É verdade que as filhas preferem conversar com as mães?

· 18 de outubro de 2018
O relacionamento entre mãe e filha nem sempre é fácil. No entanto, é possível estabelecer um vínculo de cumplicidade baseado na confiança e no diálogo. Neste artigo, vamos oferecer algumas dicas para incentivar sua filha a conversar mais com você.

Sem dúvida, a comunicação entre mães e filhas costuma ser muito especial.

Na maioria dos casos, as meninas preferem conversar com as suas mães e revelar algumas de suas confidências. Isso acontece porque a comunicação geralmente é fluida e natural.

Certamente, os relacionamentos entre mães e filhas nem sempre são fáceis de entender.

Em alguns casos, intermináveis conversas ocorrem diariamente. Em outros, os diálogos são limitados e não incluem muitos detalhes.

Em seguida, descrevemos como os estágios da relação entre as duas evoluem.

As diferentes etapas da relação mãe e filha

A relação entre mãe e filha pode ser apaixonada e, às vezes, sufocante. O vínculo entre as duas acontece em toda a vida: na infância, adolescência e na vida adulta.

Certamente, os três estágios determinantes em suas vidas são:

1. Relacionamento entre mãe e filha criança

Durante este primeiro estágio, a mãe é provavelmente a única confidente. A menina compartilha os primeiros segredos sobre a escola ou comenta sobre as suas novas amizades.

A confiança entre elas é total, e permite que a criança expresse livremente seus pensamentos e sentimentos.

Todas essas reações se traduzem em uma linda cumplicidade durante a infância.

No entanto, à medida que os anos passam, surgem conflitos e o relacionamento se torna um pouco mais complicado.

2. Relacionamento entre mãe e filha adolescente

A pequena menina faladora vai dar lugar a uma pessoa com emoções difíceis de controlar.

Durante essa fase, é muito mais complicado para a filha confiar em sua mãe.

No meio da adolescência, as meninas buscam mais independência da família. E por consequência, as relações entre amigos se tornam mais fortes.

Elas geralmente preferem compartilhar suas intimidades entre amigos como, por exemplo, histórias sobre o primeiro amor.

Durante este período, pouco a pouco, se estabelece um conflito. Elas costumam se rebelar por causa da busca pela independência.

Entre outras coisas, sua filha aprenderá a ter opiniões próprias e construir a sua própria personalidade.

com sua filha

3. Relacionamento entre mãe e filha adulta

Quando as meninas passam ao mundo dos adultos, tudo acontece de forma mais natural.

Quando a filha amadurece, ela se reafirma e se rebela. Não suporta que a mãe coloque limites ou fale como ela deveria viver.

Nesse momento, a mãe deve entender que o tempo para educar acabou e deve se concentrar em ter um vínculo saudável com sua filha.

6 dicas para incentivar o diálogo com as filhas

Como mãe, recomendamos que você esteja presente na vida da sua filha sem ser invasiva.

É muito possível que ela não queira confidenciar os segredos se sentir que é julgada.

Por essa razão, é aconselhável manter distância mesmo no papel de confidente. Aqui estão algumas dicas para fazer isso:

1. Comece a conversar com sua filha desde cedo

Falar sobre questões importantes com sua filha é algo que você deve começar a fazer na fase da pré-adolescência.

Faça isso com assuntos apropriados para a idade dela e avance à medida que a menina amadurece, principalmente entre 11 e 14 anos de idade.

2. Seu caráter aberto vai permitir que ela fale com você

Se você conseguir ser uma mãe menos crítica e ter a mente aberta, sua filha vai ser muito mais disposta a revelar suas confidências.

É possível que, quando você fizer algumas perguntas, a garota se recuse a responder ou compartilhar mais informações do que ela quiser.

3. Encontre o equilíbrio entre ser amiga e mãe

Um dos pontos-chave é equilibrar a relação mãe-filha desde cedo. Tentar ficar perto demais da sua filha pode ser contraproducente.

Algumas mães se esforçam tanto para se tornarem acessíveis às suas filhas que acabam entrando em detalhes que não deveriam.

Uma mãe pode ser cúmplice e confidente, mas deve continuar sendo mãe.

“O amor de uma mãe e uma filha nunca se separa”
-Viola Shipman-

4. Tenha rituais familiares

Rituais familiares são aqueles momentos em que um evento é celebrado ou, simplesmente, quando mãe e filha se divertem.

Para sua filha, esses momentos, certamente, representam uma oportunidade de compartilhar confidências.

Se você começar essas atividades desde cedo, sua filha manterá esses hábitos durante a adolescência, até a idade adulta.

5. Procure soluções com sua filha

Envolva sua filha em um dos seus problemas e deixe que ela sugira soluções. Dessa forma, vocês podem tentar resolver juntas.

As meninas precisam de conselhos, mas também querem fazer parte da solução. Este método vai incentivá-la a falar com você quando ela tiver um problema.

com sua filha

6. Use os meios de comunicação atuais para conversar com sua filha

Faça com que a comunicação com sua filha seja uma parte integral da sua vida. Nesse sentido, as novas ferramentas de comunicação podem ajudar a fortalecer os laços.

Sinta-se à vontade para compartilhar com ela tudo o que você achar interessante. Além disso, não hesite em discutir diferentes questões para trocar diversas opiniões.

Em suma, embora as meninas prefiram conversar com suas mães, lembre-se de que a relação entre as duas nunca é simples.

Inclusive, pode ser problemática. Mas, por outro lado, também pode ser rica e muito sólida. Não se esqueça de que ter uma mãe que escuta, apoia e ama é a maior bênção da vida.