Os efeitos da técnica da tartaruga na autoestima

20 Março, 2020
A técnica da tartaruga é conhecida por ajudar a melhorar o autocontrole. Mas, além disso, ela traz grandes benefícios para a autoestima das crianças.

Conseguir que as crianças adquiram a capacidade de ter autocontrole não é simples, sobretudo se apresentam TDAH (transtorno do déficit de atenção com hiperatividade) ou problemas de comportamento. Nesses casos, recomenda-se utilizar técnicas desenvolvidas para tal fim, como, por exemplo, a técnica da tartaruga. Além de servir para melhorar o controle interno, ela fornece múltiplos benefícios para as crianças. Assim, neste artigo, vamos falar sobre os efeitos da técnica da tartaruga na autoestima.

Mas, antes, deve estar claro que o autocontrole é a capacidade de regular a intensidade, a frequência e a duração dos próprios comportamentos, emoções e sentimentos. Isso inclui o controle e a gestão dos impulsos, do estresse, da frustração, da raiva, da agressividade, do medo etc.

“O autocontrole não é fazer o que sinto, é saber escolher o que fazer com o que sinto”.

-Anônimo-

Em que consiste a técnica da tartaruga?

A técnica da tartaruga se baseia no fato de que esse animal, quando se sente ameaçado, se esconde e se retrai dentro do seu casco. Do mesmo modo, uma criança pode fazer a mesma coisa para controlar os seus próprios impulsos, comportamentos e emoções diante de uma determinada situação.

Menina segurando uma tartaruga e sorrindo feliz

Assim, para utilizar corretamente essa técnica de autocontrole infantil, devemos seguir os seguintes passos, ensinando o nosso filho a:

  1. Responder diante da palavra “tartaruga”: ao ouvir essa palavra-chave, ele deve se encolher, colocando a cabeça entre os braços.
  2. Relaxar os músculos enquanto se coloca na posição de tartaruga: com o relaxamento muscular, evita-se o aparecimento de comportamentos disruptivos e agressivos.
  3. Empregar técnicas de solução de problemas (artesanato, grupo de discussão, role-playing, reforço corretivo, reforço social, mediação etc.), valorizando as diversas alternativas que existem na hora de controlar a situação que o leva a decidir fazer a tartaruga.

É importante ensinar esses três passos de forma gradual. Em outras palavras, antes de dominar um dos níveis, não se pode passar ao seguinte. Isso permite que a criança vá se familiarizando com a técnica pouco a pouco, assimilando corretamente, assim, cada um dos procedimentos e instruções.

“Talvez não haja habilidade psicológica mais essencial do que a de resistir ao impulso”.

-Daniel Goleman-

Benefícios de utilizar a técnica da tartaruga

Como vimos, a técnica da tartaruga é utilizada com o objetivo principal de fazer com que a criança aprenda a ter autocontrole. Além disso, essa técnica é benéfica para:

  • Modelar a expressão e o reconhecimento dos sentimentos.
  • Aumentar as habilidades sociais.
  • Entender diferentes pontos de vista e opiniões.
  • Melhorar o processo de tomada de decisões.
  • Saber resolver conflitos com facilidade.
  • Aumentar a autoestima.
Menina olhando uma tartaruga para entender a técnica da tartaruga

Mas você saberia dizer por que essa técnica melhora a autoestima das crianças? A seguir, explicamos para você.

Os efeitos da técnica da tartaruga na autoestima

Conseguir dominar a técnica da tartaruga tem efeitos muito positivos para a autoestima ou para o amor-próprio da criança. Isso porque:

  • Ela aprende a ter autocontrole sem a necessidade de que pessoas externas intervenham (mãe, pai, professores etc.). Assim, a criança se sente realizada e confia nas suas próprias capacidades.
  • O fato de ela não realizar comportamentos pouco apropriados faz com que ela receba reforço positivo por parte dos pais, professores etc. Graças a isso, ela se sente satisfeita com as suas ações e decisões ao perceber que são recompensadas por suas figuras de referência.
  • Ela se percebe como uma criança mais velha, que sabe utilizar diferentes técnicas de solução de problemas, em vez de manifestar comportamentos impulsivos e pouco racionais.

“Todos os meninos, meninas e adolescentes têm a necessidade de se sentirem queridos, o anseio de se sentirem escutados e o desejo de se sentirem úteis”.

-César Bona-

  • Schneider, M. y Robin, A. (1990). La técnica de la tortuga. Un método para el autocontrol de la conducta impulsiva. T. Bonet (Comp.), Problemas psicológicos en la infancia. Valencia: Promolibro.