Escutar seu filho é demonstrar respeito

· 12 de novembro de 2018
Para escutar nosso filho com respeito, é preciso mudar nossos paradigmas de criação e nossos conceitos de infância. É imprescindível enxergar seu filhote como um ser humano com ideias e pensamentos próprios.

Escutar seu filho com respeito é o maior exercício de humildade que você pode fazer como mãe.

Nosso comportamento como adultos, às vezes, é profundamente contraditório e nem sequer nos damos conta disso.

Quando nossos filhos começam a falar, nos derretemos. Celebramos cada som e cada palavra pronunciada: mamãe, papai, bebê, água, etc.

Depois de alguns meses, nos vemos pedindo silêncio e querendo impor nossas ideias sobre as deles, com o argumento de que nós somos os pais e temos razão porque somos mais velhos.

escutar seu filho

Este argumento da experiência é um vestígio do modelo com o qual nós mesmo fomos criados.

Mesmo que certamente nossos pais não tenham feito nada mais do que nos proteger durante toda a vida, hoje sabemos que o argumento da experiência não é válido para todas as circunstâncias.

Além disso, existem maneiras mais respeitosas de nos comunicar com as crianças.

Com certeza, nós sabemos que podemos escutar um filho com respeito, mas nos perguntamos: como fazer isso?

Bem, podemos começar simplesmente aplicando as normas do saber falar e saber ouvir, mas de verdade, com afinco.

Devemos tratar nossos filhos com o respeito e a solenidade que merece qualquer pessoa. E, mais, com a solenidade que merece uma conversa com o presidente da República, por exemplo, qualquer autoridade que respeitamos.

Isso às vezes pode ser difícil. Mas é respeitando nossos filhos que os encorajaremos a nos respeitar.

Demonstrar respeito e escutar seu filho pode aproximar vocês

Entre as normas do saber falar e saber ouvir, há algumas orientações específicas, como olhar atentamente para quem fala conosco, manter-se em silêncio enquanto a outra pessoa está falando, não interromper, etc. Mas, sobretudo, escutar a pessoa que está falando.

Todas estas normas nos parecem bastante simples quando as lemos. Mas muitas vezes temos dificuldade para colocá-las em prática até com as pessoas que mais amamos no mundo como nossos pais e nossos filhos.

Entretanto, esse exercício de humildade que supõe escutar outra pessoa de verdade com os ouvidos, o coração e a mente, atentos e livres de preconceito, nos ajudará a encorajar o respeito pelos membros da nossa família.

Por isso, quando você for conversar com seu filho ou ele estiver conversando com você, tente se colocar no mesmo nível de altura que ele, agachando-se, por exemplo.

Porque esse exercício te ajudará a olhar “olhos nos olhos” a fim de escutar seu filho de maneira ativa.

Escute seu filho de maneira ativa, preste o máximo de atenção possível e, sobretudo, faça o exercício de escutar, o que significa algo mais que somente ouvir.

“Ouvir é simplesmente perceber os sons, mas escutar é entender e compreender aquilo que ouvimos. Isso implica tentar compreender o que a pessoa que fala conosco quer nos transmitir, seus sentimentos, emoções e pensamentos”, explica a psicóloga infantil Ana León Alonso em um artigo.

É fundamental tentar se colocar no lugar do nosso filho quando ele estiver conversando conosco. Pois esta é a única maneira de conseguir compreender suas emoções.

Escutar seu filho e compreendê-lo não significa que estar de acordo com tudo o que ele nos diz. Mas, sim, exercitar nossa capacidade de respeitar seus sentimentos.

Quando seu filho se sente ouvido, ele aprende a confiar em você. Assim, vai te procurar quando tiver algum problema. E não vai sentir medo de encontrar somente broncas quando falar sobre suas condutas negativas.

escutar seu filho

Quando uma criança sente que é ouvida, ela não tem medo de se expressar

Outro dos benefícios proporcionados pelo saudável exercício de escutar seu filho é que, com o tempo, ele não sentirá medo de falar, expressar suas ideias ou sentimentos, nem de pedir o que necessita.

Este ambiente em que a criança se sente ouvida é construído todos os dias.

Em um artigo intitulado “A importância de ouvir a criança e como fazê-lo”, a psicóloga infantil Ana León Alonso nos recomenda lembrar nosso filho diariamente que estamos aqui para escutá-lo e ajudá-lo sempre que for preciso.

Quase todos nós, pais, pensamos que fazemos isso e que nossos filhos já sabem disso. Pensar assim, pode nos fazer crer que não é necessário reafirmar essa ideia todos os dias.

Entretanto, a psicóloga aconselha que não é bom deixar nada subentendido. Por isso, é de suma importância lembrar seu filho de que você sempre estará à disposição para ouvi-lo.

Você pode sempre dizer as seguintes frases: “Sempre que precisar, você sabe que a mamãe e o papai estarão dispostos a te ouvir, não é mesmo?“; “Pode me contar tudo o que você quiser ou que te preocupar”.

Além disso, também é muito importante dar a ele a liberdade de se aproximar de nós sempre que quiser.

O segundo ponto que a psicóloga recomenda é levar em conta que se você deseja encorajar seu filho a ter um ambiente de boa comunicação, você deve pensar que para ele é imprescindível encontrar o momento adequado para isso.

O ideal é reservar todos os dias um tempo para conversar de maneira individual com seu filho, mesmo que seja por somente 5 minutos.

Durante esse momento, seu filho deve sentir que você vai prestar toda a atenção nele. Assim, lembre-o de que existe esse momento exclusivo para ele.

Dessa forma, vocês podem conversar tranquilamente. E o mais importante: não se esqueça de manter esses encontros diariamente.