Educar em igualdade e respeito

· 25 de maio de 2018
As crianças estão inseridas em uma sociedade cada vez mais plural e heterogênea. É importante, então, que elas aprendam a entender e aceitar essas diferenças com respeito.

Vivemos em um mundo cada vez mais globalizado. A tecnologia e as mudanças no estilo de vida fizeram com que as fronteiras dos países se diluíssem e vivêssemos cada vez mais em contato com pessoas de diferentes partes do mundo. Educar em igualdade e respeito se torna importantíssimo para encurtar as diferenças e os conflitos.

Esta globalização, com todos os aspectos positivos que implica, também exige certas responsabilidades por parte das comunidades. Uma delas é a necessidade de educar seus membros em igualdade e respeito.

A razão essencial que torna esse aprendizado primordial é a necessidade de tolerar as diferenças em relação aos outros e conviver com elas. Neste sentido, nos referimos às diferenças nos seguintes aspectos:

  • Étnicos.
  • Políticos.
  • Culturais.
  • Religiosos.
  • Socioeconômicos.

Chaves para educar em igualdade e respeito

Transmitir uma educação que enfatize a relevância da igualdade e do respeito dentro de uma sociedade e também entre as diversas comunidades pode soar um pouco amplo demais. Portanto, aqui apresentamos algumas noções básicas que nos permitirão considerar os aspectos mais importantes deste tipo de ensino.

1. Demonstrar com fatos que a intolerância não é o caminho

Uma ferramenta muito poderosa para educar em igualdade e respeito é mostrar as catástrofes que ocorreram como resultado do preconceito. As guerras e batalhas cruéis pelas quais a humanidade passou foram baseadas em diferenças políticas, religiosas e até mesmo étnicas.

Infelizmente, isso continua acontecendo até hoje. Como sociedade avançada e em constante desenvolvimento que somos, isso é algo que não podemos permitir. As gerações futuras e o que nós incutimos nelas são a primeira mudança que podemos fazer a partir da nossa posição.

É necessário eliminar estereótipos e preconceitos

2. É necessário eliminar estereótipos e preconceitos

Assim como as diferenças entre homens e mulheres estão sendo cada vez mais removidas do pensamento coletivo, devemos fazer o mesmo com os estereótipos e os preconceitos que geram. Consequentemente, é fundamental ensinar às crianças a não associar determinadas pessoas com certos gostos, empregos, habilidades ou defeitos.

Cada pessoa é única e possui suas particularidades, preferências, crenças e aptidões particulares. De nenhuma maneira a raça, a religião ou qualquer outro fator que caracterize um indivíduo pode definir qualquer uma dessas qualidades.

3. Cuide do conteúdo que as crianças acessam

Para educar em igualdade e respeito, é apropriado evitar que as crianças entrem em contato com mensagens xenofóbicas e racistas. Infelizmente, há muitos conteúdos desse tipo na internet, por isso é vital que os pais estejam envolvidos no uso que as crianças fazem da tecnologia.

Se não o fizermos, estaremos deixando as crianças serem influenciadas por ideias maliciosas e que pouco têm a ver com os valores que tentamos promover nelas.

A globalização exige certas responsabilidades por parte das comunidades. Uma delas é a necessidade de educar seus membros em igualdade e respeito

4. Demonstrar os benefícios de uma sociedade integrada

Muitas realizações em diferentes áreas da sociedade atual foram alcançadas por pessoas de diferentes características. As grandes equipes, tanto esportivas quanto científicas ou de trabalho, incluem todos os seus membros de forma igualitária, sem distinções.

Portanto, será muito positivo que você ensine ao seu filho que todos podem trazer contribuições importantes ao ter um objetivo comum. Da mesma forma, você pode mostrar exemplos a serem seguidos, de diferentes raças, religiões e culturas.

Exercitar a inclusão no seu dia a dia

5. Exercitar a inclusão no dia a dia

Se não “aplicarmos” essas mensagens na vida cotidiana, as crianças dificilmente vão incorporar e entender seu verdadeiro significado. É extremamente benéfico, então, que as atividades em grupo que incluam a todos sejam promovidas no ambiente escolar. Isso pode ser feito por meio de dinâmicas lúdicas e também com filmes ou livros que promovam a tolerância.

Da mesma forma, como pais, podemos promover espaços para encontros com outras crianças. Dessa forma, no campo da prática esportiva, nas aulas de música ou em outros tipos de atividades extracurriculares, as crianças compreenderão o valor de cada pessoa e o conhecimento que cada uma delas pode trazer para o benefício de todos.

Em última análise, é importante destacar que todos os pontos mencionados acima exigem a participação ativa dos adultos. Como podemos alcançar isso? Usando a arma fundamental que temos: o exemplo.

As crianças observam e aprendem constantemente com os adultos. Então, se mostrarmos atitudes tolerantes, compreensivas e inclusivas para com aqueles que são ou pensam de forma diferente, estaremos semeando algo muito importante nas crianças.