Ensine ao seu filho o valor de passar o tempo consigo mesmo

04 Outubro, 2018
Poucas pessoas no mundo desfrutam o prazer de passar tempo consigo mesmas, de estar em sua própria companhia.

Poucas pessoas sabem que nunca estão realmente sozinhas, que você está sempre consigo mesmo. O prazer de desfrutar a solidão é um hábito que pode ser desenvolvido desde a infância. E não há ninguém melhor do que você para mostrar isso ao seu filho.

Aproveitar um tempo sozinho permite a todos os seres humanos desenvolver o dom da autoconfiança. Isso também se traduz em uma sensação de satisfação e independência que seu filho pode desfrutar desde pequeno.

Isso não significa que seu filho vai se tornar uma criança solitária, absorvida em seus próprios pensamentos ou isolada.

Pelo contrário. Quando uma criança adquire independência, ela aprende a desfrutar tanto os momentos em que ele pode compartilhar com outras crianças e adultos quanto aqueles em que fica sozinha.

consigo mesmo

Viver este tipo de experiência servirá para aprender progressivamente que nem a felicidade, nem a paz interior vêm da quantidade de amigos que nos rodeiam.

Muitas crianças, e até mesmo muitos adultos, acham difícil ficar sozinho. Quando isso acontece, eles se sentem desconfortáveis ou têm uma sensação de vazio ou desespero. Isso, às vezes, acontece porque eles colocam nos outros a responsabilidade de guiar suas emoções ou ações.

Geralmente, esse tipo de comportamento acontece quando a criança não entende que ela, por conta própria, pode ser capaz descobrir um mundo cheio de emoções.

Você pode ensinar ao seu filho que se ele conseguir ficar em paz sozinho, sempre será capaz de estar em paz com as outras pessoas.

Se ele for capaz de dominar as próprias emoções, compreenderá que é um ser único, com sentimentos diferentes de outras pessoas. Isso vai fazer com que se aceite do jeito como é, com seus acertos e erros.

Ele aprenderá a não se julgar tão duramente por circunstâncias que estão além do seu alcance.

O tempo de silêncio é a porta do autoconhecimento

Quando uma criança (ou um adulto) está sozinha e em silêncio, ela abre espaço para que a autoconsciência assuma o controle de suas ações, em vez de deixá-las serem controladas pelo “acaso do destino”.

Além disso, o descanso de vozes externas colocará a criança em sintonia com a sua voz interior, que será responsável por motivar as suas ações.

Estar consciente de seus pensamentos lhe permitirá ter um melhor controle externo. Os momentos a sós fará do seu filho um observador de seus próprios pensamentos.

Muitas vezes, quando as crianças não aprendem a desfrutar a solidão e sempre têm a necessidade de estar com os outros, é criado na sua personalidade um tipo de dependência emocional.

Sem perceber, alimentam o hábito de estarem cercadas por pessoas para se sentirem completas.

Quando você se depara com tais casos, pode perceber que essas crianças não estão tranquilas consigo mesmas. Mas adquirem o sentimento de valor próprio quando recebem dos outros gestos de bondade, louvor e confirmação.

Para contrabalancear esse aspecto, é importante destacar que quando você ensina ao seu filho o valor de passar tempo consigo mesmo, ele aprende que pode usar esses momentos para refletir.

É positivo porque, dessa maneira, ele pode aprender a perguntar a si mesmo e a ouvir o que realmente pensa sobre determinadas questões.

Sem dúvida, ele aprenderá o valor de ser capaz de escutar seus pensamentos, sem se deixar influenciar pela opinião dos outros ou pela intervenção de outras crianças com tendências dominantes que muitas vezes impõem seus pensamentos.

A quietude ajuda a refletir

consigo mesmo

Além de tudo isso, seu trabalho como mãe é, entre outras coisas, ensinar seu filho a não se fechar completamente no seu mundo. O melhor aspecto sobre refletir é poder compartilhar com os outros aquilo que foi internalizado.

Garantimos que ele vai ser agradavelmente surpreendido ao descobrir como, às vezes, os outros têm pensado a mesma coisa que ele. Ou melhor ainda, poderá ver que suas experiências, pensamentos e reflexões podem ajudar outras crianças.

E, além do autoconhecimento que o tempo gasto sozinho proporciona, essa prática também favorece o órgão mais complexo e poderoso do corpo humano: o cérebro.

Assim como todos os outros órgãos do corpo, o cérebro é beneficiado pela atividade de descansar. Isso foi demonstrado por uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles.

Um estudo realizado por essa universidade mostrou que os momentos em que as crianças estão desvinculadas de suas obrigações e passam um tempo sozinhas, sentadas em silencio com a mente repousada, favorecem as atividades do córtex e aumentam a capacidade de processar informações.

Sem dúvida, o exercício de aproveitar o tempo sozinho vai ajudar seu filho a se conhecer melhor como indivíduo, ouvir seus sentimentos, cultivar o seu ‘eu interior’ e trabalhar para alcançar um equilíbrio que permite que ele seja feliz com a experiência adquirida.

Deve ser o sonho de toda mãe que o filho atinja tal nível de autoafirmação.

  • Bowlby, J. (1986). Vínculos afectivos: formación, desarrollo y pérdida. Madrid: Morata.
  • Bowlby, J. (1995). Teoría del apego. Lebovici, Weil-HalpernF.
  • Garrido-Rojas, L. (2006). Apego, emoción y regulación emocional. Implicaciones para la salud. Revista latinoamericana de psicología, 38(3), 493-507. https://www.redalyc.org/pdf/805/80538304.pdf
  • Marrone, M., Diamond, N., Juri, L., & Bleichmar, H. (2001). La teoría del apego: un enfoque actual. Madrid: Psimática.
  • Moneta, M. (2003). El Apego. Aspectos clínicos y psicobiológicos de la díada madre-hijo. Santiago: Cuatro Vientos.