O que é a educação inclusiva?

· 30 de março de 2018
O segredo para formar pessoas tolerantes, respeitosas e que saibam agir com empatia é, desde a infância, proporcionar o contato com crianças que têm diferentes características pessoais, culturais e físicas. É disso que se trata a educação inclusiva.

Não é uma estratégia educativa que procura fazer as crianças se encaixarem no sistema e na estrutura da sociedade. É o contrário: a educação inclusiva consiste em transformar os sistemas educacionais, a fim de que crianças de diferentes culturas ou que têm alguma deficiência possam se adaptar aos sistemas.

A educação inclusiva é um processo no qual se fortalecem os objetivos do sistema educacional, cujo propósito é chegar a todas as crianças. Para atingir esse objetivo, os estabelecimentos de ensino ou as escolas devem se transformar em lugares qualificados para poder atender qualquer criança.

O que implica a educação inclusiva?

Para que a educação inclusiva exista, é preciso oferecer oportunidades de estudo a todas as crianças sem fazer nenhum distinção ou diferenciação. Especialmente as crianças que pertencem a determinado grupo étnico, que vêm do meio rural ou que têm alguma deficiência ou dificuldade de aprendizagem, pois são crianças que tendem a ser excluídas.

A missão é que todos, sem exceção, possam adquirir conhecimento e desenvolver suas habilidades. Além disso, busca-se criar hábitos que contribuam para o bem-estar mental e social da criança.

Em outras palavras, a educação inclusiva consiste em oferecer educação especial em estabelecimentos de ensino ou escolas regulares. Para que isso seja possível e apresente os resultados esperados, a instituição deve se organizar sistematicamente e receber ajuda financeira para estar capacitada a oferecer acessibilidade física.

Paralelamente, deve contar com os apoios a que essa educação se propõe.

a educação inclusiva

Características de uma escola com educação inclusiva

Uma instituição inclusiva deve se caracterizar por eliminar qualquer obstáculo ou barreira que impeça a participação e a aprendizagem. Não apenas da criança. Isso inclui também a família, que deve participar ativamente no estabelecimento de ensino e no processo de ensinamento da criança.

Portanto, uma escola com educação inclusiva deve apresentar as seguintes características:

  • O estabelecimento de ensino visa às capacidades da criança.
  • Não existem requisitos ou mecanismo de seleção para uma criança se matricular.
  • Tem como objetivo melhorar a qualidade de vida das crianças e das famílias.
  • Existe uma relação de colaboração com as famílias, baseada no respeito e em atitudes empáticas.
  • O corpo docente é um apoio para o aluno no seu processo de aprendizagem.
  • Parte da formação envolve a abertura na rigidez do sistema para que as crianças tenham voz própria, espírito crítico e atitude cooperativa.
  • O respeito é um dos fundamentos principais no processo de ensinamento e aprendizagem.
  • O sistema de ensino se caracteriza por ser compreensivo, multidisciplinar e crítico.
  • Embora o processo de avaliação dos alunos seja realizado de maneira global, leva-se em consideração as capacidades de cada um de forma individual.

 “A educação inclusiva busca criar hábitos que contribuam para o bem-estar mental e social da criança.”

Estratégias para incluir as crianças atingidas pela exclusão

A UNESCO criou diferentes estratégias e orientações voltadas aos três grupos de crianças que são geralmente afetadas pela exclusão social. A fim de buscar o máximo desenvolvimento e potencial de cada uma dessas crianças, foram apresentadas as seguintes estratégias:

Crianças de rua

A educação é o único meio realmente efetivo para realizar a reinserção social dessas crianças. Para isso, a intervenção da educação inclusiva deve se caracterizar por:

  • Conscientizar a sociedade sobre as condições dessas crianças e o direito delas de receber educação como qualquer criança.
  • Oferecer apoio técnico às instituições ou organizações que voluntariamente satisfazem as necessidades básicas dessas crianças.
  • Com o objetivo de que o auxílio dos setores públicos e privados seja constante e eficaz, fortalecer as iniciativas com apoio financeiro.
a educação inclusiva

Crianças que trabalham

Um dos obstáculos que se apresentam na sociedade atual é que muitas crianças não frequentam a escola porque precisam trabalhar. É por isso que a educação é a ferramenta fundamental para prevenir o trabalho infantil.

“O ensino gratuito e obrigatório é um direito básico de qualquer pessoa”

Crianças com deficiência

Muitas crianças com alguma deficiência ou dificuldade de aprendizagem não são escolarizadas porque seus pais não acharam necessário. Esse é um erro grave. A educação inicial é muito importante para qualquer criança. Nesses casos, a educação inclusiva garante o maior esforço e meios para oferecer:

  • Apoio necessário a todos os alunos que tenham alguma necessidade educacional especial para se integrar da melhor maneira possível.
  • Corpo docente e especializado formado no ensino de crianças com deficiência ou dificuldade de aprendizagem.

Por outro lado, crianças de tribos indígenas ou de zonas rurais também são afetadas por, às vezes, não contar com um colégio ou corpo docente que possa oferecer educação. Esse é outro grupo de crianças que a educação inclusiva deve considerar.

Enfim, a educação inclusiva busca fazer com que todas as pessoas possam desfrutar da acessibilidade de conhecimento e que não sejam deixadas de lado por ter alguma diferença social ou deficiência física ou mental.

Mesmo em casa podemos conscientizar os membros da nossa família para que possam aceitar as diferenças entre cada ser humano e, dessa maneira, estimular a igualdade.