É possível prevenir a bronquiolite?

· 13 de janeiro de 2018
A Bronquiolite é uma infecção respiratória que apresenta sintomas similares a de um catarro comum.

Uma das perguntas mais comuns enquanto à saúde dos bebês é se existe a possibilidade de prevenir a bronquiolite. Tanto a bronquite aguda como a bronquite crônica em muitos casos não se podem evitar. Mas é possível tomar certos cuidados para que o risco de se contaminar seja muito menor.

A bronquiolite é uma infecção respiratória que apresenta sintomas similares a de um catarro comum, mas os lactantes e outros grupos vulneráveis podem chegar a ter complicações. Segundo Alianza Aire, um órgão que se encarrega de investigar as infecções respiratórias agudas em crianças, uma em cada quatro consultas por bronquiolite acaba com a hospitalização do bebê; por isso, os especialistas recomendam recorrer ao médico quando os sintomas do que parecem um simples resfriado se agravarem.

 Os sintomas que podem apresentar uma criança com bronquiolite são muito parecidos com os de um resfriado; ainda, é a enfermidade que ocasiona mais hospitalização durante a infância.

Sintomas da bronquiolite

Como comentamos anteriormente, os sintomas da Bronquiolite podem ser muito parecidos com um simples resfriado. No caso de o bebê apresentar os sintomas relatados e o agravamento, é fundamental que consulte seu médico e realize os exames necessários. Estes são os principais sintomas:

  • Incômodo no peito
  • Tosse que produz muco. Se for verde amarelado, é mais provável que tenha uma infecção bacteriana.
  • Fatiga.
  • Febre, normalmente baixa.
  • Chiados

Outros sintomas da bronquiolite crônica são:

  • Inflamação dos tornozelos, pés e pernas.
  • Coloração azulada dos lábios devido à dificuldade para respirar.
  • Infecções respiratórias recorrentes, como resfriado ou gripe.

Conselhos para prevenir a bronquiolite

Para evitar qualquer tipo de contágio de Bronquiolite ao bebê é muito importante cuidar de seu ambiente a sua volta. Devemos ser muito cuidadosos no momento de estabelecer qualquer contato com a criança e planejar os cuidados necessários para que não apresente nenhum problema de saúde. Esses conselhos serão muito úteis para prevenir a bronquiolite:

  1. Antes de tocar o bebê, é muito importa que lave as mãos, principalmente ao chegar em casa.
  2. Limpar os brinquedos de tela, as superfícies e o resto dos brinquedos que fiquem em contato com as mãos e a boca do bebê.
  3. Evite a todo custo a fumaça do cigarro. É muito importante que ninguém fume em casa, devido aos componentes do tabaco permanecerem nas paredes e nos tecido.
  4. Caso tenha saído, troque a roupa se estiver estado em algum ambiente onde fumaram tabaco.
  5. Outro conselho importante para prevenir a Bronquiolite é arejar a casa todos os dias. Também, ficar atento para que não fique muito frio nem muito calor.
  6. Evitar os lugares que podem propiciar uma contaminação, como hospitais, centros de saúde ou transportes públicos, entre outros.
  7. Usar sempre que possível lenços descartáveis para evitar o contágio.
  8. Quando tossir ou espirrar, ensine a levar o interior do cotovelo à boca em vez das mãos.
  9. A lactação materna protege o bebê da bronquiolite, por isso recomenda-se prolongá-la até os 6 meses de idade.
  10. Estudar em conjunto com seu médico a possibilidade de aplicar uma vacina quando o bebê estiver entre os grupos de risco.

Tratamento da bronquiolite

Não existe nenhum tratamento específico para prevenir a Bronquiolite, mas existem algumas medidas que podemos tomar para aliviar o mal-estar do bebê. Os antibióticos, por sua vez, não são úteis, já que tratam doenças causadas por bactérias e não por vírus.

Alguns dos conselhos que podemos seguir são:

  • Utilize soro fisiológico recomendado pelo pediatra.
  • Coloque na narina do bebê com uma sucção. Isso funciona melhor nos primeiros 6 meses de idade.
  • É recomendado o uso de acetaminofeno ou paracetamol para baixar a febre das crianças, mas sempre é melhor consultar o pediatra antes de ministrar este ou outro medicamento.
  • É importante que o bebê beba muita água. Ainda, pode ser que a recusa pela comida seja causada pela dificuldade de respirar.

Frente a qualquer sintoma parecido com um resfriado normal passados uns dias é muito importante levar ao pediatra para que se avalie o possível contágio da Bronquiolite. Uma das razões pela qual esta doença é tão perigosa é que pode passar desapercebida até o momento em que coloca em grave risco a saúde do bebê.