Educação dos filhos: medos das mães de primeira viagem

21 Dezembro, 2020
Vamos falar sobre alguns dos principais medos que muitas mães de primeira viagem compartilham quanto à educação dos pequenos.

Provavelmente, um dos maiores desafios que uma mulher enfrenta em toda a sua vida é o de dar à luz e se tornar mãe. Isso significa experimentar uma infinidade de emoções e sensações e, ao mesmo tempo, os medos das mães de primeira viagem também são infinitos. Para elas, haverá muitas dúvidas e questionamentos sobre como ou qual deve ser a forma correta de cuidar, educar e criar o primeiro filho.

Entretanto, e se uma mãe de primeira viagem pudesse pensar nos seus medos não como medos paralisantes, e sim como desafios da vida? Provavelmente, assim seria mais fácil enfrentá-los e, com certeza, superá-los com sucesso.

A grande aventura de ser mãe e os medos das mães de primeira viagem

Ler artigos, livros, assistir a tutoriais, participar de cursos e seminários, falar e ouvir conselhos de mulheres que já têm filhos é o que as futuras mamães fazem sem parar. E, embora possa parecer contraditório, para muitas mulheres, quanto mais informações se tem sobre a maternidade, mais estresse, mais nervosismo e mais medos isso significa.

Medos das mães de primeira viagem em relação à educação dos seus filhos

Sem dúvida, um dos maiores medos de qualquer mãe diante de um bebê recém-nascido está relacionado à sua saúde, segurança e sobrevivência. Assim, os medos da mãe quando o filho tem pouco tempo de vida são principalmente aqueles relacionados a agir corretamente no que diz respeito aos seus cuidados básicos.

Dessa forma, toda mãe vai se preocupar e ter dúvidas quanto à alimentação e higiene do seu bebê e terá medos quanto à forma de reagir diante de situações típicas de um bebê recém-nascido, tais como cólicas, constipação ou engasgos.

Medos comuns de toda mãe de primeira viagem em relação à educação dos filhos

É importante destacar que estamos usando a palavra medo porque, de acordo com muitos especialistas, o medo é inerente à condição de ser pais. E é justamente um tipo de medo que, se saudável, está ligado a um senso de responsabilidade e envolvimento como pais.

Dessa forma, além de todas as dúvidas a respeito do bem-estar físico do recém-nascido, também existem outros medos das mães de primeira viagem que são comuns ou que são compartilhados por muitas delas. Esses medos ou, melhor dizendo, preocupações, dizem respeito a como e quais decisões tomar para educar e criar o primeiro filho.

Preocupações sobre como educar o primeiro filho

  • Encontrar um equilíbrio ideal entre a permissividade e os limites. Em relação a estes últimos, determinar como, quando e de que forma estabelecê-los.
  • Quando e como lidar com assuntos complicados ou tabus, tais como sexo, drogas e álcool.
  • A partir de que idade permitir que os filhos acessem e utilizem as redes sociais e como educá-los para que façam um uso seguro e responsável delas.
  • Como controlar, compartilhar e participar de suas relações sociais e com os seus grupos de pares sem que se sintam envergonhados ou invadidos em sua privacidade.
  • Como promover valores como solidariedade, empatia, tolerância. E, ao mesmo tempo, valores como empreendedorismo, esforço e capacidade de superação.
  • O que fazer e como agir como pais e como ensinar os filhos a agir diante de situações como o bullying. Tanto se forem as vítimas quanto se forem os algozes.
  • Como fomentar a dedicação ao estudo e a necessidade de autonomia e independência responsável.
  • Como estar perto, mas não sufocando os filhos, e como fazer com que eles queiram estar perto e não longe dos pais.
  • O que fazer e como lidar com as ordens próprias dos pais, ordens que se transformam no “dever ser”, ou seja, em expectativas sobre como os filhos devem ser e o que devem fazer, mesmo quando isso não os deixa felizes.
  • Como fazer com que as crianças sejam abertas e conversem com os adultos sobre temas como os primeiros amores, seus medos ou suas inseguranças.

“Ser mãe é descobrir os medos que você não sabia que existiam e sentir a força que você não sabia que tinha.”

Medos das mães de primeira viagem em relação à educação dos seus filhos

Quando os medos das mães de primeira viagem se transformam em desafios e reflexões

Muitas mães já experientes vão reconhecer que não existem receitas ou decálogos de como ser uma boa mãe, e que isso é aprendido no dia a dia, na prática, errando e acertando a cada passo, porque a única coisa que vale para conseguir ou tentar ser uma boa mãe é colocar todo o amor, a dedicação e o diálogo possíveis na educação de um filho.

Assim, não é válido se comparar a nenhuma outra mãe nem aplicar, de forma literal, qualquer estratégia, receita ou conselhoa menos que sejamos capazes de adaptá-los à nossa personalidade, como mães, à do nosso filho e ao nosso relacionamento único com ele. E sem perder de vista as circunstâncias e o contexto particular em que cada mulher é mãe.

Dessa forma, o segredo pode estar em confiar em si mesma, em ter a convicção de que essa pequena pessoa que está chegando ao mundo é única, assim como o vínculo materno e filial que vai ser estabelecido com ela. E, assim, toda mãe será capaz de transformar os seus medos paralisantes em desafios mobilizadores baseados em reflexões profundas sobre a forma de criar o primeiro filho.