor de cabeça nas crianças seja causada por diversos fatores, na maioria dos casos, não é motivada por nenhum fator muito preocupante. No entanto, devemos ficar atentas, já que, em alguns casos, isso pode estar ligado a alguma doença grave.

Fatores que causam dor de cabeça nas crianças

A cefaleia pode ser de dois tipos, dependendo da origem: cefaleias primárias e secundárias. A cefaleia primária provoca alguma mudança no seu cérebro; pode ser causada por substâncias químicas, vasos sanguíneos dilatados ou tensão muscular.

A cefaleia secundária é aquela que se apresenta como sintoma de alguma outra doença. Algumas das mais comuns são:

  • Doenças infecciosas.
  • Doenças não infecciosas como a gripe, um resfriado ou qualquer outra doença viral.
  • Traumatismo no crânio.
  • Alergias ou sensibilidade a algum alimento.
  • Esgotamento físico.
  • Fome ou desidratação.
  • Problemas nos dentes ou nas gengivas.
  • Uso de drogas ou a ação de toxinas.

É muito importante não autodiagnosticar a criança e levá-la ao pediatra para que seja submetida a um exame médico e a causa real possa ser determinada.

Embora não seja comum, também existe a possibilidade de a dor de cabeça nas crianças ser sintoma de alguma doença mais grave. Por isso, se o seu filho apresentar dor na cabeça muito intensa, é importante que o médico dê uma olhada em todo o histórico clínico e realize um exame exaustivo.

menino com dor de cabeça estudando

Da mesma forma, devemos agir se a criança apresentar qualquer das seguintes complicações:

1. Enjoos ou perda de visão.

2. Pescoço rígido ou fraqueza em algum ponto do corpo.

3. Perda da fala; a criança sente dificuldade de pronunciar palavras ou altera a ordem delas.

4. Confusão mental.

Como cuidar do meu filho em casa?

Como já vimos, a cefaleia pode ser causada por diversos motivos. Com base nisso, podemos aumentar os cuidados da criança em casa e ajudá-la a diminuir os sintomas da seguinte forma:

  • É importante proporcionar um lugar de descanso agradável em que ela possa ficar deitada e dormir se quiser. Para quem sofre de dor de dor de cabeça, os barulhos incomodam muito. Por tanto, recomenda-se que tal lugar seja o mais silencioso possível e que seja escuro.
  • Não devemos obrigar nosso filho a fazer esforço.
  • Se a criança sofre de dor de cabeça porque sente fome ou está desidratada, é muito importante usar nossas melhores armas para que ela se alimente bem e beba muita água. Dessa forma, evitamos qualquer complicação mais grave.
  • Podemos dar um analgésico quando começar os sintomas de dor de cabeça se ela sofrer episódios muito intensos e, especialmente, se for diagnosticada e sofrer de enxaquecas. Contudo, está liberado sempre que o pediatra nos autorizar.
  • Se a dor de cabeça na criança não for muito forte, podemos ajudá-la a se distrair para que se entretenha e se esqueça, na medida do possível, da dor de cabeça.

Conselhos para prevenir a dor de cabeça nas crianças

  • Se a causa da dor de cabeça for o estresse ou a tensão, é fundamental manter alguns horários e disciplinas regulares para tentar acabar com essa dor o mais rápido possível. É aconselhável ter um horário fixo de atividades escolares, exercícios físicos, lazer, sono, etc.
  • É muito importante descobrir se existe um gatilho que desencadeia essas crises. Por exemplo: ocorrem sempre que a criança volta da escola? Quando ela faz muito exercício físico? Depois de comer? Isso vai nos ajudar a determinar o que está acontecendo e a adotar medidas que nos ajudem a prevenir a dor de cabeça.
  • Evitar os espaços fechados e com muita gente que possa provocar aflição na criança.
  • Ir ao oculista e checar a visão da criança. É recomendável procurar o oftalmologista depois do começo de cada novo ano letivo. Dessa maneira, vamos nos certificar de que a criança não tem problemas na visão, e, em caso de apresentar esses problemas, vamos evitar que ela sofra as dores de cabeça que muitas vezes vem acompanhadas por problemas.
  • Prevenir a exposição ao sol sem proteção.

Se apesar dessas medidas seu filho não apresentar melhorias ou se a dor de cabeça aumentar, talvez seja necessária uma nova consulta com o pediatra para a realização de exames que possam avaliar os sintomas e estudar sua situação a fundo.